Imagem da matéria: Análise Técnica Bitcoin 04/02/18

O preço do Bitcoin caiu acentuadamente na semana passada e foi negociado perto dos US$ 7.500. Houve uma quebra abaixo de uma linha de tendência de alta com suporte em US$ 10.800 no gráfico de 4 horas, desencadeando a queda.

O preço do Bitcoin está se recuperando e luta para continuar acima dos US$ 9.000, podendo voltar a cair.

Publicidade

Resistências Bitcoin

Na semana passada, vimos um declínio monstruoso no preço do bitcoin, que começou em US$ 11.000, marcando assim uma das piores semanas da história da criptomoeda.

O preço quebrou os níveis de suporte de US$ 10.000, US$ 9.000 e US$ 8.000, encontrando o fundo em US$ 7.500, desde então ele começou a se recuperar aos poucos.

O preço se movimentou acima do nível de retração Fibonacci de 23,6% do último declínio. No entanto, existem muitas resistências na parte superior perto dos níveis de US$ 9.500, US$ 9.650 e US$ 10.000. No momento, o preço enfrenta os vendedores perto do nível de retração de 38,2% de Fibonacci da última queda.

Acima de US$ 9.350, há uma resistência perto de US$ 9.650. Para a parte superior, há uma linha de tendência de baixa com resistência em US$ 10.300.

Portanto, não será fácil a recuperação atual continuar acima dos níveis de US$ 9.500 e US$ 10.500.

*A análise foi traduzida do site NewsBitcoin e não é uma indicação de compra ou venda.

Para acompanhar os gráficos em tempo real de qualquer moeda, acesse nossa página de cotações, clicando aqui.

 

BitcoinTrade

A primeira plataforma Brasileira que você pode comprar com segurança utilizando o seu Cartão de Crédito como forma de pagamento. Eles aceitam Visa e Mastercard. A BitcoinTrade ainda conta com certificação de segurança PCI Compliance, a única no Brasil. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Bitcoin pode cair até US$ 50 mil em breve, alerta analista brasileiro

Bitcoin pode cair até US$ 50 mil em breve, alerta analista brasileiro

Analista da Foxbit avalia gráficos do Bitcoin e aponta que preços devem continuar pressionados ao longo da semana