Imagem da matéria: Valor de operações com criptomoedas no Brasil cai em fevereiro, mas número de CNPJs é recorde
Shutterstock

Fevereiro de 2023 foi o mês com o maior número na história de CNPJs únicos que fizeram declaração de operação com criptomoedas para a Receita Federal. Foram 49.994 pessoas jurídicas ao todo, passando por pouco o maior volume já registrado, que tinha sido de 49.977 em novembro do ano passado. A série histórica começou a ser coletada em agosto de 2019. 

Em relação aos valores, no entanto, o número foi menor do que no mês passado: em fevereiro foram R$ 15 bilhões declarados para a Receita, contra R$ 16,1 bilhões em janeiro. 

Publicidade

Porém, fevereiro de 2023 se saiu melhor do que o mesmo mês de 2022, quando foram declarados R$ 12,8 bilhões. 

Os dados do segundo mês de 2023 mostram que os valores declarados por corretoras com sede no Brasil aumentaram de R$ 12,921 bilhões em janeiro para 12,989 bilhões no mês seguinte. 

Mas o que fez em grande parte o número geral cair foi o valor de pessoas jurídicas que não usam corretoras de nenhuma forma (compram direto com outras pessoas no modelo P2P ou entidades que têm as criptomoedas e fazem a transferência entre wallets): esse grupo declarou R$ 2 bilhões em janeiro, contra R$ 1,2 bilhão em fevereiro. 

No mesmo sentido, pessoas jurídicas que usam exchanges no exterior declararam R$ 1 bilhão em janeiro e R$ 643 milhões em fevereiro, uma queda de 35%. 

Publicidade

Equidade de gênero despenca

Um ponto evidenciado pelos números de fevereiro da Receita é que despencou a equidade de gênero entre pessoas que declaram operações com criptomoedas para a Receita Federal . 

Em janeiro, mulheres fizeram 25% das operações declaradas; esse número caiu agora para 17%. 

Já quanto aos valores declarados, as mulheres corresponderam a 17% em janeiro, sendo que em fevereiro isso caiu para 10%. 

Crise e recuperação

No ano de 2022, a Receita Federal recebeu declarações de um volume total de R$ 154,4 bilhões em transações com criptomoedas. Esse número mostra o impacto trazido pela crise – um período que se tornou conhecido como inverno cripto – para o setor no Brasil: em 2021, o valor havia sido de R$ 204 bilhões, o que significa uma queda de 24% entre os períodos.

Os volumes negociados a cada mês mostram como a queda no preço do Bitcoin e das demais criptomoedas impactou o mercado: o melhor mês de 2022 foi junho, com R$ 13,9 bilhões. Trata-se de um valor próximo ao do pior mês de 2021, setembro, com R$ 12,8 bilhões. O auge de 2021 foi atingido em maio, com R$ 25 bilhões.

Publicidade

Mas o mercado já dá claro sinais de recuperação. Em março, a Receita divulgou que o total de movimentações em janeiro de 2023 foi de R$ 14,8 bilhões, o que aponta um grande aquecimento no setor. Para efeito de comparação: durante todo ano de 2022, apenas o mês de maio teve desempenho melhor, com R$ 17,2 bilhões.

No total, janeiro de 2023 teve um salto de 12% no volume total das negociações em comparação com dezembro de 2022, quando foram registrados um total de R$ 13,2 bilhões.

A comparação entre mesmos períodos fica na mesma faixa: em janeiro de 2022 o volume total foi R$ 13,8 bilhões, com o primeiro mês de 2023 representando um aumento de 7%.

VOCÊ PODE GOSTAR
Uniswap, venture, criptomoedas, investimentos, web3

Manhã Cripto: Token da Uniswap despenca 17% após alerta de processo da SEC e Bitcoin recupera os US$ 70 mil

CEO da Uniswap, Hayden Adams, disse não estar surpreso, “apenas irritado, desapontado e pronto para lutar”
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) e altcoins enfrentam correção com US$ 400 milhões em liquidações

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) e altcoins enfrentam correção com US$ 400 milhões em liquidações

Cenário macroeconômico dita o ritmo, com US$ 400 milhões em liquidações de posições que apostavam na alta dos preços de criptomoedas
Imagem da matéria: PF prende hacker que vendia dados de 223 milhões de brasileiros por criptomoedas

PF prende hacker que vendia dados de 223 milhões de brasileiros por criptomoedas

“Vandathegod” foi responsável pelo maior vazamento de dados da história do Brasil
Imagem da matéria: Fundos cripto do Brasil ficam atrás apenas dos EUA ao captar mais R$ 14 milhões na semana

Fundos cripto do Brasil ficam atrás apenas dos EUA ao captar mais R$ 14 milhões na semana

Fundos de investimento com foco em cripto do Brasil captaram US$ 2,9 milhões entre 22 e 29 de março