Imagem da matéria: "Bitcoin não vai a lugar algum", diz ex-presidente do BC Armínio Fraga
Arminio Fraga em conferência (Foto: Bel Pedrosa/Fórum Econômico Mundial)

O ex-presidente do Banco Central e um dos economistas mais conhecidos do Brasil Armínio Fraga acredita que o Bitcoin é uma ideia interessante, mas que não tem um futuro promissor. É a primeira vez ele comentou sobre o tema.

“Não vai a lugar algum. O estoque de moeda já não é importante para os bancos centrais, que vão continuar com seus grandes poderes e riscos”, disse em uma live promovida pelo Instituto ProPague na quarta-feira (16) à noite.

Publicidade

Para Fraga, a moeda digital já chegou com os cartões e as maquininhas, além do sistema de pagamentos PIX, outra inovação do Banco Central. Apesar da crítica, economista reconheceu algumas qualidades da tecnologia:

“O tipo de moeda digital que nasceu com o bitcoin e dos modelos de controle chamados distribuídos, que não exigem um autoridade central, é um negócio muito interessante, com elementos técnicos complexos”.

Problemas do Bitcoin

Porém, ele lembrou que o bitcoin é caro e que o preço é muito instável e, portanto, não serviria como referência de unidade de conta. “Pode ser bom para transferir ou esconder o dinheiro”.

Na sua análise, foi criada uma excitação entre libertários e hiper-liberais que não querem nada do governo em suas vidas. “Os que gostavam do padrão-ouro migraram para esse padrão”, afirmou.

Publicidade

“O mundo já é praticamente digital hoje”, prosseguiu. O que Fraga acha estranho é o fato que de que nos países de moeda forte, há um estoque muito grande de notas (papel-moeda), que, segundo ele, no fundo facilitam a vida de bandidos de todos os tipos — de traficantes a sonegadores de impostos.

Já o economista e professor José Alexandre Scheinkman disse que o bitcoin é usado para especulação e não para trocas comerciais. Porém, numa eventual crise da moeda nacional, as pessoas migram para um novo padrão como é o caso da Argentina, onde todo mundo quer dólar.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”