Tanque durante combate
Shutterstock

A DefiLlama, plataforma de análise das finanças descentralizadas (DeFi), está tendo que lidar com uma espécie de guerra civil nos últimos dias, depois que um colaborador bifurcou a rede sem o endosso dos demais, em uma suposta tentativa de emitir um token nativo.

O conflito, que fez com que DefiLlama ficasse com duas plataformas online – uma oficial e uma “pirata”, criada pelos membros rebeldes -, veio à tona através de um tweet no domingo (19) feito pela conta @0xngmi.

Publicidade

“A equipe DefiLlama está está bifurcando a plataforma. @Defillama está passando por uma aquisição hostil. Há uma tentativa contínua de lançar um token que não nos representa. Não queremos ser associados a ele”, escreveu o usuário. Ele também instou o público a seguir dois novos endereços: A plataforma Llama.fi e a conta @llamadotfi no Twitter.

Outro colaborador da DefiLlama, que usa o pseudônimo Tendeeno, jogou a culpa do conflito na falta de receita do projeto e afirmou que se opõe à ideia de lançar um token, alegando que seria uma mancha na reputação do projeto. Para ele, além de ser uma ação feita contra a vontade de uma maioria da equipe, ele afirmou que o lançamento de um ativo impediria o andamento do projeto.

Contudo, ele afirmou que a DefiLlama não gera receita e que isso seria a causa para o lançamento de um token, ou seja, ele lança uma premissa sobre “como a equipe é remunerada”.

A conta da DefiLlama no Twitter, com 169 mil seguidores, parece ter apenas um controlador. Perguntada na sexta-feira (17) sobre “quando um token Llama?”, a conta respondeu: “Nós só precisamos de um para governar todos”.

Publicidade

DefiLlama fica com duas plataformas online

Segundo o site The Block, ‘0xngmi’ é um dos principais colaboradores do aplicativo DefiLlama no Github. Por conta disso, vários contribuidores do código compartilharam seus comentários.

Por outro lado, a empresa controladora da DefiLlama, a Llama Corp., negou que uma emissão de tokens estava em andamento, sugerindo que as ações de 0xngmi são independentes, disse o The Block, que divulgou o endereço da nova plataforma, chamada Llama.fi.

Pelo menos dois nomes estão por trás da fundação da DefiLlama, relata a reportagem: Charlie Watkins e Ben Hausermas tentam se manter discretos, assim como muitos outros funcionários do projeto, que também se usam pseudônimos.

Por volta das 11h desta segunda-feira (20), a nova conta indicada por 0xngmi para a DefiLlama no Twitter contava com mais de 9 mil seguidores. A conta oficial da DefiLlama no twitter tem cerca de 170 mil seguidores.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

O usuário foi atingido por fogos de artifício em uma live de divulgação do seu token
Imagem da matéria: Ex-diretor da FTX é condenado a 7,5 anos de prisão — mas poderá ficar com seu Porsche

Ex-diretor da FTX é condenado a 7,5 anos de prisão — mas poderá ficar com seu Porsche

Ryan Salame, o ex-colaborador da FTX de Sam Bankman-Fried, foi condenado a 90 meses de prisão nesta terça-feira
Fazenda de Mineração de criptomoedas Salto del Guairá Paraguai -ANDE

Paraguai usa inteligência artificial para encontrar fazenda ilegal de mineração de Bitcoin

Autoridades apreenderam 176 ASICs em Saltos de Guairá com ajuda de sistema que mede a tensão de redes elétricas
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns