Imagem da matéria: Cofundador da Foxbit, Guto Schiavon morre em acidente de carro
Guto Schiavon foi um dos pioneiros do Bitcoin no Brasil (Foto: Foxbit)

Guto Schiavon, cofundador da corretora de criptomoedas Foxbit, morreu na tarde desta terça-feira (25) depois de sofrer um acidente de carro no km 465 da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294) na saída para Tupã, município do interior de São Paulo.

De acordo como o G1, o acidente envolveu três veículos. Chovia forte no momento em que o carro em que estava Guto rodou na pista e acabou sendo atingido por outro veículo que vinha no sentido contrário.

Publicidade

Em seguida, um caminhão não conseguiu desviar e também acabou se chocando com o veículo.

Segundo a reportagem, quatro pessoas foram resgatadas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhadas ao Hospital das Clínicas de Marília, sendo duas delas em estado grave.

Guto era Bacharel em Sistemas de Informação pelo Univem (Centro Universitário Eurípedes de Marília) e ocupava o cargo de Diretor de Operações na empresa.

Nota de Falecimento

A Foxbit comunicou seu pesar com um nota de falecimento no site da empresa, evidenciando os números atingidos pela corretora devido a esforços de Guto e toda a equipe. A empresa disse que está prestando toda solidariedade e apoio aos familiares.

Nota de falecimento da Foxbit ( Imagem: Reprodução)

João Canhada, CEO da Foxbit, publicou no Facebook uma foto com o parceiro com os seguintes dizeres:

“Infelizmente hoje é um dia triste, perdi um irmão que a vida tinha me dado, muito mais do que um sócio ou amigo era meu irmãozinho Guto, um cara simples e brilhante, foram 4 ótimos anos juntos, construindo um sonho chamado Foxbit, vai com Deus pois aqui na terra só tenho boas lembranças”.

Publicidade
João Canhada e Guto Schiavon (Facebook/Reprodução)

Luis Augusto Schiavon Ramos, o Guto

Guto era um dos nomes mais conhecidos na comunidade de criptomoedas no Brasil. Ele, juntamente com João Canhada, fundaram a Foxbit em 2014.

Ele nasceu em Marília, mas morou a vida toda em Pompéia, ambas cidades do interior Paulista.

Guto sempre foi muito ligado a tecnologias, como ele mesmo disse quando contou sua história no blog da empresa em abril deste ano.

“Comecei minha vida de atendimento ao cliente e gestão de comunidade aos 11 anos, quando moderava fóruns de servidores de Ragnarok Online” — um jogo online com milhares de jogadores.

Aos 14, ele teve contato com o trabalho formal, quando recebeu uma bolsa de menor aprendiz em uma empresa de máquinas agrícolas, onde colaborou por dois anos.

Publicidade

Guto não parava. Em 2011 ele e mais duas pessoas construíram um quadriciclo elétrico e participaram de uma Olimpíada estudantil e garantiram a medalha de bronze.

Dois anos depois voltaram à competição e ganharam a medalha de prata pela criação de uma empilhadeira elétrica.

Mas ainda não era o que o jovem procurava. Ele deixou a equipe e focou no estudo de Sistemas de Informação e num estágio que conseguiu como programador web.

Primeiro ‘contato’ com bitcoin

Guto disse que seu primeiro contato com a criptomoeda foi devido a sua incessante curiosidade por tecnologia, principalmente pelas novas.

Em meados de 2011 ele acabou lendo algo sobre o bitcoin, mas “o conteúdo era muito técnico e escasso”, então ele não deu muita bola.

Dois anos se passaram e o acaso batia novamente à sua porta. Ele viu o bitcoin sendo notícia em várias mídias devido à sua valorização.

Publicidade

“Aí a curiosidade voltou! Por volta de 2013, entrei em um grupo do Facebook chamado ‘Bitcoin Brasil’ e comecei a estudar mais sobre o assunto. Comprei placa de vídeo, minerava litecoin e escrevia vários artigos para blogs”, contou o empresário.

Logo veio um ‘estalo’. Guto criou o site ‘Pague com Bitcoin’. Ele acreditava que a plataforma ajudaria o bitcoin a ser algo mais utilizável. O projeto deu certo e existe até hoje, porém administrado por outra pessoa. Guto queria mais.

O mariliense começou, então, a mandar currículo para o novo setor — ele se ofereceu para trabalhar de graça em alguma corretora a fim de dobrar seus conhecimentos. Mesmo assim, Guto não obteve retorno.

O empresário já havia juntado algum dinheiro, mas talvez não o bastante para empreender sozinho.

No entanto, entre inúmeras troca de ideias com colegas da comunidade, dentre eles, João Canhada, Guto estava certo de que o próximo passo seria a criação de uma corretora de criptomoedas.

“Eu já ganhava meu próprio dinheiro, então a ideia de empreender parecia natural e um novo desafio”.

Foi uma decisão difícil, pois Guto não tinha todo o apoio da família e estava trancando sua sua faculdade — algo que realmente deixa qualquer pai ou mãe triste, ainda mais sabendo que o investimento seria em uma área desconhecida.

Foxbit: O início

Guto contou que, antes de tudo, a criação da Foxbit aconteceu principalmente devido à confiança entre eles, pois, com o andar da carruagem na época, parecia haver poucas chances da empreitada dar certo. Eles persistiram.

Publicidade

“Ceia de um lado, notebook do outro”.

Guto e seus sócios trabalhavam duro. “Não importava se era Natal, Ano Novo, Páscoa… com o notebook aberto e a ceia ao lado, estávamos disponíveis para resolver o problema dos clientes o tempo todo”, disse.

Essa perseverança de atender os clientes a qualquer momento fez com que a Foxbit ganhasse confiança na comunidade.

Desta forma, a empresa foi crescendo e começou a contratar mais colaboradores para seu primeiro escritório na Zona Sul de São Paulo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”