Imagem da matéria: Cade investiga Itaú e Rede por política de taxas em maquininha de cartões
Foto: Divulgação/Rede

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) investiga o Itaú e a Rede, credenciadora de cartões. De acordo com o UOL, o órgão quer informações sobre a decisão da Rede de zerar a taxa de antecipação de recebíveis.

A Rede havia anunciado o fim da taxa nas vendas à vista e a redução do prazo de recebimento para dois dias. Como o benefício só vale para clientes do Itaú, entidades do setor veem risco de prejuízo para a concorrência por venda casada, disse o site.

Publicidade

As mudanças entraram em vigor no dia 2 de maio e afetam lojistas com faturamento de até R$ 30 milhões por ano, uma iniciativa da Rede contraria decisões anteriores do Cade.

O órgão já multou bancos por discriminarem clientes de outras credenciadoras. Segundo o artigo, o Cade também investigará se há prática de preço predatório e subsídio cruzado.

Com o anúncio dessa estratégia pela Rede, houve forte queda nas ações de seus concorrentes. As ações da Cielo recuaram 7,3% no pregão da B3, em São Paulo. Em Nova York, as ações da Stone perderam 23,7% e as da PagSeguro caíram 9,7%.

Rede e Itaú investigados antes

Em 2018, o Cade fez acordo com o Itaú e a Rede para encerrar um processo que avaliava práticas anticoncorrenciais, como a recusa de permitir acesso a outras credenciadoras. O banco pagou, então, R$ 21 milhões para encerrar a investigação.

Publicidade

Havia suspeita de contratos de exclusividade com estabelecimentos comerciais e práticas como venda casada, retaliação e discriminação na cobrança de tarifas.

Também no ano passado, o Cade firmou acordo com a Cielo em processo sobre condutas anticompetitivas e a multa paga pelos bancos controladores (Bradesco e Banco do Brasil) foi de R$ 33,8 milhões.

Para os especialistas no setor, a atitude da Rede pode configurar como ‘venda casada’ – a credenciadora exige que o cliente tenha conta no Itaú para ter direito ao benefício da taxa zero na antecipação de recebíveis das compras à vista.

A ‘venda casada’, crime previsto no Código de Defesa do Consumidor, é quando a aquisição de um serviço é condicionada à compra de outro produto do mesmo fornecedor, sem que exista necessidade para tal compra.

Publicidade

Em nota, a Rede afirmou que “está convicta” de que a medida “beneficia milhões de clientes ao isentá-los de uma taxa que impacta de maneira relevante o pequeno e médio negócio, além de posicionar o mercado brasileiro em um patamar mais próximo das práticas internacionais”.

A empresa informou ainda que não vai alterar os demais preços praticados nem haverá qualquer tipo de subsídio para compensar a taxa zerada.


Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Quase 80% dos brasileiros desejam mais regulamentação em cripto, aponta pesquisa

Pesquisa que abrangeu América Latina teve 827 respondentes no Brasil, entre usuários e não usuários de criptomoedas
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação
homem segura com duas mãos uma piramide de dinheiro

Polícia do RJ investiga grupo acusado de roubar R$ 30 milhões com pirâmide financeira

Para ganhar a confiança dos investidores, a empresa fraudulenta fazia convites para assistir jogos de futebol em camarote do Maracanã
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo