Imagem da matéria: Alter conecta a criptoeconomia e o sistema financeiro tradicional em uma conta digital completa
Foto: Divulgação

São Paulo, Abril de 2021– Criado em 2018, o Alter nasceu com o intuito de melhorar a experiência na utilização de criptomoedas no mercado brasileiro, possibilitando seu uso no dia a dia. A fintech proporciona a união do sistema financeiro tradicional com a criptoeconomia, consolidando, em um único aplicativo, uma carteira de bitcoins integrada a uma conta digital completa e um cartão pré pago VISA.

Em maio de 2018, ainda como PagueCripto, o Alter deu início às suas atividades com uma plataforma web em que os usuários podiam pagar boleto e efetuar transferência bancária utilizando diversas criptomoedas, dentre elas: Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum, Litecoin, Decred, IOTA, NANO e Dash. Com o passar dos meses, os fundadores perceberam que os clientes estavam utilizando bastante a plataforma para efetuar o pagamento de seus cartões de crédito ou para recarregar a conta de um banco digital. Foi o insight necessário para pivotar o modelo de negócios e dar o próximo passo.

Publicidade

Ainda no final de 2018, a empresa deu um salto de evolução e começou a construção de um banco digital que oferecesse um cartão recarregável com criptomoedas. Durante o desenvolvimento desse novo serviço, percebeu-se que a solução poderia ser muito mais robusta. Desta forma, a PagueCripto funcionou da maneira original – ou seja, possibilitando o pagamento de boletos e transferências bancárias com criptomoedas – até junho de 2019, quando o produto Alter foi apresentado ao mercado.

O Alter é uma conta digital integrada com uma exchange de criptomoedas, em que os clientes podem transacionar reais ou bitcoins no mesmo app, utilizando um cartão VISA. Essa integração permitiu trazer as criptomoedas digitais para o mundo real. Com isso, as pessoas que têm bitcoins podem, com alguns toques na tela, converter suas criptomoedas para reais e então usar o dinheiro por meio do AlterCard VISA – ou até mesmo sacá-los na rede do Banco 24Horas.

Em setembro de 2020, o Alter lançou uma captação inédita no setor de criptomoedas e levantou recursos via Equity Crowdfunding: foram mais de R$2 milhões, com cerca de 750 investidores, na operação realizada por meio da plataforma CapTable.

Ainda no final de 2020, a empresa anunciou o Criptoback, o primeiro serviço de cashback em bitcoins de cartão do país. Visando popularizar ainda mais o bitcoin no Brasil, tem funcionamento muito simples: cada compra utilizando o cartão rende entre 0,5% e 1% de cashback na carteira de bitcoins poucos dias depois diretamente na carteira Alter.

Publicidade

Em março de 2021, o Alter anunciou a integração completa com o Pix, sendo a primeira empresa do setor de criptomoedas a possuir essa experiência. Com isso, os usuários já podem depositar bitcoins e enviar Pix em questão de segundos, para qualquer pessoa.

“O ano de 2021 tem sido até o momento um mercado fantástico para as criptomoedas. O Alter é um player estrategicamente posicionado no mercado brasileiro, com uma solução madura e o único a possuir uma completa integração ao sistema bancário nacional, promovendo uma experiência singular aos nossos clientes e liderando o tom de inovação do setor no Brasil. Não iremos parar por aqui e vamos levar as criptomoedas para todas as pessoas do Brasil”, revela Vinicius Frias, co-fundador e CEO do Alter.

O Alter cresceu mais de 113,6% no primeiro trimestre de 2021, saltando para mais de 60 mil contas ao final de março. O faturamento mensal no mesmo período cresceu acima de 175% e a empresa está operando no break-even (com geração de caixa positiva, diferente das maioria das fintechs do país, inclusive as grandes empresas do mercado).

Até o final do ano, o Alter quer ser o principal criptobank do país e entregar a melhor experiência cripto do Brasil para seus clientes.

Publicidade

Produtos e Serviços

AlterConta

A AlterConta é o principal serviço do Alter para o público cripto no Brasil. A AlterConta se baseia em uma conta digital padrão, com a adição de funções específicas para usuários de criptomoedas. Os principais serviços oferecidos são:

Serviços bancários

  • Pagamento de boletos;
  • Transferências gratuitas para contas de outras titularidades (TED/DOC);
  • Transferências gratuitas via Pix com cadastro de chaves;
  • Cartão Internacional VISA pré-pago (AlterCard);
  • Cartão de crédito pré-pago virtual (AlterCard virtual);
  • Recarga de celular.

Serviços cripto

  • Compra e venda de bitcoins;
  • Transferências gratuitas de bitcoins entre AlterContas;
  • Transferência gratuita de cBRL (stablecoin) para qualquer carteira;
  • Criptoback: retorno automático em bitcoins (cashback) de parte do valor das compras feitas por meio do AlterCard físico ou virtual.

AlterCard

O Alter fornece aos usuários da AlterConta o cartão AlterCard VISA físico e virtual. Ambos são do tipo pré-pago e por isso sua utilização deve ser na função crédito à vista. Isso significa que o valor das compras feitas com eles debitam diretamente dos reais depositados em sua conta Alter.

Os cartões AlterCard contam com os benefícios VISA, como o Vai de VISA e o VISA Causas. Assim, os clientes podem ter acesso a promoções e ofertas exclusivas, além de poder apoiar causas como educação ou cuidados com animais.

Criptoback

O Criptoback é um programa inovador no mercado brasileiro que devolve um percentual do valor da compra – acima de R$10,00 – em bitcoins aos clientes mediante o uso do cartão AlterCard VISA físico ou virtual. O serviço entrou em operação em janeiro de 2021 e teve sua operação simplificada ao máximo, tendo somente três regras principais:

  • Apenas compras a partir de R$10,00 são contabilizadas para o Criptoback.
  • Há um período de apuração entre o momento da compra e o depósito de bitcoin em sua carteira. Compras realizadas hoje terão as frações de bitcoins depositadas daqui a 15 dias. Trata-se de uma medida necessária para combater a fraude em compras.
  • Existem compras inelegíveis que não geram Criptoback, não importando o valor.

Parceiros

O Alter possui parceiros estratégicos para o crescimento da fintech e do mercado.

  • BitPreço – Fornecedora de liquidez para compra e venda de Bitcoin
  • VISA – Fornecedora da bandeira do cartão
  • Dock – Fornecedora de infraestrutura de serviços bancários, como integração ao pix e gestão de cartões, em reais
  • Combate a Fraude – Fornecedora dos processos de validação de segurança, compliance e anti fraude.
  • CapTable – Plataforma de equity crowdfunding
  • Banco Genial (antigo Plural) – instituição financeira custodiante de recursos

Sobre o Alter

Criado em 2018, o Alter nasceu com o foco de transformar o mercado brasileiro de criptomoedas, possibilitando sua utilização no dia a dia. Proporciona em uma única plataforma a união do sistema financeiro tradicional e a criptoeconomia. Aliando tecnologia e funcionalidade, a fintech conecta criptomoedas a uma plataforma bancária completa, contendo cartão VISA e cashback em bitcoins.

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Solana lança atualização para aliviar problema de congestionamento da rede

Solana lança atualização para aliviar problema de congestionamento da rede

“Esta versão contém melhorias que ajudarão a aliviar o congestionamento contínuo na Rede Solana”, afirmou a conta de atualização do projeto
moeda de bitcoin à frente da bandeira de hong kong

Por que os ETFs de Bitcoin e Ethereum em Hong Kong são importantes para o mercado

Aprovação dos ETFs de Bitcoin e Ethereum podem abrir espaço para investidores da China e dar uma vantagem competitiva de Hong Kong sobre os EUA
Imagem da matéria: Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

O Bitcoin começou o dia cotado a US$ 71 mil; agora, seu preço desaba para a US$ 66 mil
Imagem da matéria: CEO da Binance afirma que está considerando "algumas jurisdições" para a sede global

CEO da Binance afirma que está considerando “algumas jurisdições” para a sede global

“Quais são as jurisdições que têm regulamentações que podem atender ao nosso conjunto de produtos?”, questiona Richard Teng