Imagem da matéria: Coinbase e Paxos revelam exposição de US$ 500 milhões no Signature Bank, o banco que colapsou
Foto: Shutterstock

O Signature Bank surgiu na noite de domingo como a mais recente instituição a entrar em colapso em meio a uma série de falências bancárias, e várias empresas cripto foram ao Twitter para declarar se foram afetadas pela paralisação do Governo da empresa parceira do universo das criptomoedas.

O Signature Bank foi encerrado pelos reguladores dos EUA, de acordo com uma declaração conjunta publicada pelo Federal Reserve, Tesouro dos EUA e Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC). As três agências de regulamentação disseram, no entanto, que o banco reabriria segunda-feira, e prometeu que todas as contas e fundos dos depositantes na instituição com sede em Nova York seriam disponibilizadas como antes.

Publicidade

O grupo afirmou que a Autoridade de registro do Estado de Nova York havia inicialmente encerrado o Signature Bank e substituído sua alta administração.

As revelações e as chamadas públicas ecoaram a série de atualizações emitidas no Twitter pelas empresas quando o Silvergate Bank e o Silicon Valley Bank faliram nos últimos dias.

A emissora de stablecoins e corretora Paxos disse que atualmente detém US$ 250 milhões no Signature Bank. A empresa acrescentou que detém seguros para depósitos privados que excedam o saldo que a Paxos tem atualmente no Signature Bank.

A Paxos disse esperar que os fundos estejam disponíveis na segunda-feira quando o Signature Bank reabrir, citando as “medidas extraordinárias” tomadas pelo governo para proteger os clientes do banco.

Publicidade

Após o colapso do Silicon Valley Bank na última sexta-feira, a Paxos afirmou que não tinha relação com o banco sediado na Califórnia, que representa o segundo maior fracasso de uma instituição financeira na história dos EUA.

Coinbase tem US$ 240 milhões Signature Bank

Enquanto isso, a principal exchange de criptomoedas dos EUA, a Coinbase, disse que detinha um saldo de caixa corporativo de cerca de US$ 240 milhões com o Signature Bank na sexta-feira. A exchange disse que também espera ser totalmente capaz de recuperar os fundos.

A Coinbase já tinha sinalizado no sábado que suspendeu temporariamente as conversões de USDC depois que a emissora de stablecoin Circle divulgou US$ 3,3 bilhões em exposição ao Silicon Valley Bank, representando uma fatia significativa do apoio do token, que totaliza cerca de US$ 40 bilhões.

Em um momento durante o fim de semana, o preço do USDC desceu tão baixo quanto US$ 0,87, mas a moeda subiu acima de US$ 0,99 no final da noite de domingo, de acordo com o CoinGecko, depois da Circle afirmar que “cobriria qualquer déficit” do contágio e os reguladores intervieram para acabar com as preocupações do acesso das pessoas aos depósitos.

Publicidade

O gabinete de crédito descentralizado Creditcoin alegou não ter qualquer exposição ao Signature Bank ou ao Silicon Valley Bank.

Binance se cala

A Binance, entretanto, revelou há algum tempo que o Signature Bank era um dos parceiros bancários dela quando avisou que os clientes não seriam capazes de fazer transferências rápidas de menos de US$ 100 mil. A Binance disse que apenas 0,01% de seus usuários mensais eram atendidos pelo banco na época.

Na noite de domingo, nem a Binance nem seu CEO, Changpeng Zhao, haviam divulgado a exposição atual da empresa ao Signature Bank. A Binance não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários do Decrypt.

“Ações decisivas” dos reguladores americanos

O anúncio do encerramento do Signature Bank coincidiu com uma promessa dos reguladores federais de proteger a economia dos EUA através de “ações decisivas” que preservariam a confiança no sistema bancário do país.

O FED, o Tesouro dos EUA e o FDIC afirmaram que os clientes do Silicon Valley Bank teriam acesso total aos seus depósitos na segunda-feira. O grupo também afirmou que o Federal Reserve Board ofereceria empréstimos aos Bancos para “reduzir o estresse em todo o sistema financeiro”, onde ativos de alta qualidade, como títulos do Tesouro dos EUA, poderiam ser lançados como garantia.

O fracasso do Silicon Valley Bank foi uma potencial crise existencial para muitas startups de tecnologia, e várias empresas de criptoativos disseram que também tinham uma exposição à falência do banco, incluindo a Ripple, a BlockFi, a Pantera e a Avalanche.

Publicidade

Um número semelhante de empresas surgiu para dizer que não foram afetadas pelos problemas do Silicon Valley Bank, incluindo o emissor de stablecoin Tether e a exchange Crypto.com. Ambas as empresas divulgaram declarações na noite de domingo dizendo que também não tinham exposição ao Signature Bank.

E o Signature Bank Chicago — um banco comercial que não é afiliado à instituição com sede em Nova York e que falhou no domingo — disse que não tem “exposição à criptomoedas”.”

O banco alertou que seu logotipo foi usado incorretamente durante um segmento da ABC News, acrescentando que, apesar da possível confusão, a instituição sediada em Chicago está “mais forte do que nunca.” 

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Volume importado de criptomoedas mais que dobrou em abril em comparação com o mesmo período de 2023
Imagem da matéria: Mesmo que ETF de Ethereum seja aprovado, pode levar semanas para estrear nas bolsas; entenda

Mesmo que ETF de Ethereum seja aprovado, pode levar semanas para estrear nas bolsas; entenda

Sinal verde da SEC esta semana é apenas o primeiro passo para o lançamento do ETF de Ethereum
Imagem da matéria: Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

De 8 a 10 de outubro, pontos chave da cidade de Madri atrairão o ecossistema Web3 sob uma perspectiva de negócios, legal e técnica
Imagem da matéria: Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas sobem nesta quarta-feira após o relatório do CPI dos EUA mostrar que os preços subiram mais lentamente que o esperado