Imagem da matéria: Bitcoin, ouro e o S&P 500 estão cada vez mais relacionados
Foto: Shutterstock

O ouro é geralmente considerado uma proteção contra investimentos especulativos. No momento, o preço do Bitcoin está altamente correlacionado com os preços do ouro e das ações americanas. Por que o BTC é bom para touros e ursos ao mesmo tempo?

Enquanto os governos lutam para revitalizar suas economias ao mesmo tempo em que interrompem a disseminação do coronavírus, as hard commodities – aquelas que são mineradas ou extraídas – tornaram-se investimentos populares para especialistas e amadores, que temem uma possível perda de seu poder de compra.

Publicidade

O ouro, é claro, é a commodity por excelência quando se trata de armazenar valor. Na verdade, durante a pandemia do coronavírus, o preço do metal precioso atingiu o valor mais alto de todos os tempos e ainda está subindo. Sua atividade comercial tem aumentado desde o ano passado, mas a impressão maciça de dinheiro pelo governo dos Estados Unidos impulsionou o aumento dos preços.

Nos últimos meses, o Bitcoin também surgiu como uma reserva de valor alternativa ao ouro. Seu preço segue em alta, mesmo se recuperando de uma queda durante o surto do COVID-19.

Na verdade, nos últimos dois meses, a correlação de preços do ouro e do Bitcoin atingiu uma alta recorde, o que significa que seus movimentos de preços se tornaram mais semelhantes.

Correlação entre Bitcoin e Ouro (Fonte: Coinmetrics)

O movimento do preço provavelmente tem mais a ver com o dólar do que com o ouro em si. A moeda dos EUA está se depreciando, e o Federal Reserve decidiu recentemente deixar a inflação subir acima da meta anual de 2%. Isso significa que, com o passar do tempo, as pessoas não podem comprar os mesmos ativos com a mesma quantidade de dinheiro. É quando os hedge se tornam ainda mais importantes.

Publicidade

A correlação recorde entre Bitcoin e ouro indica que os investidores não vêem realmente uma diferença entre os dois, pois eles se comportam da mesma forma e servem ao mesmo propósito como reserva de valor.

Mas não é apenas ouro. O Bitcoin também está relacionado ao S&P 500. Isso porque, enquanto alguns vêem o Bitcoin como uma reserva de valor, outros o vêem como um investimento que pode aumentar sua riqueza.

E para eles, também há um gráfico que conta a história:

Embora eles já tivessem se separado durante a febre do ouro, o Bitcoin e o S&P 500 também alcançaram uma correlação histórica durante a pandemia.

O S&P 500 é um indicador do desempenho das principais empresas dos EUA. A valorização dos mercados é afetada por muitas coisas, incluindo tendências econômicas e geopolíticas.

Publicidade

No final, os gráficos nada mais são do que linhas que explicam o que aconteceu no passado. E, no passado, a correlação aumentou apenas para cair de volta em território negativo, como mostram os dois gráficos. E não importa quão boa seja a análise, ninguém pode ver o futuro. No entanto, a cada dia que passa, parece mais seguro dizer que o Bitcoin fará parte dele para os investidores.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de moeda gigante de Bitcoin observada por investidores e prestes a ser cortada ao meio

Como será o futuro do Bitcoin à medida que recompensas aos mineradores ficam cada vez menores?

O que vai acontecer em 2140, quando os mineradores de Bitcoin não ganharem mais recompensas por blocos minerados?
Brad Garlinghouse, CEO da Ripple , posa para foto

Mercado de criptomoedas vai valer US$ 5 trilhões até final do ano, prevê CEO da Ripple

Brad Garlinghouse justifica seu otimismo pelo halving do Bitcoin e um possível impulso regulatório positivo do mercado cripto nos EUA
Miniaturas de homens em cima de moeda de Bitcoin gigante fazendo medição pela metade

Halving do Bitcoin pode não ter efeito imediato no preço como mercado espera, diz Coinbase

Coinbase disse acreditar que o atual movimento de preços é apenas o começo de uma corrida de alta mais longa
moeda de bitcoin e logo da grayscale ao fundo

ETF de Bitcoin da Grayscale já perdeu 50% de suas reservas de BTC desde janeiro

No mesmo período, os ETFs de Bitcoin da BlackRock e Fidelity ganharam até 32% de participação de mercado