Imagem da matéria: As maiores pagadoras de dividendos da Bolsa em 2021
(Foto: Shutterstock)

Acompanhe a seguir a lista com as ações que não só apresentam retornos maiores que a Taxa Selic, mas que podem chegar a até 20%.

Mas antes de apresentar a lista, um contexto é sempre bem-vindo. Após quase 6 anos seguidos de reajuste para baixo, o Copom determinou uma elevação na Taxa Selic na última reunião.

Publicidade

Nesse caso, a taxa básica de juros passou de 2% para 2,75%, um aumento que surpreendeu parte dos especialistas do mercado, que estimaram uma elevação de 0,50 pontos percentuais.

Além disso, a autoridade monetária já deixou o aviso de que na próxima reunião a Selic possa aumentar novamente, para 3,5%. Sendo assim, a informação é importante visto que uma alteração na Taxa Selic impacta, sobretudo, os ativos de menor risco que se baseiam nela, como o Tesouro Selic, por exemplo.

Por outro lado, a renda variável não deixa de ter o seu valor, considerando a importância da diversificação para bons retornos de sua carteira. E entre uma das estratégias nessa área, está o foco em dividendos, que ainda apresentam bons retornos.

Pensando nisso, acompanhe os critérios para a lista abaixo e, finalmente, veja quem são as maiores pagadoras de dividendos da Bolsa para 2021.

Publicidade

Critérios

Em primeiro lugar, a seleção de ações escolheu um grupo de empresas que possuam um valor de mercado acima de R$ 500 milhões e com volume diário de suas ações em patamares acima de R$ 100 mil.

Em seguida, ocorreu a listagem das empresas que apresentaram o maior DY, isto é, o Dividend Yield. Em resumo, o DY se trata de um indicador que reflete o cálculo envolvendo os dividendos pagos por ação divididos pelo valor unitário da ação. 

Nesse caso, o DY é um dos principais indicadores desse tipo de investimento, mas vale lembrar que a união com outros indicadores é o que fortalece uma análise mais assertiva.

Resultados

Considerando os critérios mencionados, a primeira colocação ficou com a Copasa (CSMG3), com DY de 20,10%.

Em segundo lugar, apareceu a Direcional (DIRR3), apresentando DY de 10,10%, enquanto a terceira posição foi ocupada pela companhia de energia Transmissão Paulista (TRPL4).

Publicidade

Em síntese, a lista completa com as 10 maiores pagadoras de dividendos é a seguinte:

PosiçãoEmpresaTickerSegmentoDYPayout
1CopasaCSMG3Água e Saneamento20,10%139,10%
2DirecionalDIRR3Incorporações12,70%165,50%
3ISA CTEEP – Transmissão PaulistaTRPL4Energia Elétrica10,10%49,60%
4WizWIZS3Corretoras de Seguros10,00%53,60%
5EletrobrasELET6Energia Elétrica9,70%65,00%
6TaesaTAEE11Energia Elétrica9,00%48,90%
7CespCESP6Energia Elétrica8,20%43,10%
8Cyrela Commercial PropertiesCCPR3Exploração de Imóveis8,20%111,10%
9RomiROMI3Máq. e Equip. Industriais8,10%92,40%
10CyrelaCYRE3Incorporações7,30%41,20%

Com alta de 0,75% na Selic, o que fazer com seus investimentos?Não só a parte de dividendos recebeu uma revisão na busca para as melhores oportunidades, mas o investimento em renda variável em geral, também. Considerando o novo cenário, vale a pena entender melhor qual é a dinâmica entre a Taxa Selic e os investimentos, a sua importância e, mais do que isso, entender qual é o caminho para se sair bem nesse quadro atual.

VOCÊ PODE GOSTAR
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Números e letrs douradas sob um placa formam símolo do Real brasileiro

5 vantagens da tokenização de ativos do mundo real (RWA) | Opinião

Para o autor, a custódia de RWA tokenzados é um elemento crucial para a democratização do acesso aos investimentos
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira