Imagem da matéria: Binance e Capitual: o que está por trás do rompimento
Foto: Shutterstock

A Binance caminha para completar o quarto dia sem acesso a um parceiro bancário no Brasil que permita aos clientes sacarem ou depositarem em reais na corretora. O rompimento do serviço, até então prestado pelo Capitual, pareceu algo súbito, mas é o acúmulo de um problema que vinha se desenrolando.

A origem do problema está em como as instituições de pagamento são reguladas pelo Banco Central (Bacen). O Capitual, embora gire um grande volume financeiro, não é uma Instituição de Pagamento (IP) homologada. Por isso, a empresa usava os serviços da Acesso Bank, que é uma empresa de pagamentos regulada pelo Bacen.

Publicidade

O Capitual lucrava com os saques dos clientes da Binance e a Acesso, com as taxas de PIX e TEDs e mais as operações com dinheiro que ‘dormia’ na empresa, como é comum nesse segmento.

O problema é o que o Capitual chamou, em nota à imprensa, de uma atualização solicitada pelo Bacen ao Acesso que pedia “contas individualizadas” para a empresa. A suposta notificação do regulador, porém, não foi tornada pública.

Essa distinção de contas individualizadas é importante: antes, a Binance tinha junto ao Capitual e à Acesso diversas ‘contas-mãe’, onde operavam milhares de CPFs — mas os CPFs de cada cliente não estavam registrados na Instituição de Pagamento regulada. Segundo um funcionário ligado ao Banco Central que pediu para não ter o nome revelado, o procedimento é irregular.

Na prática, caso a Binance adotasse a nova regra, todos os seus milhões de clientes no Brasil precisariam criar uma conta na Acesso e fazer um novo KYC. As corretoras Huobi e Kucoin se adaptaram à nova regra, mas a corretora de Changpeng “CZ” Zhao disse que iria procurar outro parceiro para operar os saques e depósitos em BRL. O nome ainda não foi revelado.

Publicidade

Procuradas, a Binance e a Acesso não se manifestaram até a publicação desta reportagem.

Em nota, o Banco Central disse o seguinte:

“A Acesso Soluções de Pagamentos IP é empresa regulada pelo BC, que não comenta a situação específica de qualquer regulado. Não obstante, pode-se afirmar que não houve qualquer ação ou demanda de supervisão à Acesso que destoe daquelas efetuadas para as demais reguladas do mesmo tipo”.

Questionado se o Bacen estaria “puxando a orelha da Acesso”, o mesmo funcionário do órgão comentou:

“O Banco Central não puxa a orelha. Ele desce o cacete”.

Saques e depósitos na Binance

Esse tipo de problema não é incomum no caso da Binance. No ano passado, houve situações semelhantes em países europeus. Em julho, por exemplo, a Clear Junction, plataforma global de pagamentos digitais com sede em Londres, travou o processamento de pagamentos para a corretora. Dias antes o Santander havia tomado a mesma atitude.

A pressão regulatória foi tamanha que, no mesmo período, Tailândia, Singapura e Ilhas Cayman emitiram alertas contra a empresa.

Em junho do mesmo ano, o governo japonês disse que a corretora operava no país sem registro formal. No mesmo mês, a exchange também teve problemas em Ontário, a maior província do Canadá.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Volume de negociação de 'Notcoin' ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Volume de negociação de ‘Notcoin’ ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Jogo Notcoin, baseado no Telegram, lançou mais de 80 bilhões de tokens para cerca de 35 milhões de jogadores em um airdrop
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

GameStop e AMC desabam com fim da euforia do retorno de Roaring Kitty

As ações memes da GameStop e AMC caíram drasticamente após a abertura dos mercados dos EUA na quinta-feira, recuando pelo menos 15%
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

A animação dos investidores fez aumentar em 219% o volume de negociação do Ethereum nas últimas 24 horas
Imagem da matéria: CEO da Grayscale deixa cargo: "Momento certo para transição"

CEO da Grayscale deixa cargo: “Momento certo para transição”

A Grayscale, uma das maiores gestoras de criptomoedas do mundo, anunciou que Michael Sonnenshein está deixando o cargo de CEO