Imagem da matéria: 23 Exchanges Sul-coreanas Aderem à Autorregulação
(Foto: Pixabay)

A Korean Blockchain Association se prepara para lançar padrões de autorregulação para as exchanges que operam no país. “Vamos nos concentrar em estabelecer a segurança e a transparência das negociações”, disse Jeon Jae-jin, presidente da entidade. A expectativa é de que as novas regras sejam divulgadas até o fim do mês.

Segundo reportagem do portal News Bitcoin, o processo de revisão das regras tende a ser tranquilo. Das 33 exchanges convocadas a integrar o processo, 23 concordaram. São elas: Glosfer, Nexcoin, Neoframe, Upbit, Bithumb, Gopax, Coinlink, Scoin, Okcoin, Whalex, Zeniex, Kairex, Kcx, Komid, Korbit, Coinone, Coinzest. , Coinplug, Crypto Company, Dexko, Coréia, Encryption, Money Exchange e Huobi Korea.

Publicidade

As 10 plataformas que se recusaram foram banidas da associação – entre elas está a Coinnest, cujo CEO foi recentemente preso por fraude.

A Korean Fair Trade Commission (KFTC), que recentemente recomendou que 12 exchanges revisassem seus contratos, também forneceu recomendações que tendem a ser incorporadas ao novo arcabouço.

Segundo a entidade, as regras devem prever uma gama de isenções de responsabilidades, restrições a depósitos e retiradas não autorizadas, restrições ao uso arbitrário de serviços e cláusulas corretivas no gerenciamento de identificações e senhas.

A necessidade de autorregulação cresce a medida que bancos se recusam a emitir novas contas virtuais para a maioria das exchanges. Somente as grandes plataformas – Upbit, Bithumb, Coinone e Korbit – seguem aceitas, o que cria barreiras para as exchanges de pequeno e médio porte. A expectativa é que, com o anúncio das novas regras, todas as exchanges passem a ser aceitas pelos bancos.

Publicidade

Parâmetros para exchanges

A autorregulação é cada vez mais defendida no mundo das moedas digitais. Fazer com que os próprios participantes do mercado estabeleçam regras comuns é uma forma de conquistar reputação e ainda criar parâmetros mínimos enquanto governos de todo o mundo estudam como acomodar as criptomoedas em seus arcabouços legais.

Em reportagem publicada em fevereiro, a Investopedia define a autorregulação no contexto das moedas digitais. “É o estabelecimento de diretrizes e de um código de conduta para participantes do mercado operarem dentro do ecossistema. Essas diretrizes são abrangentes e vão desde conhecer o cliente até garantir a segurança dos negócios”.

A Iosco, organização que reúne todos os reguladores do mercado de capitais, define os elementos que compreendem a autorregulação. Entre eles estão transparência e responsabilidade, relações contratuais e coordenação e compartilhamento de informações. Além da Coreia do Sul, o Japão também é considerado um pioneiro na autorregulação do mercado de criptomoedas.

Leia também: Bitcoin Pode Perder US$ 44 Bilhões Até o Final do Ano, Diz Pesquisa

BitcoinTrade

BitcoinTrade é a plataforma mais segura do Brasil para comprar e vender Bitcoin e Ethereum, junte-se agora a mais de 135 mil clientes satisfeitos. Gerencie também suas moedas digitais utilizando nosso aplicativo para dispositivos com iOS ou Android. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pressionam Biden para trazer de volta aos EUA executivo da Binance detido na Nigéria

Em carta ao executivo, os deputados alegam que Tigran Gambaryan está na condição de refém do governo da Nigéria e corre risco de morrer de malária
Edificio do BCE

Manhã Cripto: Bitcoin segue alta e busca máxima histórica com corte de juros na Europa

Banco Central Europeu (BCE) reduziu 25 pontos percentuais de cada uma das suas três principais taxas de juros
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump se apresenta como ‘criptopresidente’ em evento de arrecadação de fundos

O candidato presidencial republicano dobrou sua postura pró-cripto durante evento em São Francisco, EUA