Imagem da matéria: Vitalik Buterin lança proposta para resolver problema das altas taxas do Ethereum
Foto: Shutterstock

O cofundador do Ethereum, Vitalik Buterin, publicou na semana passada uma nova proposta de melhoria que pode ajudar a diminuir o gas da rede para o usuário comum, hoje um dos principais problemas do ecossistema.

Chamada de “Multidimensional EIP 1559”, a proposta de Buterin descreve como o cálculo das taxas poderia ser mais eficiente se a rede avaliasse cada tipo de transação que está sendo processada, separando um limite de gas que pode ser usado para cada recurso. 

Publicidade

De acordo com Buterin, atualmente muitos recursos no EVM (Ethereum Virtual Machine) têm limites muito diferentes entre si, tanto no que diz respeito a capacidade de “burst” — quanto é possível processar com um ou alguns blocos —, quanto na capacidade “sustentada” — quanta capacidade o bloco ficaria confortável ​​em processar por muito tempo. 

No atual esquema da criptomoeda, todo ether usado para custear as transações são combinados na mesma medida (gas), que na forma atual não consegue diferenciar os usos da rede. “Colocar todos os recursos em um única medida virtual força a relação de pior caso/caso médio”, explica.

A solução de Vitalik Buterin

Em seguida, Buterin apresenta sua solução matemática para resolver o problema:

“A solução é simples: mantemos um esquema de direcionamento EIP 1559 separado para cada recurso! Mantemos um vetor de valores e temos uma regra rígida de que cada bloco não pode consumir mais do que duas unidades do recurso”.

Para fazer isso funcionar no contexto do Ethereum, ainda seria preciso cobrar todas as taxas em gas. No processamento dessas transações é que o gas seria reequilibrado e dividido. O desenvolvedor propõe então duas formas de fazer isso funcionar, uma opção mais fácil e menos “pura”, e outra mais “pura” só que mais complexa.

Publicidade

Aplicações no Ethereum

Num primeiro momento, a tarifa de forma multidimensional já poderia ser aplicada em recursos mais básicos, como execução do EVM, calldata das transações, dados de testemunhas e aumento do tamanho do armazenamento.

Quando o Ethereum 2.0 estiver ativo na rede principal e, posteriormente, o sharding em funcionamento, os dados do shard também poderão ser calculados na nova tarifa.

Antes de tudo isso acontecer, a proposta deve ser avaliada e aceita pela a comunidade.

“Isso já nos proporcionaria muitos ganhos em sermos capazes de oferecer suporte a mais escalabilidade, ao mesmo tempo que diminuiria os riscos do uso intermitente”, disse Buterin acrescentando que essa novo cálculo também adicionaria outra camada de proteção DoS, tornando a rede mais segura.

Por outro lado, o desenvolvedor assume que essas melhorias vêm com um custo, já que os modelos de precificação multidimensionais tornam mais complexo o trabalho dos mineradores.

Publicidade

“Os construtores de blocos não seriam capazes de simplesmente aceitar transações na ordem de taxa mais alta para baixa. Eles teriam que balancear entre dimensões diferentes e resolver um problema de mochila multidimensional. Isso criaria espaço para mineradores otimizados que se saem significativamente melhor do que algoritmos de stock, levando à centralização”, alerta.

Embora seja algo negativo, ele avalia que o problema seria “muito mais fraco” do que outros que existem hoje na rede, como por exemplo o MEV (valor máximo extraível), que já oferece vantagem aos mineradores mais otimizados — neste esquema, mineradores são subornados para priorizar transações que pagam taxas maiores ao invés daquelas que chegam antes na rede.

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de correntes ilustradas com pequenos zeros e uns

Projeto para soluções do sistema carcerário via blockchain vence hackathon na Ethereum Rio

Freedom Chains visa que todo tipo de comportamento do preso seja registrado on chain para evitar corrupção ou injustiças
Imagem da matéria: Desafio do Ethereum é criar interoperabilidade entre segundas camadas, afirmam especialistas

Desafio do Ethereum é criar interoperabilidade entre segundas camadas, afirmam especialistas

Integrar as dezenas de redes de segunda camada é o próximo grande passo, tanto para programadores quanto usuários finais
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta