Imagem da matéria: Inflação derrota Venezuela e governo lança nova moeda com seis zeros a menos
Foto: Shutterstock

O governo da Venezuela lança nesta sexta-feira (1) o Bolívar Digital (Bs.D), que substituirá o agora extinto Bolívar Soberano (Bs.S), moeda oficial do país que circulava há apenas três anos.

Com seis zeros a menos, a nova moeda chega como uma nova tentativa de salvar uma economia derrotada pelos anos de hiperinflação. Só em 2021, a inflação na Venezuela pode bater a casa dos 1.600%.

Publicidade

A nova conversão da moeda foi anunciada no início de agosto pelo Banco Central da Venezuela (BCV) e pelo Ministério da Economia e Finanças que decidiram que 1 milhão de bolívares passaria a ser 1 bolívar — Bs.S 1.000.000 + Bs.D 1.

Segundo o BCV, as notas de bolívares soberanos de 10 mil, 20 mil, 50 mil, 200 mil, 500 mil e 1 milhão, continuarão em circulação, ou seja, passarão a coexistir com as novas cédulas de Bolívar Digital. A entidade explica que essa manutenção é para facilitar os pagamentos exatos junto com as notas e moedas da nova expressão monetária.

“A dupla expressão de preços facilitará a familiarização de usuários e consumidores com a Nova Expressão Monetária”, disse o órgão. “Os preços dos produtos e serviços deverão ser apresentados na nova escala monetária e também na sua expressão atual”.

“Os venezuelanos sabem o que acontece com cada conversão. Sua receita passará pelo fatiador da desvalorização novamente e você ficará mais pobre”, escreveu o El País ao repercutir a nova política.

Publicidade

Bolívar na Venezuela

Esta mudança da moeda oficial da Venezuela elevará para três o número total de redenominações nos últimos 15 anos. O falecido ex-presidente Hugo Chávez, excluiu três zeros em 2007. Seu sucessor, Nicolás Maduro, usou a criação de uma criptomoeda do próprio país, a Petro, como uma oportunidade para cortar cinco zeros em 2018.

A Petro, no entanto, foi vista como um projeto controverso e sem transparência. Seu lastro, em barris de petróleo, também foi questionado. A moeda foi criada enquanto o sistema financeiro do país murchava sob o peso das sanções econômicas lideradas pelos EUA e possivelmente foi pensada para contornar a situação.

No entanto, até mesmo o ativo digital entrou na mira dos EUA, o que fez o governo venezuelano recorrer a Organização Mundial do Comércio (OMC). Segundo as autoridades do país latino-americano, as restrições sobre a moeda digital seriam discriminatórias.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
Ministro Zhaslan Madiyev ex-gerente Binance Cazaquistão

Gerente da Binance é nomeado ministro de Desenvolvimento Digital no Cazaquistão

Depois de passagens por bancos e órgãos do governo cazaquistanês, Zhaslan Madiyev ocupa agora o maior cargo do Ministério de Desenvolvimento Digital, Inovações e Indústria Aeroespacial
moeda de bitcoin sob nota de dinehiro da nigéria

Tensão entre Binance e Nigéria escala após CEO acusar governo de suborno de R$ 770 mi

Funcionário do governo nigeriano disse que alegações são infundadas e que disputa contra Binance deve ser resolvida na Justiça
Donald Trump ex-presidente dos EUA

Donald Trump recebe compradores de seus NFTs em jantar de luxo

O ex-presidente resolveu aproveitar o dia de folga do Tribunal de Nova York para receber os apoiadores no resort de luxo Mar-a-Lago