Imagem da matéria: África ganha corretora de criptomoedas "customizada" para clientes locais
(Foto: Shutterstock)

Mara, uma corretora de criptomoedas pan-africana, foi lançada nesta quarta-feira (11), juntamente com um aporte de US$ 23 milhões feito por empresas como Coinbase Ventures, Alameda Research ( FTX ) e Distributed Global.

A exchange também anunciou que fechou um acordo para se tornar o parceiro oficial de criptomoedas da República Centro-Africana, que no mês passado se tornou o segundo país do mundo a adotar o Bitcoin como moeda legal. Como parte da parceria, a empresa disse que atuará como consultora do presidente Faustin Archange Touadéra em estratégia de no setor cripto.

Publicidade

A empresa terá como alvo consumidores, comerciantes experientes e desenvolvedores com um conjunto de produtos que, segundo ela, são construídos especificamente para um público africano. Executivos da exchange dizem que a plataforma se tornará o portal da África para a criptoeconomia, em um momento em que a instabilidade econômica na região aumentou a demanda por uma alternativa descentralizada.

“A missão da MARA é facilitar uma distribuição mais equitativa do capital, fornecendo uma alternativa descentralizada que abrange tribos, classes sociais, culturas e países”, disse em comunicado o cofundador e CEO da empresa Chi Nnadi. E acrescentou:

“Nosso objetivo é fechar a lacuna de oportunidades para os indivíduos subsaarianos e estabelecer uma infraestrutura financeira sobre a qual eles possam construir suas vidas”.

O aplicativo de corretagem Mara Wallet será lançado inicialmente no Quênia e na Nigéria, oferecendo aos usuários a capacidade de comprar, vender, enviar e retirar criptomoedas. Não está claro como a plataforma vai operar na Nigéria, já que o país proíbe transações de criptomoedas no setor bancário. A Decrypt entrou em contato com a empresa para esclarecimentos. 

Publicidade

Para traders mais experientes, a Mara também lançará uma exchange profissional com uma variedade de opções de negociação e ferramentas de análise técnica e no final do ano, o também está nos planos o lançamento da ‘Mara Chain’, que dará aos desenvolvedores um local para criar aplicativos descentralizados (Dapps).

Criptomoedas na África

O setor cripto enfrentou vários obstáculos regulatórios na África, apesar do número crescente de investidores. Em 2021, o Banco Central da Nigéria (CBN) proibiu as instituições financeiras de lidar com transações relacionadas a criptomoedas. Apesar disso, os nigerianos continuaram a usar o tipo de ativo, com muitos migrando para plataformas peer-to-peer (P2P).

Acerca disso, a Mara disse que os desafios regulatórios e a dificuldade de chegar ao consumidor africano de forma genuína impediram que as bolsas globais existentes operassem na região, deixando uma lacuna que ela planeja preencher.

Ao lado de Nnadi, a equipe executiva da Mara conta com os cofundadores Lucas Llinás Múnera, Dearg OBartuin e Kate Kallot. Outros apoiadores do projeto incluem a TQ Ventures, Nexo, e investidores-anjos como Amit Bhatia e DAO Jones – uma DAO focada em investimentos apoiada pelos músicos Mike Shinoda, Steve Aoki e pela dupla Disclosure.

*Traduzido pelo Portal do Bitcoin com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Exchange de futuros da Solana, Drift vai distribuir 100 milhões de tokens para traders de DeFi

Exchange de futuros da Solana, Drift vai distribuir 100 milhões de tokens para traders de DeFi

Em conjunto com o lançamento do Drift DAO, a Fundação irá distribuir gratuitamente 10% do fornecimento total de tokens DRIFT na Solana
Equipamento de mineração com CPU em uma mesa de escritório com sinal luminoso do Bitcoin atrás

Dificuldade de mineração do Bitcoin bate recorde em último ajuste antes do halving

Recorde significa que mineradores estão correndo para garantir a recompensa de 6,25 BTC por bloco antes do halving
predio com logo da corretora binance

Binance desiste de registro em Portugal e pode voltar à Índia com multa de US$ 2 milhões

Em Portugal, a empresa não conseguiu dar conta de uma série de pressupostos essenciais para o licenciamento da operação a nível nacional, diz mídia local
Imagem da matéria: Clientes brasileiros da FTX vivem expectativa de pagamento e medo de novos golpes

Clientes brasileiros da FTX vivem expectativa de pagamento e medo de novos golpes

Grupo de brasileiros se unem no Telegram para tentar entender comunicações da massa falida da FTX em meio ao receio de novos golpes