Imagem da matéria: Como a custódia regulada protege criptoativos de crises sistêmicas como as que abalaram 2022 | Opinião
Foto: Shutterstock

Ainda que o mercado cripto esteja sentindo os rescaldos da última crise sistêmica, já é possível enxergar os acontecimentos de um panorama mais amplo. Uma vez que é possível que uma empresa use o dinheiro investido de seus clientes sem nenhuma precaução legal, outros escândalos como os que envolveram a FTX, uma das maiores empresas do mercado, têm espaço para acontecer.

No Brasil, aproximamos-nos cada vez mais da aprovação de um marco regulatório. Isso representará um grande avanço, no que diz respeito ao combate das crises que o mercado enfrentou em 2022.

Publicidade

Ainda estão na memória e são feridas que não cicatrizaram os colapsos de LUNA e de Celsius. São imbróglios que prejudicam a construção da indústria de forma sustentável e impactam negativamente na percepção dos clientes (institucionais e de varejo) sobre os criptoativos.

A comunidade cripto, como um todo, têm grande preocupação com proteção de dados e autonomia sobre seus próprios ativos. Fazer due diligence é uma questão extremamente valorizada e requisito para investir com segurança. Apesar deste pontos ainda existem falhas uma vez que ainda é possível que certos players atuem em todas as funções.

Como é no caso das exchanges, muitas servem não apenas como bolsa, mas como corretora, câmara de compensação e custodiante. Não há freios e contrapesos.

A regulamentação possibilitará alcançar pontos fortes do mercado financeiro tradicional. Dentro dele existem responsabilidades rigorosamente separadas entre as linhas de negócios (comercialização, financiamento e custódia, por exemplo) e as fortalecem com um sistema mais robusto e confiável. Eles são obrigados a manter reservas de capital suficientes e estão sujeitos a supervisão e auditorias.

Publicidade

Compliance ainda é um assunto que divide o mercado, mas apenas um conjunto de regras pode se fazer cumprir as normas que geram segurança. Além disso, questões de seguro são essenciais uma vez que garantem que o cliente não sairá lesado mesmo em casos de falência.

Além de uma regulamentação abrangente, é importante que as regras sigam em evolução conforme o desenvolvimento do mercado. Para o caso em questão, um bom primeiro passo seria um requisito regulatório de que as exchanges mantenham os fundos dos clientes com um custodiante independente e regulamentado.

Assim se encaixam empresas de custódia que operam com várias. Essas entidades têm a responsabilidade fiduciária de proteger os fundos dos clientes, que são segregados, sem risco de falência e nunca re-hipotecados.

Em suma, custodiantes regulados, maior separação dos papéis e melhor segregação entre negociação, financiamento e custódia podem ser considerados bons meios para precaução do abalo de uma crise sistêmica.

Sobre a autora

Juliana Walenkamp é diretora de vendas institucionais da BitGo

VOCÊ PODE GOSTAR
Criador do Twitter e da Square, Jack Dorsey em palestra no TED

Bitcoin pode um dia substituir o dólar americano, diz criador do Twitter

Em um sofisticado retiro na Toscana, Jack Dorsey compartilhou sua visão sobre a ascensão do Bitcoin à supremacia global
Imagem da matéria: Ethereum sobe 2,3% e faz traders que apostavam na queda serem liquidados em US$ 20 mi

Ethereum sobe 2,3% e faz traders que apostavam na queda serem liquidados em US$ 20 mi

Um total de US$ 20 milhões em contratos de venda e US$ 1,9 mi em contratos de compra de Ethereum foram liquidados nas últimas 24 horas
Imagem da matéria: Kaspa (KAS): Conheça a criptomoeda com o melhor desempenho da semana no top 100

Kaspa (KAS): Conheça a criptomoeda com o melhor desempenho da semana no top 100

Com alta de mais de 20% em sete dias, a Kaspa (KAS) lidera com tranquilidade os ganhos da semana entre as 100 maiores criptomoedas do mercado
Imagem da matéria: Kavak vai tokenizar R$ 30 milhões para financiar operação de venda de carros usados no Brasil

Kavak vai tokenizar R$ 30 milhões para financiar operação de venda de carros usados no Brasil

A startup mexicana de compra e venda de carros usados Kavak concluiu, em parceria com a Liqi, a tokenização de R$ 5,4 milhões em notas comerciais