Imagem da matéria: Youtube, Google e Gmail saem do ar na manhã desta segunda; veja a nota oficial
Foto: Shutterstock

Não foi possível acessar nem o Youtube nem o Gmail, serviço de emails do Google, na manhã desta segunda-feira (14) pelo mundo inteiro. Os serviços não estavam operacionais durante parte da manhã no Brasil. O problema permaneceu durante cerca de 40 minutos.

Conforme o site Downdetector, que acompanha em tempo real reports de problemas em serviços online, o problema é global.

Publicidade

Ainda não se sabe o que aconteceu. A última vez que isso aconteceu foi no dia 11 de novembro.

Em sua conta oficial no Twitter, o Youtube afirmou às 9h09 que está ciente de muitas pessoas estavam com problemas no acesso ao serviço.

“Nossa equipe está ciente e investigando. Vamos atualizar a situação assim que tivermos novidades”.

Após cerca de 40 minutos, os serviços foram gradualmente voltando ao normal. Todos já estão operando normalmente no Brasil.

Imagem que aparece quando usuários tentam acessar o Youtube

VOCÊ PODE GOSTAR
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas
Fazenda de Mineração de criptomoedas Salto del Guairá Paraguai -ANDE

Paraguai usa inteligência artificial para encontrar fazenda ilegal de mineração de Bitcoin

Autoridades apreenderam 176 ASICs em Saltos de Guairá com ajuda de sistema que mede a tensão de redes elétricas
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX