Pornhub é um dos maiores sites de conteúdo adulto do mundo
Pornhub é um dos maiores sites de conteúdo adulto do mundo (Foto: Shutterstock)

Na sequência de uma investigação do New York Times que revelou supostos vídeos de estupro e abuso infantil no Pornhub, as empresas de cartão de crédito Mastercard e Visa anunciaram nesta sexta-feira (11) que não processarão mais pagamentos para o site adulto.

Mas o Bitcoin continua sendo uma opção – embora pouco anunciada – para o Pornhub, que já utiliza a criptomoeda desde que o PayPal parou de processar pagamentos para a empresa.

Publicidade

O site começou a aceitar Bitcoin e Litecoin para seu serviço de assinatura premium em setembro; já havia começado a aceitar o Verge (um fork do Dogecoin) em abril de 2018.

Ele também permite que modelos de webcam e outros artistas que fazem upload para o site recebam pagamentos em Tether ou Tron. Como alternativa, eles podem se inscrever para depósito direto por meio de seu banco ou usar o Cosmo Payment. O que eles não podem fazer é usar o PayPal – ele parou de aceitar pagamentos da plataforma em novembro de 2019.

De acordo com o blog do Pornhub, a saída do PayPal precipitou a mudança para a stablecoin USDT.

A Mastercard disse que o movimento para desativar os pagamentos da assinatura do Pornhub Premium é permanente; A mudança da Visa é temporária, dependendo dos resultados de sua própria investigação.

Com Visa e Mastercard fora de cena, isso deixa o Discover e o JCB (Japan Credit Bureau) como opções restantes de cartão de crédito.

Publicidade

(A página de suporte do Pornhub, que trata de questões técnicas e de faturamento, observou que está “recebendo um grande fluxo de consultas”; o Decrypt não conseguiu confirmar perguntas sobre métodos de pagamento.)

Mas o Pornhub tem problemas legais e éticos mais sérios para resolver. Ele diz que está trabalhando para resolver os problemas que levaram às saídas de Visa e Mastercard.

Em 8 de dezembro, atualizou seus termos de serviço e emitiu um comunicado que dizia, em parte: “Sempre estivemos comprometidos em eliminar o conteúdo ilegal, incluindo material não consensual e material de abuso sexual infantil (CSAM).”

Para reprimir, disse que “só permitirá que usuários devidamente identificados façam upload de conteúdo” e que expandiu seus processos de moderação e de report.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
Imagem da matéria: Maior plataforma P2P de Monero fecha após 7 anos de operação

Maior plataforma P2P de Monero fecha após 7 anos de operação

A plataforma peer-to-peer focada na moeda de privacidade Monero (XMR) citou “uma combinação de fatores internos e externos” para sua decisão de fechar as portas
Costas de um policial de Hong Kong

Empresário e filho se entregam à polícia após sequestrarem investidora de criptomoedas

A dupla teria tentado acertar as contas com a mulher de 55 anos que teria intermediado um investimento de cerca de R$ 10 milhões em criptomoedas
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”