Imagem da matéria: Binance quer voltar ao Japão quatro anos após deixar o país
Foto: Shutterstock

Quatro anos depois de sair do Japão, a corretora de criptomoedas Binance vai tentar obter uma nova licença para operar no Japão.

Fontes inteiradas do assunto contaram à agência de notícias Bloomberg que uma abordagem mais amigável do país às criptomoedas e as oportunidades substanciais de integrar novos usuários estão atraindo a exchange de volta ao país.

Publicidade

A medida ocorre no momento em que o Japão procura adotar políticas mais favoráveis à Web3 sob o comando de seu novo Primeiro-Ministro, Fumio Kishida. 

Kishida tem buscado por um “Novo Capitalismo” como solução para um crescimento lento da economia japonesa, gerando uma nova onda de políticas mais abrangentes no que se refere à taxação e aceitação de criptoativos e NFTs, como forma de atrair soluções inovadoras do setor cripto.

Em um discurso feito em Maio no distrito financeiro de Londres, Kishida disse que o Japão “desenvolverá um ambiente para a promoção da Web3, como blockchain, NFTs e o metaverso.”

Um porta-voz disse à Bloomberg que a Binance está “comprometida em trabalhar com reguladores e formuladores de políticas para moldar políticas que protejam os consumidores, incentivem a inovação e avancem nossa indústria”, mas se recusou a comentar os planos da Binance no Japão.

Publicidade

Binance e o Japão

Se a Binance tiver sucesso na obtenção de uma licença, vai enfrentar também uma forte concorrência: grandes players como a Crypto.com e a FTX já operam no Japão, além da exchange cripto DeCurret, que opera no país desde 2018, e foi comprada no início de 2022 pela Temasek, uma empresa apoiada pelo Fundo Soberano de Cingapura.

O posicionamento mais aberto do Japão em relação aos criptoativos é um tanto diferente da maioria dos outros países, como os EUA e o Reino Unido, especialmente após o inverno cripto que eliminou cerca de US$ 2 trilhões do mercado de ativos digitais e forçou muitas empresas a fecharem as portas.

Mas o governo do país não quer parecer imprudente, tendo aprovado um projeto de lei em junho que obriga as stablecoins a terem lastro em moeda fiduciária corrente, como o Iene Japonês.

A Binance operou pela última vez no Japão em 2018, antes da FSA ter feito o pedido para o fim de negociações no país por falta de uma licença. Em 2021, a FSA emitiu outro aviso à empresa, desta vez por não ter feito os registros corretamente junto ao órgão regulador.

Publicidade

*Traduzido com autorização do Decrypt.co.

Aprenda a ganhar dinheiro com Cripto! Você pode ter acesso a um curso exclusivo com os maiores especialistas em cripto para aprender os fundamentos e as técnicas que te ajudam a navegar nas altas e baixas do mercado. Garanta sua vaga aqui!

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: Standard Chartered prevê qual preço o Bitcoin vai bater em 2024

Standard Chartered prevê qual preço o Bitcoin vai bater em 2024

O banco multinacional britânico voltou à sua posição de alta em relação ao Bitcoin à medida que mais sinais se tornam verdes
Imagem da matéria: Matrixport prevê qual preço o Bitcoin vai fechar o ano de 2023 

Matrixport prevê qual preço o Bitcoin vai fechar o ano de 2023 

Matrixport disse no dia 1º de fevereiro que o Bitcoin iria fechar o ano em US$ 45 mil, cotação que pode ser atingida facilmente no ritmo atual
Imagem da matéria: Pesquisa mostra como Bitcoin e Ethereum são vistos de forma diferentes por investidores institucionais

Pesquisa mostra como Bitcoin e Ethereum são vistos de forma diferentes por investidores institucionais

Levantamento da Bybit mostra que investidores institucionais estão mais otimistas com o Bitcoin, possivelmente por conta da expectativa de aprovação do ETF à vista
Smartphone com logo da Binance sob uma mesa de vidro

Binance libera saques para tokens excluídos e lista nova stablecoin lastreada em euro

A corretora vai dar mais 20 dias para os usuários sacarem seus fundos; veja data