Imagem da matéria: Bithumb Confirma Montante Roubado, Caça Hacker e Garante Indenização a Investidores
(Foto: Shutterstock)

A Bithumb confirmou oficialmente o roubo de criptoativos no valor de US$ 30 milhões, resultado de uma invasão hacker na plataforma no dia 19 de junho. Segundo a CCN, a equipe da exchange na última quarta-feira (20) notificou várias plataformas sobre o incidente e deu detalhes.

“Verificamos que algumas criptomoedas, avaliadas em cerca de US$ 30 milhões, foram roubadas. Todos os criptoativos estão sendo transferidos para a nossa carteira fria (off-line) e o prejuízo será coberto pela Bithumb”, dizia um dos comunicados.

Publicidade

No entanto, a corretora rapidamente retirou sua declaração sem fornecer nenhum esclarecimento sobre a situação. Segundo alguns usuários, um porta-voz da empresa disse que o comunicado foi excluído porque ele foi aconselhado a esperar uma investigação mais abrangente dos fatos, principalmente sobre segurança.

A estratégia da empresa era confirmar o roubo, porém já com alguma notícia boa, visto que seus desenvolvedores e equipe de segurança estavam mobilizados num processo de recuperação. Na ocasião, a empresa já informava que havia suspendido temporariamente todos os depósitos e retiradas.

“Após o incidente, realizamos rapidamente o procedimento que era relatar imediatamente à KISA (Agência de Segurança da Coreia do Sul), mas à medida em que a gente tentava um processo de recuperação a escala geral de danos diminuía, disse a equipe da Bithumb.

O valor de US$ 30 milhões informado pela exchange era uma estimativa do montante de fundos que estavam vulneráveis à violação. Depois de uma investigação realizada com o apoio da KISA os desenvolvedores e especialistas em segurança descobriram um método para recuperar uma parte dos fundos roubados.

Publicidade

Na tarde desta quinta-feira (21) a exchange sul-coreana fez uma atualização no seu site e relatou possibilidades reais de reduzir o prejuízo anunciado.

“Nós anunciamos cerca de 35 bilhões de KRW (wons coreanos) em perdas. A Bithumb está reduzindo a quantidade de danos através de um processo de recuperação que está em curso. Os números futuros deverão ser menores”, comunicou a corretora, de acordo com a Coindesk.

Além disso, a Bithumb ressaltou que mantém os fundos da empresa e dos clientes separadamente e que “o grupo acredita que você pode usar a exchange com segurança”.

Até o momento a bolsa ainda não forneceu detalhes sobre como o ataque foi realizado ou quais criptomoedas e em que quantidades foram extraídas, embora se acredite que a XRP (Ripple) foi um dos alvos.

Publicidade

Em um comunicado de imprensa, também divulgado nesta quinta-feira, a Associação Coreana de Blockchain (Korea Blockchain Association), que é um grupo autorregulatório formado por bolsas de valores e startups de blockchain, chamou o hacker de “embaraçoso”.

A associação também salientou que ocorrências como estas, com grandes corretoras, são “uma boa maneira de proteger usuários”.

Quanto maior a bolsa, maior a segurança

O recente ataque de hackers da Bithumb demonstrou a importância dos investidores utilizarem grandes exchanges para negociar criptomoedas.

A exchange já declarou oficialmente que compensará totalmente as perdas de seus investidores com o fundo que mantém, que é cerca de 500 bilhões de KRW (won coreano), analisou a CCN.

Até o final de 2017, a Bithumb divulgou que seu patrimônio de criptomoeda era superior a US$ 1 bilhão e que seu lucro líquido é de US$ 300 milhões.

Repercussão

O caso Bithumb repercutiu bastante em todo o mundo. Grandes investidores deram sua opinião sobre o acontecimento. Charlie Lee, fundador da Litecoin em entrevista à CNBC no dia posterior ao ocorrido, foi um deles.

Lee disse que a recente invasão da principal bolsa de criptomoedas “não muda os fundamentos do Bitcoin; da mesma forma que um roubo de banco não deve afetar o preço do ouro”.

Publicidade

“Se a bolsa não protege as moedas bem o suficiente e é hackeada, isso realmente não muda os fundamentos dessa moeda que eles estão protegendo”.

Ele também reiterou que a queda de preço [no mercado de criptoativos] é uma reação típica a estes tipos de notícias, o que “acontece o tempo todo” porque as pessoas ficam com medo.

A história se repete

Não é a primeira vez que a Bithumb tem seu sistema de segurança invadido. No ano passado um relatório do serviço de notícias regional Yonhap indicou que cerca de 30 mil clientes foram prejudicados.

Na ocasião, a fonte do vazamento de dados foi um computador de um funcionário que havia sido invadido por cibercriminosos, o que levou ao roubo de fundos de um número desconhecido de contas.

Como agora, a empresa prometeu ressarcir todos os usuários que sofreram prejuízos, tanto por meio de retiradas indevidas quanto pelo uso dos dados para práticas ilícitas.

Leia também: Análise Técnica Bitcoin 22/06/18

 

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é a melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android:
https://www.bitcointrade.com.br/

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Análise: o preço do Bitcoin está novamente sendo ditado pela política do Fed

“Análise dos últimos 40 dias revela uma maior alinhamento com as expectativas de taxa de juros para junho”, diz firma de análises CoinShares
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Imagem da matéria: '101 Perguntas sobre Bitcoin': Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

‘101 Perguntas sobre Bitcoin’: Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

A obra discorre os princípios técnicos da moeda até suas implicações socioeconômicas no contexto atual, de modo a proporcionar um entendimento profundo ao público geral