Imagem da matéria: Coinbase anuncia suporte para Lightning Network do Bitcoin
Foto: Shutterstock

A maior exchange de criptomoedas dos Estados Unidos, Coinbase, está lançando suporte para a Lightning Network do Bitcoin, informou a empresa nesta terça-feira (30). Progressivamente disponível em plataformas móveis e desktop, os usuários da Coinbase poderão escolher entre enviar Bitcoin usando a rede principal ou a Lightning Network.

Lançada em 2018, a Lightning Network é um protocolo de segunda camada construído sobre a rede Bitcoin. A Lighting Network permite que os usuários movam BTC entre carteiras sem a necessidade de interagir diretamente com a blockchain Bitcoin.

Publicidade

Facilitando a integração da Coinbase com a Lightning Network está a Lightspark, com sede em Los Angeles. Fundada em 2022, a empresa oferece produtos Lightning Network voltados para empresas.

“Há algumas considerações que tivemos em mente ao determinar a melhor maneira de adicionar suporte à Lighting”, disse Viktor Bunin, especialista em protocolo da Coinbase, ao Decrypt.

“A primeira coisa é que decidimos usar um parceiro de integração sem custódia, porque quando você olha para o design da Lightning, ela tem esse componente de otimização”, disse Bunin. “A segunda coisa é que quando pensamos na distribuição de funções, faz sentido que a Coinbase se concentre na segurança e na parte da experiência do usuário, faz sentido terceirizar isso.”

Os clientes da Coinbase interessados em usar a Lightning Network podem alternar entre o Bitcoin Core e a Lightning Network ao inserir a quantidade de Bitcoin que desejam enviar. Eles precisarão então incluir um endereço de “fatura” da Lightning, que seria gerado pelo destinatário.

Publicidade

“Os clientes interagirão com a Lightning a partir de nossa exchange de varejo, e isso é de custódia, da mesma forma que você custodia Bitcoin, ETH e outros ativos com a Coinbase”, disse Bunin.

“Os clientes não precisam administrar um nó, gerenciar um canal ou se preocupar com liquidez”, acrescentou. “Coinbase e Lightspark gerenciam todos esses aspectos diferentes, e Coinbase gerencia as chaves e a segurança, como sempre fazemos.”

A Coinbase, com sede em São Francisco, vem explorando a integração da Lightning Network desde o ano passado. A parte mais difícil de integrar a Lightning Network à Coinbase, lembrou Bunin, foi ajudar a equipe da Coinbase a entender como a tecnologia funciona – principalmente em relação ao gerenciamento de canais e movimentos de fundos.

“Garantir que todos na empresa que estavam trabalhando neste projeto tivessem um conhecimento profundo da Lightning Network – como ela funciona e impacta suas responsabilidades – foi realmente crucial”, disse ele.

Publicidade

Embora a Coinbase tenha se reunido com diferentes provedores de Lightning Network, Bunin disse que o Lightspark se encaixa no projeto, oferecendo todos os recursos que eles procuravam.

“Optamos por um parceiro que tenha um histórico comprovado de trabalho com empresas em implantações de Lightning em larga escala, e a Lightspark atendeu aos nossos altos padrões de segurança”, explicou Bunin. “Eles não têm custódia, como mencionei, e têm uma visão clara sobre como podem continuar a apoiar e melhorar o ecossistema Lightning no longo prazo.”

Ele disse que a integração da Bitcoin Lightning Network visa, em última análise, aumentar a adoção da criptomoeda e aumentar a liberdade econômica.

“Bitcoin é o ativo mais importante em cripto, e quando pensamos em como podemos promover redes e ativos descentralizados, sem permissão e credivelmente neutros, como podemos fazer com que os ativos nessas redes cheguem o mais próximo possível de um segundo, um centavo de transferências e transações possíveis, a Lightning fazia muito sentido”, disse Bunin. “Avançar o Bitcoin é algo que é bom para a Coinbase, bom para a indústria e é bom para o ecossistema, e estamos muito orgulhosos de ter a oportunidade de fazer isso”.

De acordo com Bunin, embora a opção Lighting Network esteja disponível para clientes baseados nos EUA, os residentes canadenses e de Nova York não poderão aproveitar as vantagens da função Lightning Network por enquanto.

Publicidade

Enquanto isso, a Coinbase está travada em uma batalha legal com a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) desde que a agência começou a investigar a exchange por supostamente permitir que clientes negociassem títulos não registrados em 2022.

Em março, um juiz federal disse que o processo da SEC poderia avançar, dizendo que o argumento do regulador contra a exchange era plausível, rejeitando o pedido de rejeição da Coinbase.

Procurando balançar o Congresso a favor das criptomoedas, a Coinbase apoiou campanhas políticas voltadas para as eleições de 2024 nos EUA. Em fevereiro, um SuperPAC apoiado pela Coinbase chamado Fairshake PAC lançou uma campanha publicitária massiva visando a candidata ao Senado dos EUA Katie Porter, uma aliada da crítica de cripto de longa data, a senadora dos EUA Elizabeth Warren.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin têm entrada de US$ 303 mi, impulsionados por Fidelity e Grayscale

Os fluxos de entrada de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA atingiram uma alta de US$ 303 milhões em duas semanas, já que o preço do Bitcoin ultrapassou US$ 66 mil
Cristiano Ronaldo veste camisa da Binance

Cristiano Ronaldo lança nova coleção de NFTs enquanto é alvo de processo de US$ 1 bilhão com a Binance

O anúncio do jogador chega 27 dias depois de os EUA condenarem o criador da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, a 4 meses de prisão
Imagem da matéria: Caso Sbaraini: advogado tenta acordo, mas vítimas podem demorar 5 anos para recuperar investimentos

Caso Sbaraini: advogado tenta acordo, mas vítimas podem demorar 5 anos para recuperar investimentos

A Sbaraini, que operava criptomoedas, parou de pagar seus clientes após uma operação da Polícia Federal apontar para um esquema de lavagem de dinheiro dentro da empresa
Imagem da matéria: Microsoft lança PC com IA que vai lembrar tudo que você faz na internet

Microsoft lança PC com IA que vai lembrar tudo que você faz na internet

A big tech revelou o Copilot+ PC “projetado para IA” que recorda tudo o que é exibido na tela do seu computador