Imagem da matéria: Caixa Econômica encerra contas de pelo menos cinco empresas de bitcoin em 10 dias
Foto: Shutterstock

A Caixa Econômica Federal encerrou nos últimos dez dias pelo menos cinco contas bancárias de empresas do setor de criptomoedas. Algumas delas foram surpreendidas com o encerramento e estão com dinheiro preso; outras receberam a conhecida notificação de “desinteresse comercial”. 

O caso mais recente ocorreu na sexta-feira (12). Lenno Nascimento, diretor de operações da Citcoin, afirmou que foi surpreendido com a mensagem “conta encerrada”.

Publicidade

A conta da OTC da Foxbit também foi encerrada. Outros dois empresários de mesas de operações, que pediram anonimato, também confirmaram o fechamento das contas em duas situações bem diferentes. Um deles recebeu a notificação do gerente e teve 15 dias para retirar o saldo; o outro foi pego de surpresa e agora luta para desbloquear um valor de R$ 100 mil.

Algo que é comum aos casos é que a maior parte dos empresários afirma que eram de contas que tinham baixa movimentação financeira — o que sugere se tratar de uma ação deliberada da Caixa Econômica. É possível que outras empresas cinco tenham tido as contas fechadas, mas não foi possível confirmar. Questionado pelo Portal do Bitcoin, o banco estatal não respondeu até a publicação desta reportagem.

Em um caso atípico, a Walltime também teve a conta fechada, mas foi reaberta após 5 cinco dias. “Está tudo normal agora”, disse Igor Ribeiro, que trabalha na corretora.

Surpresa da Caixa Econômica

Nascimento, da Citicoin, contou ter ficado surpreso: “Eu estava fazendo uma venda de bitcoin na OTC, então enviei para o meu cliente a conta da Caixa Econômica para ele fazer o depósito, mas quando fui acessar a conta vi que ela estava encerrada”.

Publicidade

A mesma mensagem pedia para que ele procurasse a agência. E, foi o que ele fez. No entanto, nem o gerente dele sabia explicar o que teria motivado o encerramento:

“Ele disse apenas que e recebeu um e-mail de cima com uma ordem para fechar”.

A conta não era movimentava grandes valores. Segundo Nascimento, se tratava de uma conta de pagamento e não de custódia. E havia nela menos de R$3 mil. O dinheiro não foi bloqueado. 

“O valor foi transferido para a conta no Banco do Brasil”, disse.

Como a conta foi encerrada antes mesmo de a transação ter sido completada, não houve prejuízo ao cliente da OTC que teve a conta encerrada. Nascimento disse, porém, que essa não é a primeira vez que um banco encerra a conta de sua empresa sem dar qualquer explicação.

“Não explicou nada. Não disseram nada. Foi a mesma coisa que aconteceu com a nossa conta no Bradesco e o Itaú. O Bradesco só falou o motivo porque a gente forçou. A gente brigou na Justiça e tudo”.

Publicidade

Pior do que isso, sequer notificaram a empresa que atua no mercado cripto. Segundo Nascimento nem e-mail enviaram:

“Não tem nada sobre o encerramento da conta. Já olhei tudo aqui no e-mail. Da Caixa só tem o e-mail do consórcio e de outros produtos que temos junto com o banco”. 

Com as contas encerradas no Santander, Bradesco, Itaú e agora na Caixa Econômica, a empresa de Nascimento só tem contas no Banco do Brasil, Brasil Plural e Neon. 

Outras contas encerradas

O empresário que teve R$ 100 mil bloqueados disse que a conta não era muito usada:

“Não recebemos notificação, mas pode ser que tenham mandado para outro endereço. Não usávamos muito essa conta. Faz pouca diferença para gente. Só quero recuperar o dinheiro que tava na conta e vida segue”.

A Foxbit também passou pela experiência recente de conta encerrada na Caixa Econômica, mas não foi a conta da corretora e sim uma OTC Foxbit invest. A empresa, por meio de sua assessoria de comunicação, informou que não seria algo que causaria impacto nos negócios:

“A conta da Foxbit exchange foi fechada há aproximadamente 7 meses, mas foi possível manter aberta via liminar e segue normal desde então”. 

Publicidade

A conta fechada semana passada foi da outra empresa, da OTC da Fox. A corretora já entrou com recurso para abrir novamente, mas como não faz custódia não teve nenhum impacto aos clientes, e a operação continua normalmente através de outras contas.

*Colaborou Cláudio Goldberg Rabin

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Imagem da matéria: Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao "Faraó do Bitcoin"

Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao “Faraó do Bitcoin”

Réu é acusado de ser responsável pela segurança do criador da GAS Consultoria e vender armas para a organização criminosa
Nathalia Arcuri falando em evento

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria de conteúdo via blockchain

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria via blockchain e promovem educação financeira de criptoeconomia gratuita
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais