Imagem da matéria: Argentina proíbe compra de dólares para quem adquiriu criptomoedas nos últimos três meses
Argentina vive momento de grande incerteza econômica (Imagem: Shutterstock)

A Argentina, um país atingido pela inflação altíssima, está proibindo os traders de Bitcoin de comprar dólares americanos à taxa de câmbio oficial em uma tentativa de domar a fuga de capitais.

Em um anúncio de quinta-feira, o banco central do país disse que aqueles que compraram Bitcoin ou qualquer outro ativo digital com pesos nos últimos 90 dias não poderão acessar o mercado único de câmbio livre (Mercado Único y Libre de Cambio—MULC) e comprar dólares à taxa oficial.

Publicidade

A ideia é impedir que o dinheiro saia do país – o que pode ser feito facilmente com criptomoedas e dólares. Se uma pessoa ou empresa tiver pesos em sua conta e usá-los para comprar dólares americanos de uma bolsa regulamentada, eles poderão usar esses dólares para investir em criptomoedas como Bitcoin.

https://twitter.com/FinanzasArgy/status/1550420453453402112?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1550420453453402112%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fdecrypt.co%2F

Isso significaria que os dólares americanos, de certa forma, deixariam o país, o que seria ruim para a economia da Argentina. No país sul-americano – que tem a terceira maior economia da América Latina – o governo de centro-esquerda do presidente Alberto Fernandez está apertando os controles cambiais e aumentando as taxas de juros para controlar a inflação.

A Argentina tem uma das maiores taxas de inflação do mundo. No momento, uma taxa anual de 64%, segundo o banco central. Essa é a segunda maior da região depois da crise da Venezuela.

A alta taxa de inflação no país sul-americano faz com que o mercado de criptomoedas seja grande na Argentina: o Bitcoin é sem dúvida uma aposta melhor do que o peso argentino, que está rapidamente perdendo valor. Os Bitcoiners há muito afirmam que o ativo funciona como uma proteção contra a inflação, já que o fornecimento das moedas digitais é limitado a 21 milhões. E apoiadores como a Human Rights Foundation rotineiramente apontam para as economias problemáticas da América do Sul como lugares onde o Bitcoin encontra seu verdadeiro caso de uso.

Publicidade

Em maio, o maior banco da Argentina, o Banco Galicia, com sede em Buenos Aires, lançou um serviço de criptomoedas para clientes, disponibilizando Bitcoin, Ethereum, USD Coin e XRP para compra – um serviço que pode já não ser mais tão popular agora com as novas restrições do banco central.

*Traduzido com autorização do Decrypt.co.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Dogecoin está se aproximando de uma "cruz dourada": o que isso significa?

Dogecoin está se aproximando de uma “cruz dourada”: o que isso significa?

Média móvel simples de 50 semanas (SMA) do preço spot da Dogecoin está atualmente em alta e pode passar barreira das 200 semanas
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto
Imagem da matéria: Desenvolvedor da Solana rouba R$ 1,6 milhão de investidores para apostar em jogos de azar

Desenvolvedor da Solana rouba R$ 1,6 milhão de investidores para apostar em jogos de azar

“O que vier a seguir está nas mãos de Deus”, disse o dev após assumir o roubo
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”