Imagem da matéria: Baleia aluga 15 mil BTCs para lucrar com aposta na queda do bitcoin; entenda
Foto: Shutterstock

Uma baleia (investidor com grande quantidade de criptomoedas) pegou emprestado 15.157 bitcoins (cerca de US$ 484 milhões) da corretora Bitfinex na manhã desta sexta-feira (25), em uma operação conhecida como venda a descoberto (ou short). Em poucas horas, ela faturou US$ 24,6 milhões.

Na prática, nesse tipo de movimento a pessoa ou empresa aluga criptomoedas da exchange por um tempo determinado para devolvê-las no futuro, na esperança de o preço cair. Se o BTC desvaloriza, ele fica com a diferença; se sobe, fica no prejuízo.

Publicidade

“Caso a criptomoeda caia, é muito lucro. Para cada dólar que cai ele ganha US$ 15.157”, disse o trader Daniel Duarte à reportagem do Portal do Bitcoin.

O BTC saiu de US$ 33,6 mil para US$ 31.974 desde que a baleia fez o aluguel das criptomoedas, uma queda de 4,84% e de US$ 1.626 em números absolutos, conforme o Índice do CoinDesk.

Nesse período, portanto, o trader pode ter faturado pelo menos US$ 24,6 milhões em poucas horas.

“Ele deve ter algum tipo de insider que sabia que o preço iria cair. Me parece ser algum minerador ou player gigante”, disse Duarte.

Insider é o nome dado aquela pessoa que tem alguma informação privilegiada. No mercado tradicional e regulamentado, isso é proibido.

Publicidade

Por que o preço caiu?

Duarte explicou que a própria operação gera FUD no mercado e faz a criptomoeda desvalorizar.

“O preço caiu porque quando uma operação nesse volume acontece os robôs enxergam e entendem como um sinal bearish (com tendência de baixa). Fora que nessas proporções o livro da Bitifinex é limpado”.

“Além disso, quando as pessoas enxergam uma transação nesse volume ficam com medo. É quase uma profecia autorrealizável”, falou Duarte.

O criador da corretora PagCripto, Carlos Lain, disse à reportagem que, como o mercado está caindo, é normal que a demanda por bitcoin para alavancar esteja maior.

“Ela (baleia) sustentou uma força de short alta, deixando a taxa para pegar empréstimo de BTC para shortar muito barato. Tem que ter coragem”, falou.

Publicidade

O trader Marcel Pechman, também colunista do Portal do Bitcoin, disse que esse tipo operação é feita apenas por quem tem bastante conhecimento no mercado:

“Assumindo que ele está short (seco), se o preço subir acima de US$ 33,6 mil (possível preço do aluguel) esse cara entra no prejuízo. Esse tipo de operação, portanto, é coisa de expert, ou de quem quer enganar o mercado, porque você pode alugar só de zoeira e não shortear”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Investidores de Solana perdem R$ 2,3 milhões após bot de Telegram ser invadido

Investidores de Solana perdem R$ 2,3 milhões após bot de Telegram ser invadido

O Solareum está encerrando suas atividades depois de sofrer uma aparente invasão que drenou carteiras de 300 usuários
Imagem da matéria: Falha técnica faz Bitfinex interromper temporariamente trade de criptomoedas

Falha técnica faz Bitfinex interromper temporariamente trade de criptomoedas

A corretora suspendeu as negociações na noite passada para investigar um problema inesperado
Leão com corrente de bitcoin

Aprenda a declarar criptomoedas no Imposto de Renda 2024

Operações com criptomoedas feitas ao longo de 2023 devem ser informadas à Receita Federal até o dia 31 de maio de 2024
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

O que é restaking? Tendência polêmica do Ethereum agora é mercado de US$ 8 bilhões 

Protocolos de restaking que permitem gerar nova liquidez com tokens já travados na rede são vistos como “risco sistêmico” por Vitalik Buterin, criador do Ethereum