Imagem da matéria: Atualização do Bitcoin Ordinals pode criar um fork centralizado, diz criador do BRC-20
Foto: Shutterstock

Uma atualização planejada do protocolo Bitcoin Ordinals pelo marketplace UniSat BRC-20 não é segura e é efetivamente um fork do protocolo BRC-20, afirmou o criador do padrão BRC-20, Domo, na terça-feira (2). O empreendedor também disse que o plano proposto pode levar a bugs e dará muito controle à empresa.

“Reconhecendo as sérias implicações e avaliações envolvidas, acredito que apressar essas atualizações no BRC-20 é imprudente, desconsidera seus indexadores de pares e pode prejudicar a comunidade mais ampla de usuários do BRC-20”, escreveu o pseudônimo desenvolvedor de Bitcoin no Twitter.

Publicidade

Os comentários de Domo vieram em resposta a um tweet da UniSat sobre seus planos para a próxima atualização dos Ordinals.

“A UniSat seguirá a atualização Jubilee do Ordinals para confirmar que o BRC-20 ainda está no Ordinals sem se dividir em um protocolo isolado”, disse a empresa no Twitter, acrescentando que um white paper será lançado em 31 de janeiro.

Lançada em abril de 2023, a UniSat é a empresa por trás da extensão e carteira de mesmo nome do Google Chrome, que fornece soluções para gerenciamento de tokens BRC-20 na blockchain Bitcoin.

Os críticos dos planos da UniSat, no entanto, afirmam que o “protocolo isolado” ao qual a empresa se refere é o padrão Domo introduzido no início deste ano.

Publicidade

O último drama em torno dos Ordinals surgiu depois que Domo anunciou o lançamento da fundação Layer 1 na segunda-feira, junto com o agregador Bitcoin Ordinals BestinSlot e o desenvolvedor de carteira Bitcoin Oyl Dymanics.

Domo lançou o protocolo BRC-20 para as populares inscrições do Ordinals em março, depois que o desenvolvedor original Casey Rodarmor introduziu as inscrições em janeiro. O protocolo BRC-20 permite aos usuários cunhar memecoins na rede Bitcoin.

A fundação Layer 1, disse Domo, é uma organização sem fins lucrativos dedicada a garantir que o padrão BRC-20 permaneça livre de “controle corporativo centralizado”, acrescentando que a fundação mantém atualmente um indexador que visa garantir “a segurança de todos os fundos mantidos em ativos BRC-20″.

A Layer 1 Foundation chamou o tweet da UniSats de enganoso.

“A UniSat ‘não se dividir’ com o Ordinals é uma divisão de fato com a comunidade BRC-20 restante e o indexador BRC-20 da Domo”, disse um porta-voz da Fundação Layer 1 ao Decrypt. “Por razões de segurança, Domo já havia anunciado a intenção da comunidade de não atualizar para a nova versão do Ordinals até que houvesse testes e coordenação suficientes; no entanto, a UniSat está subitamente avançando com uma abordagem diferente”.

Publicidade

Centralização em debate

Na indústria de blockchain, um fork refere-se a uma divergência no protocolo, levando à criação de uma nova ramificação de uma blockchain existente, que geralmente também continua em frente. Bitcoin Cash e Bitcoin SV foram forks do Bitcoin Core ou Ethereum Classic da Ethereum ou vice-versa. Os forks geralmente acontecem quando há divergências dentro da comunidade sobre a direção do projeto ou quando um novo recurso ou versão diferente do protocolo é introduzido.

A atualização Jubilee do Ordinals, explicou Domo, é significativa porque a maioria das atualizações do Ordinal é compatível com versões anteriores, enquanto a atualização Jubilee não é.

“[A atualização Jubilee] altera a validade de vários tipos de inscrição, o que tem efeitos na lógica do BRC-20”, disse Domo ao Decrypt.

Um problema com o lançamento de um fork do protocolo BRC-20, disse Domo, é a falta de testes e validação do protocolo pela comunidade.

“Não há tempo para testar a atualização com segurança, o que pode levar a bugs”, disse Domo. “Além disso, há ainda menos tempo para coordenar e validar a atualização em toda a comunidade de indexadores”.

Publicidade

Procurando apoiar o que chamou de “abordagem sem fins lucrativos e que prioriza a segurança para a manutenção deste protocolo”, Domo pediu à comunidade BRC-20 que rejeitasse o fork proposto pela UniSat.

“A segurança e a robustez do protocolo devem sempre vir em primeiro lugar com o desenvolvimento responsável de padrões”, disse Domo. “Bugs na versão mais recente do pedido são encontrados até hoje, solidificando a necessidade de tempo para testar, coordenar e validar”.

“É muito perigoso permitir que uma única entidade corporativa controle o padrão sem responsabilização”, concluiu Domo.

O fundador da carteira UniSat, Lorenzo, discordou da avaliação de Domo sobre a situação do BRC-20.

“A atualização Jubilee é significativa tanto para Ordinals quanto para BRC-20”, disse Lorenzo ao Decrypt. “Para Ordinals, serve como um upgrade para se libertar dos fardos históricos, reduzindo comportamentos indefinidos. Para o BRC-20, a atualização estabelece uma base aprimorada e robusta para o desenvolvimento futuro”.

Lorenzo rejeitou a noção de que a atualização Jubilee causará problemas técnicos ao BRC-20, dizendo que problemas de engenharia são comuns.

“Acreditamos que os benefícios de longo prazo para todo o ecossistema fazem com que a atualização Jubilee valha a pena”, disse ele.

Lorenzo disse que a UniSat inicialmente concordou com o congelamento de 0,9 sob o entendimento de que era uma medida temporária. No entanto, surgiram preocupações quando se tornou aparente que o congelamento poderia evoluir para um distanciamento permanente dos Ordinals, ameaçando a compatibilidade futura.

Publicidade

Em resposta, Lorenzo disse que a UniSat optou por não seguir este curso de ação e seguir seu próprio caminho.

“Observando a falta de iniciativa do grupo L1F para ir além do congelamento de 0,9, a UniSat prefere resolver os problemas e retomar o movimento em vez de ficar permanentemente desligado”, disse Lorenzo. “Apesar da potencial divisão, a UniSat valoriza a manutenção do BRC-20 em Ordinals para facilitar a interação perfeita com outros protocolos na mesma plataforma”.

De acordo com Lorenzo, a UniSat está priorizando a implementação bem-sucedida da atualização Jubilee.

“Se o nosso objetivo fosse o fork do BRC-20, houve momentos mais oportunos nos últimos dez meses que teriam sido mais vantajosos para nós”, disse ele.

“A UniSat, como provedora de serviços, prioriza a facilidade de interação entre o BRC-20 e outros protocolos dentro da base compartilhada dos Ordinals”, disse Lorenzo, acrescentando que entende a relutância de Domo em “alcançar os Ordinals”.

Lorenzo disse que a UniSat se destaca na criação e entrega de soluções como Ordinals, acrescentando que sua abordagem foi eficaz no ano passado e espera-se que continue a ter sucesso.

“Construir ferramentas e serviços com base nesses protocolos tem mais valor para nós do que um fork em qualquer protocolo único”, concluiu Lorenzo. “Esta abordagem provou ser eficaz nos últimos 12 meses e provavelmente demonstrará o seu valor num futuro próximo”.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance
Imagem da matéria: As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

Enquanto outras empresas gastam milhões em candidatos pró-cripto, Joe Lubin diz ao Decrypt que a Consensys resistiu ao impulso
Imagem da matéria: Plume, blockchain de tokenização de RWA, capta US$ 10 milhões em rodada de investimento

Plume, blockchain de tokenização de RWA, capta US$ 10 milhões em rodada de investimento

Plume hospeda mais de 80 projetos RWA, abrangendo itens colecionáveis, ativos alternativos, sintéticos, bens de luxo, imóveis, DeFi e muito mais
Donald Trump é fotografado em comício nos EUA

Trump agora aceita doações em Bitcoin e cumpre promessa com relação às criptomoedas

Bitcoin, Ethereum, Dogecoin, Solana, Shuba Inu e XRP estão entre criptomoedas aceitas pela candidato Donald Trump