Imagem da matéria: Bebeto, Betty Faria e Beto Jamaica: casa de apostas contrata famosos, mas esconde quem é o dono
Atriz Betty Faria em propaganda de bet (Foto: Reprodução/BetFaria.bet)

Uma misteriosa empresa de apostas está usando o humor para gerar um buzz num mercado bastante concorrido. Lançou três perfis no Twitter para divulgar a plataforma: BetFaria, da ex-atriz global Betty Faria; Betbebeto, do jogador de futebol campeão do mundo em 1994; e BetJamaica, do cantor do Beto Jamaica, famoso pelo É o Tchan. 

Nas biografias dos perfis — turbinados por anúncios no Twitter —, os links levam para hotsites com o mesmo template e estética. Cada um fazendo piadas ou referências à celebridade em questão: na BetJamaica, por exemplo, “seu saque não dança”. Tudo indica que se trata de uma ação de marketing de uma casa de apostas que em algum momento irá afunilar o tráfego para seu site principal, que ainda não foi revelado. 

Publicidade

Conforme aponta a ferramenta de pesquisa sobre domínios na internet Who.is, os três sites foram criados em fevereiro deste ano na plataforma GoDaddy.

Trata-se da a única informação disponível. Todas as outras estão indisponíveis para manter a privacidade do proprietário.

No caso da BetFaria, o proprietário é identificado como Domains By Proxy, que é justamente uma companhia que oferece como serviço aparecer como proprietária de sites em ferramentas que tentam identificar os domínios.

A Domains By Proxy tem como sede a cidade de Tempe, no Arizona (Estados Unidos). É por esse motivo que nos três casos o dono do endereço aparece como sendo desse estado americano em específico — no caso da BetFaria o registro apresentado tem endereço e telefone, ambos da empresa.

Informações do domínio da BetFaria aparecem em nome da companhia Domains By Proxy, que tem como negócio aparecer em casos que o proprietário quer se omitir (Imagem: Reprodução)

Veja abaixo publicações dos três perfis, todos com o selo dourado mostrando que são contas verificadas e oficiais de uma empresa.

Publicidade

“Impossível” processar casa de aposta, dizem juízes

Reportagem publicada no dia 16 de abril no Portal do Bitcoin mostra como clientes da Betano, casa de apostas que patrocinou a Copa do Mundo e o futebol na TV Globo, estão tendo sérias dificuldades para conseguir acionar a empresa quando se sentem lesados. 

Os valores baixos fazem com que os clientes busquem os Juizados Especiais Cíveis, que são cortes onde os processos saem mais baratos e são resolvidos de forma mais rápida. Mas os juízes dizem ser impossível um processo contra a Betano, pois a empresa tem sede em Malta e não tem representação no Brasil, e esses tribunais não têm a estrutura necessária para um procedimento internacional. 

Com isso, resta ao consumidor abrir um processo em uma corte cível, onde tudo será mais demorado e custoso. 

Governo olha para tributação

Fontes próximas aos principais players do segmento de casas de apostas estimaram ao Portal do Bitcoin que o mercado de casas de apostas esportivas online movimenta R$ 12 bilhões ao ano.

Em março, o ministro Fernando Haddad disse em entrevista ao portal UOL que pretende tributar “jogos eletrônicos” como uma maneira de compensar o reajuste da tabela do Imposto de Renda. Não ficou claro se estava falando de cassinos online ou games, mas a agência de notícias Reuters confirmou se tratar de casas de aposta online.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação
Logotipo do token CorgiAI

Mercado Bitcoin lista token CorgiAI

O ativo é ligado a projeto que usa utiliza inteligência artificial para criar uma comunidade de entusiastas no ecossistema cripto
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca