Imagem da matéria: Binance fecha as portas de filial em Uganda
(Foto: Shutterstock)

A Binance Uganda, primeira participação da Binance no mercado africano, está encerrando todos os serviços comerciais em 11 de novembro, depois de interromper os depósitos na semana passada. A Binance havia anunciado anteriormente o fechamento da Binance Jersey, sua bolsa nas Ilhas Britânicas.

A bolsa africana, que foi inaugurada em outubro de 2018, é a representação do esforço da Binance para capitalizar sobre a criptomoeda em um país onde muitas famílias dependem de remessas internacionais, mas não conseguem abrir contas bancárias. A maior bolsa do mundo usou essa realidade como um ponto de partida para alcançar cidadãos em toda a África.

Publicidade

Os usuários da bolsa de criptomoeda de Uganda devem migrar para Binance.com, que agora aceita depósitos de xelim ugandês via Mobile Money, cartões de crédito e débito e transferências bancárias.

De acordo com o CEO da Binance, Chenpeng “CZ” Zhao, a consolidação das bolsas de Jersey e Uganda é uma “decisão de negócios”, já que depósitos de xelim ugandês foram adicionados à bolsa global da Binance junto com as transferências bancárias.

“Todos os recursos que a Binance Uganda oferece [são] agora cobertos pela Binance.com junto com nossos parceiros de canal fiduciário”, disse Zhao ao Decrypt. “Há um número mínimo de usuários lá, então não faz sentido mantermos duas plataformas.”

Mesmo assim, pelo menos até agora, a Binance está mantendo suas outras bolsas locais, incluindo a Binance Singapura. E recentemente anunciou a Binance Turquia.

Publicidade

Para aqueles que procuram um motivo oculto no fechamento, especialmente tendo em vista um relatório recente da Forbes afirmando que a Binance usou sua afiliada nos EUA para driblar regulamentações, Zhao foi rápido em afirmar o contrário.

“Algumas pessoas interpretaram isso de forma errada, como se talvez tivéssemos tido problemas com o regulador local ou algo assim”, disse ele ao Decrypt, referindo-se ao fechamento da Binance Jersey e da Binance Uganda. “E não é esse o caso. Temos boas relações com os reguladores em ambas as áreas. É apenas uma decisão de negócios. ”

No entanto, as perguntas permanecem. Zhao se referiu à Binance Uganda como uma “bolsa independente”, mas isso parece ser de um ponto de vista operacional, ao invés de estrutural. Por exemplo, após uma violação de segurança em 2019 que resultou em US$ 40 milhões em perdas, a Binance Uganda disse aos usuários que seus fundos “estão seguros e segregados da Binance.com”.

Além disso, a Binance Uganda ainda afirmou sua independência em setembro, causando um pequeno alvoroço quando removeu a Binance Coin (BNB) de sua lista, alegando que ela não atendia aos seus padrões comerciais.

Publicidade

Quaisquer que sejam as decisões que estão sendo tomadas – e por quem quer que seja – elas não são suficientes para manter a Binance UG lucrativo. “É um centro de perdas para nós porque não está gerando dinheiro suficiente para ser lucrativo”, disse Zhao, “e todo mundo usa a Binance.com de qualquer maneira”.

Mas a criptomoeda deveria ser lucrativa na África, embora haja algumas evidências de que os usuários de criptomoedas africanos preferem o comércio p2p porque reduz as comissões para as bolsas centralizadas.

Na esperança de fazer incursões com usuários africanos de classe média, a Binance lançou ontem um programa de afiliados que recompensa usuários africanos na Nigéria, Gana, Quênia, África do Sul e Uganda que atraiam pessoas para negociações na bolsa.

De acordo com o anúncio de fechamento da Binance Uganda, os usuários têm até 11 de novembro para encerrar as negociações e até 28 de novembro para fazer o login e retirar fundos.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Briga entre Elon Musk e Alexandre de Moraes pode tirar o X do ar no Brasil?

Briga entre Elon Musk e Alexandre de Moraes pode tirar o X do ar no Brasil?

Troca de farpas entre Elon Musk e ministro do STF levanta possibilidade de suspensão do X/Twitter no país
moedas de bitcoin e ethereum sobre mesa envernizada

Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 70 mil e Ethereum desacelera após maior salto em mais de um mês

Traders de criptomoedas pisam no freio nesta terça-feira (9) depois do rali do Ethereum durante a madrugada
Senado, Congresso, Câmara dos Deputados, Brasília, Parlamento

Segregação patrimonial no mercado cripto será tema de audiência pública na Câmara

Na justificativa para a audiência, o deputado Aureo Ribeiro disse que práticas adotadas por algumas exchanges despertam “graves preocupações”
Dedo indicador apoia bolo de dinheiro em forma digital

Mercado Bitcoin e Escala se juntam em tokenização inédita de R$ 29 milhões em operação na fintech Asaas

Operação viabilizou o acesso de clientes qualificados do MB a investimento na Asaas, antes restrito a grandes fundos de VCs