Imagem da matéria: Brasileiro acusado de golpes com bitcoin é sequestrado e espancado até devolver dinheiro
Marlon Gonzalez Motta no Copacabana Palace (RJ) em março de 2019. Imagem: Repodução/Instagram

A Polícia Civil de Brasília investiga o sequestro de Marlon Gonzalez Motta, acusado de aplicar golpes em investidores usando Bitcoin e outra criptomoedas. Conforme o site Metrópoles, o jovem, que tem 23 anos, foi pego por dois empresários ao sair de uma festa no último domingo.

A dupla, diz a reportagem, teria sido vítima de um golpe. Eles estavam armados e conseguiram render os seguranças de Marlon e levá-lo para um cativeiro. O suposto estelionatário levou coronhadas na cabeça e, com as armas apontas para sua cabeça, foi obrigado a transferir R$ 152 mil em Bitcoin para duas carteiras.

Publicidade

Marlon ficou conhecido por levar uma vida de ostentação amplamente documentada em seu perfil do Instagram. Marlon finge ser megainvestidor e tem persuadido vários operadores financeiros a pagarem fortunas em transações envolvendo criptomoedas. Ele usa as redes sociais para retratar seu sucesso, com lanchas, carros de luxo e viagens a locais paradisíacos.

Ainda de acordo com o site de brasiliense, após ser libertado o jovem foi deixado nas proximidades de um hospital.

No dia seguinte, investigadores da polícia identificaram os sequestradores, que foram presos no local do cativeiro. Um deles foi flagrado limpando o sangue de Marlon que escorrera até o chão.

A dupla, que não teve o nome revelado, vai responder por extorsão qualificada e porte de arma. Vão, contudo, responder ao processo em liberdade.

Publicidade

Golpes e Bitcoin

A Polícia Civil do DF já vinha investigando vários golpes financeiros aplicados por Marlon. Ele era acusado de usar bitcoin e criptomoedas para atrair vítimas e de viaja o mundo procurando jovens investidores.

De acordo com o Metróles, Marlon pode ter feito mais de R$ 3 milhões com falsas promessas. Os golpes são aplicados em jovens da alta classe que ele geralmente aborda em festas e que estão começando a atuar no mercado financeiro.

Ele já é conhecido da polícia de Taguatinga e responde a pelo menos cinco inquéritos. Dentre eles estão crimes comuns de fraude, estelionato e associação criminosa.

O golpista foi descoberto após um cúmplice ser pego com identidade falsa. Por meio da averiguação da polícia, foram encontrados com ele documentos que comprovam sua relação com a empresa M3 Private, de propriedade de Marlon.

VOCÊ PODE GOSTAR
Homem aponta controle para TV que emerge imagens em 3D

‘TV 3.0’ que chegará ao Brasil em 2025 vai precisar de internet ou conversor? Entenda

Novo sistema de transmissão para TVs promete enviar som e imagem com qualidades maiores, além de maior interatividade com o espectador
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Receita alerta sobre golpe do “erro na declaração” do Imposto de Renda; veja como se proteger

Os criminosos informam supostos erros em declarações para induzir a vítima a baixar um arquivo malicioso
Tela de celular mostra logo da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil CVM

CVM ganhou R$ 832 milhões com multas aplicadas em 2023, um aumento de 1.791%

A autarquia também registrou o maior número de casos julgados desde 2019
homem segura com duas mãos uma piramide de dinheiro

Polícia do RJ investiga grupo acusado de roubar R$ 30 milhões com pirâmide financeira

Para ganhar a confiança dos investidores, a empresa fraudulenta fazia convites para assistir jogos de futebol em camarote do Maracanã