Criptomoedas formam círculo com bitcoin no centro
Shutterstock

A recente disparada do preço do Bitcoin (BTC) para sua máxima histórica acima de US$ 73 mil impulsionou a procura de investidores brasileiros pela criptomoeda, liderando as buscas em março.

Após ficarem em sexto lugar nas pesquisas no início do ano, as criptomoedas já haviam subido para a terceira posição no ranking de fevereiro, passando em março para a liderança, segundo dados do buscador de investimentos gratuito Yubb.

Publicidade

Esse movimento foi inicialmente puxado pelo barulho feito com o lançamento dos ETFs de Bitcoin à vista nos Estados Unidos, que atraiu um grande número de investidores e interessados no assunto, para em sequência puxar também os preços das criptos, principalmente do Bitcoin, que bateu sua máxima histórica no mês passado e segue sendo negociado perto de US$ 70 mil nesta quarta-feira (10).

“É normal em todo ciclo de alta. As pessoas começam a ir atrás quando bate o recorde histórico. Em março, isso refletiu na busca por criptos”, disse Bernardo Pascowitch, CEO do Yubb, ao Estadão.

Em abril a tendência é que o Bitcoin siga em evidência já que ocorre o tão esperado halving, evento que acontece a cada quatro anos e corta pela metade a recompensa paga aos mineradores, reduzindo assim a oferta de novos BTCs no mercado.

Leia também: O que é o halving do Bitcoin? Entenda o sistema que diminui a oferta da criptomoeda

Com essa redução da oferta e com um cenário de aumento de demanda por conta dos ETFs — evidenciado também por esse aumento da procura por investidores —, especialistas acreditam que o Bitcoin deve dar continuidade ao seu ciclo de alta nas próximas semanas e meses.

Publicidade

Confira o ranking de investimentos mais buscados na plataforma Yubb:

1º Criptomoedas
2º CDBs
3º Fundos de ações
4º Fundos multimercado
5º Tesouro Direto
6º LCI/LCA
7º Ações livres
8º LC/RDB
9º Fundos imobiliários (FIIs)
10º Debêntures

Vale destacar que no mercado tradicional, a renda fixa tem perdido espaço por conta do ciclo de corte da taxa básica de juros, a Selic. Em março, o Comitê de Política Monetária (Copom), fez a sexta redução seguida da taxa, que agora está em 10,75% ao ano.

Com isso, investimentos como os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs), passam a render menos. Por isso, apesar de ainda figurar em segundo lugar no ranking da Yubb, o produto tem perdido força.

Por outro lado, nesse cenário de juros mais baixos, a renda variável ganha força, o que é demonstrado pelo levantamento com os fundos de ações e multimercado assumindo a terceira e quarta colocações, respectivamente.

VOCÊ PODE GOSTAR
Cauda de baleia sob um mar de moedas de bitcoin

Baleia acorda de sono de uma década para mover R$ 217 milhões em Bitcoin

Carteira recebeu a quantia de 687,33 BTC no dia 12 de janeiro de 2014, quando a cotação do Bitcoin estava em US$ 917
Logo da ftx, dólares e bitcoin

Analistas preveem alta no mercado cripto com ressarcimento bilionário a clientes da FTX

A FTX deve cerca de US$ 11 bilhões a credores, mas a massa falida conseguiu levantar mais de US$ 14 bilhões
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

Como declarar tokens de utilidade no Imposto de Renda 2024?

Entenda como declarar os utility tokens, ativos que dão acesso a serviços específicos