Imagem da matéria: Alguém pode estar minerando monero (XRM) no computador da sua empresa
Foto: Shuterstock

Tá bom… A gente já sabe: seu blockchain é inatacável. Mas você ainda precisa atualizar seu software de antivírus. Senão, esse minerador de monero (XMR) pode abocanhar sua rede.

Em um novo relatório publicado pela empresa de cibersegurança Sophos, que possui mais de 500 mil empresas como suas clientes, afirma que uma nova variante do minerador cripto Tor2Mine está infectando redes de computadores para minerar XMR, uma popular criptomoeda de privacidade, conhecida por ser difícil de rastrear.

Publicidade

“Todos os mineradores que descobrimos recentemente são mineradores de monero”, afirmou Sean Gallagher, pesquisador de ameaças na Sophos e autor do relatório, em entrevista por telefone ao Decrypt.

De acordo com Gallagher, o malware busca por brechas na segurança de uma rede, geralmente na forma de sistemas que não tiveram seus recursos de segurança (incluindo softwares de antivírus ou antimalware) atualizados ou corrigidos.

Quando instalado em um servidor ou computador, o malware irá buscar por outros sistemas para instalar seu minerador cripto para realizar lucros máximos.

Hacks continuam sendo uma grande preocupação para projetos de organizações autônomas descentralizadas (ou DAOs, na sigla em inglês) e Finanças Descentralizadas (ou DeFi), que estão mais vulneráveis a mais do que invasões a contratos autônomos.

Publicidade

Nessa quinta-feira (2), BadgerDAO foi hackeada e perdeu US$ 120 milhões em uma invasão à sua interface, de acordo com a empresa de cibersegurança PeckShield.

“Quando um ponto de apoio é estabelecido em uma rede, é difícil eliminá-lo sem a assistência de softwares com parâmetros de proteção e outras medidas antimalware”, afirmou Gallagher.

Monero e esperanto

“Já que se espalha de forma lateral e longe do ponto inicial comprometido, não pode ser eliminado apenas ao corrigir e limpar um sistema. O minerador continuará tentando reinfectar outros sistemas na rede, mesmo após que o servidor de comando e controle para o minerador foi bloqueado ou desligado.”

Em outras palavras, Tor2Mine se espalha rapidamente para todos os sistemas de uma rede, instalando o minerador cripto onde puder, ou seja, não é fácil removê-lo.

Publicidade

Por gerar bem menos receita do que outros ataques, como o de ransomware, aplicativos de malware de mineração precisam infectar o máximo de sistemas possíveis para fazer a invasão valer a pena.

Gallagher contou ao Decrypt que um sinal de que um sistema está infectado é o uso incomum e alto de poder de processamento, desempenho reduzido e contas de eletricidade mais altas que o normal. É como se você mesmo estivesse minerando cripto.

Monero, que significa “moeda” em esperanto, se tornou a preferida dos cibercriminosos por conta de seus diversos recursos de privacidade que dificultam o rastreamento, diferente do bitcoin (BTC) e do ether (ETH).

Endereços de carteira e transações na Monero são difíceis de rastrear por conta do uso de “assinaturas circulares” (ou “ring signatures”, em inglês) e endereços indetectáveis (ou “stealth adresses”), que escondem as identidades tanto do remetente como do destinatário.

Sophos recomenda o conserto de vulnerabilidades em sistemas expostos à internet, como aplicações web, serviços de redes virtuais privadas (ou VPNs) e servidores de e-mail e instalar produtos antimalware para torná-los bem menos prováveis de serem invadidos.

Publicidade

Embora a Sophos desenvolva seus próprios produtos, Gallagher apenas sugeriu um tipo de proteções: “Qualquer antivírus é melhor do que nenhum antivírus”.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização de Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fachada do MPDFT - Facebook

PM que atraía colegas de farda para pirâmide com criptomoedas é alvo do MP do DF

O policial militar e um grupo suspeito de pessoas e empresas teriam aplicado um golpe de R$ 4 milhões; alvos do MPDFT são do DF e GO
Imagem da matéria: Robinhood compra a exchange de criptomoedas Bitstamp por US$ 200 milhões

Robinhood compra a exchange de criptomoedas Bitstamp por US$ 200 milhões

Espera-se que o acordo em dinheiro de US$ 200 milhões seja fechado no primeiro semestre de 2025, sujeito a aprovações regulatórias
Imagem da matéria: Como a tokenização vai revolucionar o agronegócio no Brasil | Opinião

Como a tokenização vai revolucionar o agronegócio no Brasil | Opinião

Em 2023 o PIB do agronegócio correspondeu a quase 24% do PIB do Brasil, conforme aponta pesquisa feita pela USP
Ilustração de moeda NOT dourada com logotipo do jogo Notcoin do Telegram

Notcoin faz última chamada para jogadores resgatarem seus tokens NOT

Prazo para sacar ou colocar tokens NOT em staking termina neste domingo (16) à medida que o hype dos jogos cripto do Telegram aumenta