Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin
Marco Legal das Criptomoedas no Brasil foi sancionado em dezembro de 2022 (Foto: Shutterstock)

O brasileiro tem um portfólio de criptomoedas mais diversificado do que a média dos pares latino-americanos. O dado vem de um estudo que a corretora Bitso fez junto aos seus oito milhões de clientes espalhados por Brasil, México, Argentina e Colômbia. 

O cliente brasileiro da Bitso tem em sua carteira 17% de altcoins (criptomoedas que não são Bitcoin), contra 11% na média da região. Um dado notável é que 3% das reservas totais (incluindo todas as criptomoedas) dos clientes brasileiros da Bitso são em Shiba Inu (SHIB). 

Publicidade

Mas a predileção pelas altcoins não diminui o apetite por Bitcoin: o brasileiro tem 58% do seu portfólio em BTC, a maior taxa entre os países analisados. A média da região no investimento da maior criptomoeda do mercado é de 53%.  

Já o oposto ocorre com a segunda maior. O brasileiro tem em média 9% de Ethereum na sua carteira, contra 20% na média da região. 

“Apesar dos desafios enfrentados pelo setor cripto, os dados que reunimos revelam que a confiança dos investidores se manteve sólida em 2023. O interesse em moedas digitais mais consolidadas, a maior diversificação dos casos de uso e a segurança de plataformas transparentes impulsionaram a adoção contínua de criptomoedas”, aponta Gabriel Alves, Vice-Presidente Global de Produto da Bitso. 

Mulheres em cripto: avanços notáveis

Embora, historicamente, dominado por homens, o setor de criptomoedas na América Latina está testemunhando um aumento na participação das mulheres, com exemplos significativos no Brasil e na Colômbia.  

Publicidade

A adoção de cripto pelo público feminino aumenta ainda mais de acordo com a faixa etária. O relatório da Bitso aponta taxas notáveis de 41% entre 55 e 64 anos e 43% para 65 anos ou mais. Isso sugere uma conexão entre a idade avançada e a capacidade das mulheres de adquirir criptomoedas.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza e ETFs captam US$ 130 milhões, maior entrada em quase um mês

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza e ETFs captam US$ 130 milhões, maior entrada em quase um mês

Os ETFs de Bitcoin não registravam uma captação tão grande de fundos desde 7 de junho
Imagem da matéria: Sydney Sweeney tem Twitter hackeado para divulgação de golpe cripto

Sydney Sweeney tem Twitter hackeado para divulgação de golpe cripto

Mais um dia, mais um hack de celebridade: a atriz Sydney Sweeney teve sua conta no X invadida (novamente!) para promover um golpe de pump-and-dump
homens em miniaturas lidando com moeda gigante de bitcoin

Venda de Bitcoin com prejuízo por mineradores é sinal que moeda pode ter atingido um fundo

O hashrate do Bitcoin está diminuindo, assim como em dezembro de 2022 — depois disso, aumentou 4 vezes em 15 meses
Jerome Powell, presidente do Fed, mostrado em tela de computador

O que o discurso do presidente do Federal Reserve hoje significa para o Bitcoin?

“Acreditamos que o fundo do poço ficou para trás ou muito próximo e recomendamos aumentar a exposição à medida que o Bitcoin ganha impulso”, disse um analista