Imagem da matéria: "Bull market será em 2024", diz fundador da Huobi, citando halving como motivo
Foto: Shutterstock

O co-fundador da Huobi, Du Jun, prevê que o mercado de criptomoedas está no início de um “bear market’ (longo período de desvalorização) e que um “bull market” só deve ocorrer em 2024 ou 2025 e há um motivo para isso: o halving na mineração de Bitcoin, que irá reduzir a recompensa dos mineradores dos atuais 6,25 BTC para 3,125 BTC.

Em entrevista ao canal CNBC, o executivo disse o mercado de criptomoedas tem um ciclo “que ecoa os halvings de Bitcoin”. Segundo Du Jun, as altas de 2017 e de 2021 foram consequências (não só, mas em grande parte) dos halvings de 2016 e 2020.

Publicidade

Halving é o nome do processo pelo qual o projeto do Bitcoin administra as recompensas que os mineradores recebem por adicionar blocos à blockchain. O projeto prevê que a cada 210 mil blocos minerados, o que equivale a cerca de 4 anos (um bloco é adicionado a cada 10 minutos, em média), a recompensa cai pela metade.

Inicialmente, em 2009, o pagamento era de 50 bitcoins; em 2012 foi para 25, em 2016 para 12,5 e em 2020 para 6,25.

“Seguindo esse ciclo, estamos no início de um bear market e um bull market só irá ocorrer em 2024 ou 2025”, disse.

Mas o executivo lembrou que previsões no mercado de criptomoedas são sempre perigosas: “É muito difícil de prever com exatidão, pois existem tantos fatores que podem também podem afetar o mercado, como questões geopolíticas e a recente pandemia de Covid-19”.

Publicidade

Huobi Global

A Huobi é a sexta maior corretora de criptomoedas do mundo, movimentando US$ 1,2 bilhão por dia, segundo dados do Coinmarketcap.

A empresa era muito popular na China e sofreu um golpe duro quando o país asiático baniu totalmente as criptomoedas. A Huobi decidiu dissolver sua subsidiária ‘Beijing Huobi Tianxia Network Technology Limited’, baseada em Beijing, na China, em novembro do ano passado.

Na mesma época a empresa passou a enfrentar problemas regulatório em vários locais. A Huobi Global incluiu Singapura em sua lista de jurisdição restrita e por isso vai ter que encerrar as contas de todos os usuários locais até 31 de março de 2022 para cumprir as regulamentações.

“Huobi Global não pode mais oferecer serviços para usuários baseados em Singapura”, diz um trecho da nota. A empresa lamentou a decisão e agradeceu os clientes. Em seguida, alertou os usuários da plataforma a tomar medidas imediatas, fechar posições de trading e sacar suas criptomoedas antes da data mencionada. 

Publicidade

Em julho de 2021, a exchange, que possui várias filiais espalhadas pelo mundo, tomou a mesma medida a usuários dos Estados Unidos, Canadá, entre outros países, que também estão proibidos de negociar na plataforma.

A Huobi pretende compensar o déficit de usuários explorando novas jurisdições, pois sua receita corre o risco de cair pela metade. Para se ter uma ideia, uma pesquisa recente do Independent Reserve concluiu que 40% da população de Singapura possui alguma criptomoeda.

VOCÊ PODE GOSTAR
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino
Mineração

Mineradores de Bitcoin disputam mercado com Inteligência Artificial antes do halving, diz Bernstein

Um novo relatório da empresa de investimento destaca o aumento da concorrência entre dois setores que exigem energia e poder de processamento
Imagem da matéria: Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Dados do Banco Central mostram que a importação de criptoativos saltou de US$ 1,4 bilhão no primeiro bimestre de 2023, para US$ 2,9 bilhões no início deste ano
Imagem da matéria: Briga entre Elon Musk e Alexandre de Moraes pode tirar o X do ar no Brasil?

Briga entre Elon Musk e Alexandre de Moraes pode tirar o X do ar no Brasil?

Troca de farpas entre Elon Musk e ministro do STF levanta possibilidade de suspensão do X/Twitter no país