bitcoin
Foto: Shutterstock

Um endereço de golpistas que roubam criptomoedas dos investidores através de falsos giveaways, recebeu 26 bitcoins no sábado (15), provavelmente de uma vítima.

O rastreador Whale Alert foi o primeiro a divulgar a transação e a classificou como o maior pagamento único já feito para um endereço scam confirmado.

Publicidade

Embora não seja incomum ver pessoas caindo nesse tipo de golpe que faz vítimas há anos no meio cripto, a quantia de criptomoedas entregues impressiona.

O prejuízo desse investidor ficou por volta de R$ 6,2 milhões, levando em conta a atual cotação de R$ 240 mil do ativo neste domingo (16), segundo o Índice do Portal do Bitcoin.

Michael Saylor, CEO da MicroStrategy e um dos maiores entusiastas do bitcoin no meio empresarial, foi usado com a isca do golpe.

Embora não seja possível confirmar a origem dessas moedas — se partiram de um usuário desavisado, uma carteira hackeada ou se foi uma movimentação dos próprios golpistas —, o perfil Whale Alert suspeita que o valor saiu de uma conta da Coinbase, a maior exchange de criptomoedas dos EUA.

Publicidade

Ao analisar os dados do endereço dos golpistas, é possível ver que eles já receberam outros pagamentos no passado, mas nenhum da mesma magnitude. As criptomoedas “sujas” parecem estar sendo espalhadas na blockchain. Um total de 48 BTC já deixou o endereço que ainda armazena 16.9 BTC.

Michael Saylor é a isca da vez

O próprio Michael Saylor repercutiu a transação no final de semana, alertando a comunidade sobre o aumento desenfreado desse tipo de golpe nas redes sociais.

“489 desses golpes foram lançados no YouTube na semana passada. Nós os denunciamos a cada 15 minutos e eles são retirados após algumas horas, mas os golpistas apenas lançam mais…”, escreveu Saylor no Twitter.

Em uma consulta rápida no YouTube pelo termo “Michael Saylor”, é possível encontrar dezenas de vídeos ao vivo usando a imagem do empresário para promover giveaway scam. 

Publicidade
michael saylor bitcoin
Vídeos no YouTube promovendo giveaway scam (Imagem: YouTube)

Neste tipo de esquema, os golpistas enchem as redes sociais e principalmente o YouTube, simulando eventos ao vivo, com falsos giveways de celebridades.

A pessoa que cai nesse vídeo é incentivada a enviar criptomoedas para um endereço com a promessa de receber de volta o dobro ou triplo da quantia original. Mas depois que a transferência é feita, o usuário nunca mais voltará a ver a cor dessas moedas entregues de mão beijada aos golpistas.

Além de Saylor, os ladrões também usam outras figuras famosas no meio cripto para atrair as vítimas, como o fundador da Binance, CZ, e o criador do Ethereum, Vitalik Buterin. Elon Musk, no entanto, é a isca mais frequente usada nessas fraudes. 

Nos primeiros três meses de 2021, os golpistas lucraram US$ 18 milhões em criptomoedas com esses falsos giveaways — número que supera todo o valor roubado por esse tipo de golpe ao longo de 2020 (US$ 16 milhões).

VOCÊ PODE GOSTAR
moedas de Bitcoin sobre notas de ienes

Anúncio de investimento em Bitcoin faz ações de empresa asiática disparar 90%

Seguindo o manual da MicroStrategy, a empresa japonesa Metaplanet está atraindo forte interesse dos investidores
Brad Garlinghouse, CEO da Ripple , posa para foto

Mercado de criptomoedas vai valer US$ 5 trilhões até final do ano, prevê CEO da Ripple

Brad Garlinghouse justifica seu otimismo pelo halving do Bitcoin e um possível impulso regulatório positivo do mercado cripto nos EUA
Equipamento de mineração com CPU em uma mesa de escritório com sinal luminoso do Bitcoin atrás

Dificuldade de mineração do Bitcoin bate recorde em último ajuste antes do halving

Recorde significa que mineradores estão correndo para garantir a recompensa de 6,25 BTC por bloco antes do halving
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) cai para US$ 69 mil e mercado reduz apostas em ETF de Ethereum

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) cai para US$ 69 mil e mercado reduz apostas em ETF de Ethereum

Quedas resultaram em quase US$ 200 milhões em posições de derivativos alavancadas liquidadas em diversos criptoativos, segundo CoinGlass