criptomoedas venezuela
Foto: Shutterstock

A Venezuela continua tentando arrumar formar para sobreviver às sanções dos EUA e a um bloqueio financeiro paralisante. Desta vez, a Venezuela optou por criar uma bolsa de valores “descentralizada” que usa versões digitais de ativos e instrumentos financeiros tradicionais.

Na quarta-feira (30), o presidente Nicolás Maduro anunciou a criação da “Lei Antibloqueio ao Desenvolvimento Nacional e à Garantia dos Direitos Humanos”. Ele descreve várias estratégias para estimular uma economia nacional que foi prejudicada por sete ordens executivas separadas dos presidentes dos EUA, Obama e Trump, e mais de uma dúzia de sanções adicionais.

Publicidade

Maduro disse que a lei promove o uso de criptomoedas – todas elas, não apenas a Petro, apoiada pelo estado – como uma forma de proteger a soberania financeira da Venezuela. “A lei anti-sanções é a primeira resposta … para dar nova força ao uso da Petro e outras criptomoedas, nacionais e globais, no comércio interno e externo, de modo que todas as criptomoedas do mundo, apoiadas pelo Estado e privadas, podem ser usadas”, disse Maduro.

Pouco depois, foi criada a nova Bolsa de Valores Descentralizada da Venezuela.

Apesar do amor da Venezuela por procedimentos administrativos extremamente centralizados, esta nova bolsa de valores é tão descentralizada quanto possível dentro do quadro jurídico atual. O governo afirma que todos os contratos e protocolos são públicos e auditáveis, e os participantes aparentemente possuirão suas próprias chaves e tokens.

A bolsa é uma plataforma DeFi rodando no blockchain Ethereum, onde os traders poderão trocar ativos tradicionais tokenizados na forma de contratos ERC223 (uma alternativa para ERC20) e ERC721 (tokens únicos) dependendo do caso. A razão para fazer isso é, aparentemente, permitir a negociação sem um intermediário centralizado.

Dessa forma, os investidores poderão negociar derivativos, commodities, imóveis, ações, ETFs e títulos na bolsa descentralizada. No entanto: nada de tokens com nomes engraçados de comida, criptomoedas estranhas ou farm. Embora o governo diga que deseja promover todos os criptomoedas, a plataforma só permite a negociação de ativos tradicionais (tokenizados).

Publicidade

Em transmissão ao vivo, Manuel Aaron Fajardo García, um dos líderes do projeto, disse que a bolsa atuará de forma independente do sistema tradicional e terá um mercado secundário peer-to-peer.

O experimento DeFi da Venezuela é outro em uma longa linha de testes de blockchain contra um pano de fundo geopolítico. É muito cedo para dizer se o objetivo principal é estimular a atividade financeira ou atrair investimento estrangeiro pela porta dos fundos dos ativos digitais.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Edificio do BCE

Manhã Cripto: Bitcoin segue alta e busca máxima histórica com corte de juros na Europa

Banco Central Europeu (BCE) reduziu 25 pontos percentuais de cada uma das suas três principais taxas de juros
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pressionam Biden para trazer de volta aos EUA executivo da Binance detido na Nigéria

Em carta ao executivo, os deputados alegam que Tigran Gambaryan está na condição de refém do governo da Nigéria e corre risco de morrer de malária
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump se apresenta como ‘criptopresidente’ em evento de arrecadação de fundos

O candidato presidencial republicano dobrou sua postura pró-cripto durante evento em São Francisco, EUA