Imagem da matéria: Banco centenário da Austrália será o primeiro do país a aceitar bitcoin
Foto: Shutterstock

O Commonwealth Bank (CBA), banco privado da Austrália com 110 anos de existência, será o primeiro no país a oferecer serviços de compra, venda e custódia de bitcoin e outras criptomoedas, afirmou a instituição nesta terça-feira (03) em comunicado à imprensa.

Segundo a entidade, nas próximas semanas será iniciado um teste-piloto com seus novos parceiros na empreitada, a corretora de bitcoin Gemini, dos irmãos Winklevoss, e a empresa global de análise de blockchain Chainalysis, cujas redes serão integradas ao aplicado do CBA, CommBank app, por meio de APIs.

Publicidade

“O CBA fornecerá aos clientes acesso a até dez criptomoedas, incluindo Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash e Litecoin”, ressalta o banco que tem sede em Sidney, mas possui agências em vários países, como os EUA e Reino Unido, e 15 milhões de clientes em todo o mundo.

Banco quer atender necessidade dos clientes

De acordo com o CBA, os novos serviços foram planejados após uma pesquisa da instituição que revelou um grande número de seus clientes ativos na nova classe de investimentos, porém com aportes em uma variedade de corretoras.

“A crescente demanda por moedas digitais pelos clientes cria desafios e oportunidades para o setor de serviços financeiros, que viu um número significativo de novos participantes e modelos de negócios”, comentou na nota Matt Comyn, CEO do CBA.

Para Comyn, o CBA pode desempenhar um papel importante na criptoeconomia para atender uma clara necessidade crescente do cliente e poder fornecer capacidade, segurança e confiança em uma plataforma de negociação de criptomoedas.

Publicidade

Parceria visa construir padrão internacional

Dave Abner, chefe global de negócios da Gemini, disse que a entrada do Commonwealth Bank no ramo de criptomoedas “desbloqueia o acesso a investimentos em criptomoedas para muitos australianos”. Ele ressaltou:

“O crescimento exponencial de ativos digitais internacionalmente, juntamente com a segurança de nível institucional da Gemini e a abordagem regulatória proativa, posiciona esta parceria para definir um novo padrão para bancos e plataformas financeiras na Austrália e em todo o mundo”, disse Abner.

Para Michael Gronager, CEO e cofundador da Chainalysis, também deixou o seu comentário: “Estamos entusiasmados por fazer parte desta importante aliança com a CBA e nosso parceiro Gemini para desempenhar um papel pioneiro na construção de confiança em criptomoedas no mercado australiano”.

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: MicroStrategy compra mais R$ 3 bilhões em Bitcoin

MicroStrategy compra mais R$ 3 bilhões em Bitcoin

Com a nova aquisição, a MicroStrategy supera a marca de US$ 5 bilhões investidos em Bitcoin
Imagem da matéria: Matrixport prevê qual preço o Bitcoin vai fechar o ano de 2023 

Matrixport prevê qual preço o Bitcoin vai fechar o ano de 2023 

Matrixport disse no dia 1º de fevereiro que o Bitcoin iria fechar o ano em US$ 45 mil, cotação que pode ser atingida facilmente no ritmo atual
Pelé segura taça Fifa me evento

BitGo nega parceria com novo negócio de criptomoedas de filhos e ex-mulher de Pelé

JanBank, que tem familiares de Pelé e um pastor como sócios, será focada em pagamentos com Bitcoin, Ethereum, entre outros criptoativos
Hacker mexendo em notebook com bandeira da Coreia do Norte no fundo

EUA, Coreia do Sul e Japão se reúnem para discutir os roubos de criptomoedas pela Coreia do Norte

Em reunião trilateral em Seul, as autoridades de segurança dos três países também discutiram o relacionamento da Coreia do Norte com a Rússia