Imagem da matéria: A guerra entre mineradores de Ethereum e gamers pelas placas de vídeo
Foto: Shutterstock

Desde que os mineiros da Ethereum perceberam que as placas de vídeo (GPUs) usadas para processar os visuais exigentes dos jogos de PC modernos poderiam ser transformadas na tarefa de processar números para produzir criptomoedas, os jogadores e os mineradores estão em conflito. As mineradoras abocanharam os estoques de GPUs assim que elas chegaram ao mercado, fazendo os preços dispararem e deixando os jogadores de mãos vazias.

Essas tensões ameaçaram estourar na semana passada, conforme os relatórios se espalharam que os chamados limites de taxa de hash – aplicados pelo fabricante de GPU Nvidia para reduzir a eficiência de um chip ao minerar criptomoedas como Ethereum – foram comprometidos.

Publicidade

A notícia foi posteriormente desmentida e os especialistas disseram que era quase impossível contornar as restrições, que reduzem a capacidade de mineração de cripto do RTX 3060 em 50%. Posteriormente, vários relatórios afirmaram que o lançamento de um driver beta ignora as restrições da Nvidia.

O furor destaca a crescente apreensão na indústria de chips, à medida que os principais fabricantes, Nvidia e AMD, buscam acomodar as necessidades dos jogadores e dos mineradores. Isso ocorre em meio a um aumento nas receitas de mineração que fez com que os mineradores estivessem desesperados para comprar todo o estoque – levando à disparada dos preços das GPUs.

Os fabricantes de chips, por sua vez, são prejudicados pela escassez de matérias-primas necessárias e confundidos pela mudança da Ethereum para um modelo de proof-of-stake, que irá acabar com a mineração por completo.

GPUs dedicadas

Em fevereiro deste ano, a Nvidia lançou um chipset dedicado voltado para criptomoedas, visando Ethereum. Ao mesmo tempo, ele limitou a taxa de hash de suas novas GPUs RTX 3060 em um esforço para torná-las menos desejáveis ​​para mineradores.

Publicidade

Os movimentos dos fabricantes de chips vieram em resposta aos jogadores que estavam preocupados com a escassez de GPU devido à demanda dos mineradores. Ethereum foi especificamente visada porque tinha o maior rendimento de mineração entre as moedas mineráveis ​​por GPU, de acordo com a Nvidia.

Mas a escassez de chips significou que os mineradores até mesmo recorreram a laptops de jogos e se beneficiar de lucros altíssimos.

Enquanto isso, a rival da Nvidia, AMD, está supostamente desenvolvendo seu próprio chipset de mineração dedicado também; a versão mais recente do AMD Navi 12, inicialmente usado para o Apple Macbook Pro. Não tem saídas de vídeo (que são obrigatórias para jogos) de acordo com o site PC Gamer. Isso significa que a GPU pode ser o primeiro processador específico relacionado à mineração de criptomoedaslançado pela empresa, e tem como alvo especificamente os mineradores de Ethereum.

Esses movimentos recentes da AMD e da Nvidia sinalizam tentativas de segregar as GPUs usadas para mineração daquelas usadas para jogos. Mas nem todos acreditam que essa é a estratégia que a multinacional deve seguir.

Publicidade

Receitas da mineração Ethereum disparam

No início deste mês, a Nvidia ganhou uma ação judicial histórica, que rejeitou as alegações dos investidores de que a fabricante de chips escondeu números de seu florescente negócio de mineração de criptomoedas no valor de mais de US$ 1 bilhão. A ação foi iniciada há dois anos por investidores preocupados que os lucros da Nvidia estavam se tornando muito intimamente ligados ao volátil mercado de criptomoedas. Mas suas reivindicações foram rejeitadas devido à falta de evidências de que a empresa enganou alguém.

Agora, a situação é um pouco diferente. Um aumento na popularidade da mineração de criptomoedas seguiu a decisão do PayPal de integrar criptomoedas e o interesse de investidores de alto padrão. Isso contribuiu para um aumento significativo nas vendas de GPU no quarto trimestre de 2020, com as remessas de GPU aumentando 20,5% em relação ao trimestre anterior e 12,4% em relação ao quarto trimestre de 2019, de acordo com um relatório publicado este mês.

Os analistas Jon Peddie Research (JPR), que estão por trás do relatório, afirmaram que a mineração, especificamente na rede Ethereum, desempenhou um papel considerável.

Este ano, as taxas de rede Ethereum ganhas pelas mineradoras mais do que dobraram, mesmo em relação ao pico do ano passado durante a mania por finanças descentralizadas (DeFi) no verão passado, e as mineradoras viram sua receita triplicar. Nenhuma outra criptomoeda chega perto da Ethereum para lucratividade de mineração agora, de acordo com especialistas em mineração.

O outro lado desse sucesso foi que uma taxa média de transação atingiu US$ 38,21 em 23 de fevereiro, tornando a rede inviável para transações menores (e impactando a atividade no crescente espaço DeFi). A atualização contínua do Ethereum e Ethereum 2.0, foi projetada para mitigar essas preocupações.

Publicidade

Nesse ínterim, o co-fundador da Ethereum, Vitalik Buterin, propôs medidas de escalonamento provisórias. Algumas propostas de melhoria da comunidade não foram bem aceitas pelos mineradores, que temem uma redução em suas taxas de até 50%. Uma nova proposta, EIP-3368, veria as recompensas em bloco reduzidas em 0,25 ETH a cada trimestre, ajudando a aliviar o impacto da transição da Ethereum para proof-of-stake, no ETH 2.0.

A JPR observou que as próximas mudanças no ecossistema Ethereum significam que a demanda por GPUs entre os criptomoedas provavelmente irá evaporar, conforme a rede de blockchain faz a transição para Eth 2.

No entanto, isso levará algum tempo. A rede será atualizada em fases, e a última não está programada para acontecer até 2022 – presumindo que não haja atrasos.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logotipo da BInance

Binance lista novos pares para Ethereum, Pepe, BNB e Solana

A corretora também vai incluir os novos pares em seu serviço de robôs de negociação
Sigla ETF ao lado de moeda dourada de Ethereum

Veja todos os ETFs de Ethereum que devem estrear nesta terça

Grandes firmas de investimento receberam o sinal verde da SEC para listar ETFs de Ethereum à vista nos EUA. Aqui está a lista atualizada