Imagem da matéria: XP planeja retorno ao mercado de criptomoedas após primeiro fracasso, diz jornal
(Foto: Divulgação)

Após um longo período fora do mercado de criptomoedas, a XP pode estar planejando um retorno em grande estilo, segundo reportagem do Estadão.

Conforme o jornal, o maior impedimento para entrada no mercado era a posição do Itaú como dono de 49% da empresa. Contudo, com o banco se desfazendo da posição, há um espaço livre para uma nova investida.

Publicidade

Outro movimento interessante foi o relatado pelo Brazil Journal. Segundo o site, o presidente do banco XP, José Berenguer, renunciou ao board da B3. Os motivos apurados pela reportagem foram vários: um deles é a tese de que a XP criaria uma nova Bolsa para competir com a própria B3.

A outra é que a saída do executivo está ligado a um plano ligado à criptomoedas e o desligamento seria para evitar um potencial conflito de interesses.

Em março da 2020, a XP fechou a XDEX, alegando que “a projeção do mercado, competição e os poucos avanços regulatórios diminuíram as oportunidades encontradas no início do projeto e foram a base dessa difícil decisão tomada pela empresa”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Homem aponta controle para TV que emerge imagens em 3D

‘TV 3.0’ que chegará ao Brasil em 2025 vai precisar de internet ou conversor? Entenda

Novo sistema de transmissão para TVs promete enviar som e imagem com qualidades maiores, além de maior interatividade com o espectador
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca
Imagem da matéria: Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Atlético-MG, Bahia, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, Internacional, São Paulo e Vasco da Gama são times que integram a nova campanha da Chiliz
Tela de celular mostra logo da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil CVM

CVM ganhou R$ 832 milhões com multas aplicadas em 2023, um aumento de 1.791%

A autarquia também registrou o maior número de casos julgados desde 2019