Imagem da matéria: Atualização do Ethereum que reduzirá oferta de ETH chega em fase final
Foto: Shutterstock

O hard fork London, uma atualização programada para a rede Ethereum, está abrindo caminho para a rede de testes. Tim Beiko, da Fundação Ethereum, anunciou neste sábado que London estará ativo na rede de teste Ropsten por volta de 24 de junho, seguido por Goerli em 30 de junho e Rinkeby em 7 de julho. (Todas as datas são estimativas e podem mudar um pouco dependendo de quanto tempo leva para os blocos serem minerados.)

“Assim que a atualização for ativada com sucesso nessas redes testes, um bloco será definido para a rede principal do Ethereum”, observa o post do blog. Isso deve ser em julho.

Publicidade

A atualização London implementará cinco Propostas de Melhoria Ethereum (EIPs) separadas, que são mudanças no código do blockchain que devem ser amplamente acordadas pelos membros da comunidade antes de serem adotadas.

A mudança mais polêmica é o EIP-1559, originalmente sugerida pelo criador do Ethereum Vitalik Buterin, que altera a forma como as taxas de rede funcionam e como os mineradores são compensados.

Atualmente, toda vez que alguém faz uma transação ou interage com um contrato inteligente no Ethereum, ele deve decidir sobre uma taxa, o que é mais ou menos um jogo de adivinhação. Para realizar uma transação rapidamente, você pode definir uma taxa alta, quase garantindo que os mineradores a incluam em um bloco. Se você pagar uma taxa baixa, sua transação provavelmente vai esperar até que os mineradores estejam menos ocupados processando transações de alto valor. A velocidade é importante em vários casos, incluindo ao negociar em bolsas descentralizadas baseadas em Ethereum, como Uniswap, onde os preços de token podem oscilar rapidamente; os traders perdem dinheiro se esperarem.

Para resolver esse problema, o EIP-1559 dobrará a capacidade dos blocos.

“Isso implica que, na maioria das vezes, os blocos terão um ‘extra’ de 100% de sua capacidade que podem preencher com transações. Portanto, desde que a transação seja enviada com uma taxa superior à BASE FEE e inclua uma gorjeta para o minerador, ele será incluído no próximo punhado de blocos. ” (Se a rede estiver super congestionada, a estrutura de taxas usará o sistema de leilão atual.)

Publicidade

A transparência adicionada é cobrada como uma melhoria na experiência do usuário. Alguns mineradores, no entanto, afirmam que isso é prejudicial à sua experiência. De acordo com o EIP-1559, essa taxa básica é “queimada” (ou seja, retirada de circulação) em vez de ir para os mineradores. A ideia é transformar a ETH, que não tem limite de oferta como o Bitcoin, em um ativo deflacionário – ou, pelo menos, criar alguma “pressão deflacionária”.

Menos ETH em circulação deveria teoricamente ser bom para os mineradores porque pode aumentar a demanda e o preço do Ethereum..

SparkPool, o maior pool de mineração de Ethereum, não está persuadido e se manifestou contra a mudança. Em fevereiro, ele escreveu: “EIP 1559 é redistribuição de riqueza, do minerador para o detentor. É por isso que tantas pessoas o apoiam … Mas é uma tirania da maioria em nome de uma UX melhor (na verdade, não ). É roubo. “

Enquanto Londom estiver apenas nas redes de teste, é apenas um “roubo” experimental. Mas a atualização está quase ativa.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co

VOCÊ PODE GOSTAR
Foco em uma moeda dourada de Ethereum (ETH)

ETFs de Ethereum: aqui estão todas as solicitações aguardando aprovação da SEC

O prazo de decisão da SEC para os produtos propostos com Ethereum varia de final de maio a início de agosto
bitcoin e ethereum em grafico vermelho de queda

Bitcoin e Ethereum passam a cair e provocam liquidações de US$ 150 milhões

Tanto o Bitcoin quanto o Ethereum despencaram na manhã de sexta-feira (10), provocando uma onda de liquidação de longo prazo
Imagem da matéria: Desafio do Ethereum é criar interoperabilidade entre segundas camadas, afirmam especialistas

Desafio do Ethereum é criar interoperabilidade entre segundas camadas, afirmam especialistas

Integrar as dezenas de redes de segunda camada é o próximo grande passo, tanto para programadores quanto usuários finais