Imagem da matéria: Coinbase perdeu 60 funcionários após CEO vetar comentários políticos
Brian Armstrong, CEO da Coinbase. (Foto: Getty Images)

A Coinbase perdeu 60 pessoas de sua equipe de colaboradores depois que o CEO da corretora americana de criptomoedas, Brian Armstrong, declarou no final de setembro que a empresa adotaria um ambiente apolítico para se dedicar mais à sua missão na criptoeconomia.

A informação, divulgada na quinta-feira (08) pelo próprio executivo no blog da Coinbase, foi resultado de um acordo com benefícios que ele ofereceu para quem não concordasse as novas regras e quisesse deixar a empresa.

Publicidade

Conforme descreveu na ocasião, a tarefa da empresa é criar um sistema financeiro com criptomoedas para levar liberdade econômica às pessoas em todo o mundo.

O acordo, chamado nos EUA de ‘exit package’ (um modelo de demissão voluntária), geralmente é oferecido para quem concorda em deixar seu emprego.

Segundo Armstrong, ele teria oferecido o benefício porque seu artigo teria gerado um debate sobre como as empresas deveriam operar. 

“Quero informar que cerca de 5% dos funcionários (60) decidiram aceitar o pacote de saída. Há várias outras conversas ainda em andamento, então o número final provavelmente será um pouco maior”, escreveu, acrescentando:

Publicidade

“Para quem decidir sair, quero agradecer pela contribuição; para quem optar pelos próximos capítulos, quero agradecer a confiança e compromisso com esta missão. Estou animado para construir o futuro com todos vocês”.

Ele disse que imagina o quanto está sendo difícil a esclarecer o que a cultura apolítica significa na prática. No entanto, disse, é ótimo ver toda a equipe se unir para chegar a um entendimento, apoiando uns aos outros.

“Não será fácil, mas acho que vai resultar em uma equipe mais forte e mais unida”, concluiu.

O que disseram os funcionários da Coinbase

Segundo o Coindesk, um funcionário da empresa, que não quis se identificar, disse que o acordo foi aderido principalmente por engenheiros. Contudo, outro colaborador que também pediu anonimato disse que as saídas foram em diferentes funções.

“Estou preocupado que o acordo seja bom demais”, disse outro. Segundo o site, teve funcionário que ficou surpreso ao saber a quantidade de pessoas que saíram.

Publicidade

No artigo, Armstrong ressaltou que a nova missão não significava que os funcionários teriam que fingir que a política não existe. Ele disse que a decisão é para que a Coinbase não se envolva com algum ativismo mais amplo.

Diante de suas declarações, os funcionário ficaram sem entender a verdadeira proposta, comentou o site. Um engenheiro, por exemplo, disse que não houve nenhuma clareza real.

“Ninguém na liderança parece ser capaz de definir isso, já que estão no mesmo barco que o resto dos funcionários, tentando extrair significado das declarações limitadas de Brian”, afirmou o Coindesk.

“Não está claro o que é político e apolítico”, concluiu o site.

VOCÊ PODE GOSTAR
Cláudio Barbosa, um dos criadores da pirâmide Trust Investing

Foragido desde 2022, único líder da Trust Investing que escapou é preso em Santa Catarina

Cláudio Barbosa foi a pessoa responsável por negociar diretamente com a GAS Consultoria e o “Faraó do Bitcoin”
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Cofre dourado no formato de baleia receb moedas shiba inu SHIB

Baleias voltam a encher os bolsos de Bitcoin, mostra análise

A acumulação acelerada de baleias é um sinal de que o mercado altista do Bitcoin ainda está ativo
Imagem da matéria: Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

O usuário foi atingido por fogos de artifício em uma live de divulgação do seu token