Imagem da matéria: Anunciantes Ultrapassam Bloqueio dos Anúncios De Criptomoedas Com Truques De Marketing
Os anunciantes conseguiram passar o bloqueio ao trocar “cryptocurrency” (criptomoeda) por “c-currency” (Foto: Pixabay)

No inicio deste ano, o gigante de mídias sociais Facebook anunciou que ia banir anúncios relacionados com criptomoedas e opções binárias, algo que de acordo com a empresa ia ajudar a proteger seus usuários. Porém, na verdade, os anunciantes continuam conseguindo passar pelo bloqueio.

De acordo com utilizadores no Reddit, os anunciantes conseguem ultrapassar o bloqueio do Facebook de forma fácil, com pequenos truques de marketing. Para que um anúncio seja de qualquer forma publicado, basta evitar termos proibidos, que envolvem criptomoedas, bitcoin, ICOs, e afins.

Publicidade

De acordo com um exemplo popular, os anunciantes conseguiram passar o bloqueio ao trocar “cryptocurrency” (criptomoeda) por “c-currency”.

A proibição do Facebook, como reportado pelo Portal do Bitcoin, cobriu também as suas outras plataformas, incluindo o Instagram. Isto fez com que os anunciantes perdessem um alcance de mais de um bilhão de usuários.

Esta não é a primeira vez que os anunciantes conseguem passar o bloqueio da empresa de Mark Zuckerberg, que já em fevereiro revelou que “a aplicação [do bloqueio] começará a aumentar nas plataformas do Facebook nas próximas semanas.”

Face a notícias que expunham o sucesso dos anunciantes, um representante do Facebook disse (traduzido):

“Podemos confirmar que este anúncio violou nossa política e foi removido. Desde o anúncio desta política, nossos sistemas têm trabalhado continuamente para melhor detectar práticas publicitárias enganosas e ilusórias; percebemos que a imposição talvez nunca seja perfeita, por isso agradecemos que você e nossa comunidade divulguem anúncios que não pertencem ao Facebook.”

É notável que o Facebook não foi a única plataforma a bloquear anúncios relacionados com criptomoedas e ofertas iniciais de moedas (ICOs). O Google anunciou que ia fazer o mesmo pouco tempo depois, com o Twitter a seguir no mês de Março. A plataforma de email marketing MailChimp seguiu o caminho destas empresas.

Isto fez com que algumas associações de criptomoedas processassem estas empresas pelo bloqueio. De acordo com estas associações, a ação dos gigantes tecnológicos constitui um cartel que visa manipular o mercado.

Publicidade

Leia Também: Conta @bitcoin no Twitter Retorna ao Ar e Volta a Promover Bitcoin Cash

 

BitcoinTrade

BitcoinTrade é a plataforma mais segura do Brasil para comprar e vender Bitcoin e Ethereum, junte-se agora a mais de 135 mil clientes satisfeitos. Gerencie também suas moedas digitais utilizando nosso aplicativo para dispositivos com iOS ou Android. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Bitcoin salta 6% e supera US$ 66 mil conforme a inflação desacelera nos EUA

Bitcoin salta 6% e supera US$ 66 mil conforme a inflação desacelera nos EUA

“Os números do CPI dos EUA desencadearam uma ruptura na faixa de ativos de risco”, disse a empresa de Cingapura QCP Capital sobre a alta do Bitcoin
Costas de um policial de Hong Kong

Empresário e filho se entregam à polícia após sequestrarem investidora de criptomoedas

A dupla teria tentado acertar as contas com a mulher de 55 anos que teria intermediado um investimento de cerca de R$ 10 milhões em criptomoedas
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
Imagem da matéria: Tom Brady é ridicularizado por ligação com FTX em especial da Netflix

Tom Brady é ridicularizado por ligação com FTX em especial da Netflix

Brady e sua ex-esposa, Gisele Bündchen, adquiriram uma participação acionária na falida FTX em 2021