Imagem da matéria: Caso do trader brasileiro que perdeu dinheiro de investidores ao vivo completa um ano sem solução
Trader Vinicius Ibraim apagou as redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

Há cerca de um ano, o trader brasileiro Vinicius Loureiro Ibraim virou manchete nacional depois de perder em apenas um dia todo dinheiro de vários investidores em operações no mercado financeiro. Na mesma semana do ocorrido, início de novembro de 2020, revelou-se que os investidores faziam parte de um fundo de investimentos que levava o seu nome e que prometia uma rentabilidade fixa de 2% por mês.

Logo que ocorreu a perda, Vinícius desapareceu por quase uma semana, enquanto surgiam nas redes sociais rumores de que o prejuízo tinha sido na casa dos 30 milhões. Vários investidores do fundo formaram então grupos para encontrar um jeito de cobrar o dinheiro de volta. Contudo, o trader até agora não deu as caras, nem mesmo com seu nome na Justiça.

Publicidade

O Portal do Bitcoin, que foi um dos primeiros veículos a noticiar o assunto na época, voltou a procurar vítimas do trader e advogados que os representa na Justiça.

Anna Paula Cambahuba, advogada que representa nove clientes do ‘fundo do Vinicius’, disse à reportagem que ainda não houve uma audiência com o trader por conta das dificuldades de encontrá-lo, “pois muda de endereço sempre!”.

“Tentamos inúmeras vezes a composição amigável para resolver o problema, mas não obtivemos nenhuma posição dos advogados dele”, disse Anna Paula, acrescentando que soube de uma informação que Vinícius está operando ainda no nome de familiares.

O montante dos valores que o escritório que Cambahuba representa pede na Justiça é de quase R$ 900 mil, afirmou a advogada. Quando questionada se o caso também é investigado na esfera criminal, a advogada afirmou que sim, em decorrência de boletins de ocorrência feitos por clientes.

Publicidade

“Existe procedimento na Polícia Federal e na Polícia Civil de Campinas”, concluiu Cambahuba.

“Não pagou ninguém”

A reportagem falou também com alguns investidores que aguardam o desfecho do caso. Um deles, que preferiu não se identificar, disse: “Não pagou ninguém e sumiu! Troca de endereço e arrumou laranjas para operar e colocar os bens dele!”.

Também citando o termo ‘laranja’, outro investidor consultado pela reportagem disse que Vinicius Ibraim tem fugido por várias cidades.

“Sabemos que ele utiliza laranjas para arrumar dinheiro. Por exemplo, nos foi falado que ele tem uma empresa no nome de outra pessoa que não tem nenhuma relação com ele de parentesco”, disse a vítima que também preferiu falar sob anonimato.

O Portal do Bitcoin não conseguiu contato com a defesa de Vinícius Ibraim. O escritório que o representava na época do ocorrido deixou o caso no mesmo mês, por volta da segunda quinzena de novembro de 2020.

Processos na Justiça

Até meados de novembro do ano passado, Ibraim já havia sido citado em pelo menos duas dúzias de processos cujos autores pediam o dinheiro investido de volta — ele também vendia cursos presenciais de day trader por R$ 5 mil e dizia ser um trader com 20 anos de experiência. Outro ponto é que o fundo do Vinícius não tinha autorização da CVM e nem mesmo um CNPJ.

Publicidade

Em um dos processos, um investidor entrou com uma ação alegando ter perdido pouco mais de R$ 400 mil com o trader. Em decisão publicada ainda em novembro de 2020, o juiz Gilberto Luiz Carvalho, da 6ª Vara Cível de Campinas (SP), decidiu determinar o bloqueio do montante.

Perda milionária

Uma semana depois do ocorrido e um dia após virar notícia no mundo dos investimentos, Vinícius Ibraim gravou um vídeo prometendo pagar a todos o prejuízo.

Sobre o valor perdido na operação, ele afirmou ter sido na casa dos R$ 700 mil. No entanto, depois da interação, o trader sumiu de novo e não mais reapareceu em suas redes sociais onde tinha milhares de seguidores.

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo