Imagem da matéria: "Bolsonaro não quer e o assunto está encerrado", diz presidente do Banco do Brasil sobre privatização
Rubens Novaes, presidente do BB (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

Defensor da privatização do Banco do Brasil, o atual presidente da instituição, Rubem Novaes, descartou essa possibilidade e diz que o “assunto está encerrado”.

Em audiência pública na Câmara dos Deputados na terça-feira (10), Novaes afirmou que o assunto “está fora de cogitação” no momento.

Publicidade

“A privatização do banco é uma questão política. Todos sabem meu posicionamento, mas o que importa é que o presidente [Jair Bolsonaro, presidente da República] disse que não vai privatizar e o assunto está encerrado. Mesmo que fosse a decisão do Executivo, teria que passar pelo Congresso, teria que ser lei”.

Bolsonaro foi eleito presidente com a promessa de realizar uma série de privatizações de organismos estatais para enxugar a máquina pública. Ele tem no seu ministro da Economia, Paulo Guedes, um entusiasta da desestatização.

Algumas instituições, no entanto, ainda devem ficar de fora dessa lista de privatizações e seguir sob controle do governo federal – entre elas, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e a Petrobras.

Resistência política

O assunto privatização costuma rondar tanto o Banco do Brasil quanto a Caixa Econômica Federal. No entanto, até pelas funções que ambos exercem junto à economia e ao setor financeiro nacional, essa tarefa é mais complexa do que parece. Além disso, como lembrou Novaes, precisaria passar pelo crivo do Congresso Nacional.

Publicidade

A fala do deputado Ricardo Barros (PP-PR), vice-líder do governo no Congresso e contrário à privatização do Banco do Brasil, durante a audiência na Câmara, serve como exemplo da resistência do Legislativo à ideia.

“Ele é o banco do agricultor brasileiro, encarregado do fomento à produção, do agronegócio, que é o maior negócio do Brasil. É o que garante a nossa balança comercial, e é o que nos dá a capacidade de crescimento econômico”, afirmou.

Sobre a Caixa recaem atribuições como o financiamento ao sistema habitacional, pagamento de benefícios de programas sociais, acesso a crédito para população de baixa renda, entre outras.

Competição com o Banco do Brasil

No final de outubro, Novaes havia dito que a privatização do Banco do Brasil “seria inevitável”, frente aos avanços da tecnologia no setor bancário e ao crescimento das fintechs no mercado.

Publicidade

“Com as amarras que uma empresa pública tem, vai ser muito difícil o ajustamento, no horizonte de dois, três, quatro anos, a esse novo mundo de open banking e das fintechs. Fica muito difícil em uma instituição ligada a governos acompanhar esse ritmo. Competimos com uma espécie de bola de ferro na canela”, afirmou Novaes à época, durante palestra na Associação Comercial do Rio.

Em um movimento para se adequar a essa nova realidade, o Banco do Brasil tem feito investimentos em inovação tecnológica – sendo um dos destaques do Prêmio Relatório Bancário 2019, condecorado em quatro categorias.

Em relação à estrutura física, a instituição também anunciou programa de demissão voluntária para reduzir o quadro de funcionários. E vai transformar parte de suas agências em postos avançados de atendimento – menores e mais baratos de serem mantidos.

Dentre os grandes bancos que atuam no Brasil, o Banco do Brasil foi o que mais sofreu mudanças administrativas entre setembro de 2018 e setembro de 2019. O número de agências teve uma queda de 11% — de 4.147 para 3.684.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
Nathalia Arcuri falando em evento

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria de conteúdo via blockchain

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria via blockchain e promovem educação financeira de criptoeconomia gratuita
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube