Imagem da matéria: Uma conversa com o rapper e ator Ice Cube:  "NFTs desafiam a indústria da mídia"
Rapper e ator Ice Cube (Foto: Shutterstock)

Há 35 anos na indústria do entretenimento, Ice Cube esteve envolvido em uma variedade de projetos criativos, incluindo diversos álbuns, dezenas de filmes, seriados de TV e mais — ele até possui uma liga de basquete profissional chamada BIG3.

Porém, em entrevista ao Decrypt, Ice Cube revelou que são os projetos que não deram certo, nos moldes de estúdios e gravadoras tradicionais, que ainda o incomodam.

Publicidade

“Tive que lidar com o sistema durante toda a minha carreira. Os sistemas de estúdio, rádio… Você sabe — os ‘gatekeepers’ [administradores] que existem”, disse ele. “Produzimos muita coisa boa, mas o que me dá insônia são as coisas que não são finalizadas — os bons projetos que não são financiados.”

É por isso que Ice Cube está tão empolgado em relação a tokens não fungíveis (ou NFTs, na sigla em inglês). Um NFT atua como um contrato de propriedade, criado em uma blockchain, para um item digital.

Embora possa ser usado como avatares em redes sociais e colecionáveis de esporte, NFTs também podem ser utilizados para financiar projetos independentes, cultivar comunidades em torno de um propósito comum e dar voz aos fãs no sucesso de empreendimentos criativos.

“Se as pessoas querem, você pode fazer acontecer”, disse Ice Cube em relação a NFTs. “É o ‘foda-se’ definitivo para os programadores comuns do mundo e dá poder às pessoas.”

Publicidade

“Se você [quiser] saber algo sobre mim é que adoro isso”, continuou.

“Adoro o fato de que, agora, existem executivos de estúdio puxando seus cabelos porque criadores vão migrar para o mundo cripto. Entende o que quero dizer? Vão para o mundo dos NFT, das blockchains, dos sistemas DAO… Será ótimo para criadores e ótimo para pessoas que adoram um bom entretenimento.”

Ice Cube concedeu uma entrevista ao Decrypt quando sua liga BIG3 anunciou planos de descentralizar o direito de propriedade do time ao oferecer participações em seus 12 times na forma de colecionáveis NFT desenvolvidos no Ethereum.

A BIG3 concederá benefícios a holders de NFTs, como acesso a jogos e outras experiências presenciais, votações em decisões dos times e, até mesmo, direitos de propriedade intelectual para criar produtos de times.

Em novembro de 2021, Ice Cube deu seu primeiro passo em direção ao setor NFT junto com o pintor Trevor Jones em um projeto NFT chamado “Man vs. Machine”, desenvolvido no Ethereum e lançado no mercado Nifty Gateway.

Publicidade

Quando perguntado se possui criptomoedas, Ice Cube contou ao Decrypt que adquiriu “um pouquinho aqui e ali”, mas que ele ainda está “se ambientando”. Ice Cube explicou que sempre busca entender bem um novo setor antes de realmente entrar de cabeça.

“Eu quero entender todo o jogo antes de mergulhar. Você precisa respeitar tudo o que você está se envolvendo ou irá se machucar. É como eu lido [com as coisas]”, explicou. “Quando entro em uma indústria, quero conhecê-la, entendê-la e reconhecer o que tem de bom e ruim sobre ela — e sigo a partir do que já sei.”

“Isso é o que eu ainda faço com cripto — estou apenas aprendendo”, acrescentou Ice Cube. “Eu adoro. Tudo o que eu vejo sobre isso me deixa cada vez mais empolgado.”

Ice Cube deu início à sua carreira na música com N.W.A. e, para muitos, ainda é mais conhecido como um rapper.

A indústria musical de NFTs está começando a ganhar força à medida que artistas, como Snoop Dogg e Nas, lançam faixas como NFTs, e plataformas, como Royal — cofundada pelo DJ 3LAU —, oferecem parte dos royalties provenientes de streaming para holders do token nativo.

Publicidade

Ice Cube disse que, sem dúvidas, planeja lançar seus próprios NFTs musicais e que seu novo supergrupo Mount Westmore — com SNoop, E-40 e Too Short — também planeja lançar esse tipo de ativo. Para Ice Cube, é outro exemplo de como a tecnologia pode eliminar intermediários e gatekeepers, gerando mais benefício para artistas e fãs.

“Estamos criando há muito tempo e não realmente obtendo o retorno que as pessoas esperam [obter]”, confessou. “São essas grandes corporações que recebem a maior parte dos retornos.”

Ice Cube afirma estar conversando bastante com Snoop sobre NFTs recentemente e o interesse de Snoop no setor vai além da música, pois ele é colecionador, criador de diversos projetos NFT e parceiro do The Sandbox, um futuro jogo de metaverso desenvolvido no Ethereum.

Cube destacou a possibilidade de NFTs mudarem as dinâmicas comerciais na indústria da música, não apenas oferecendo valor diretamente a artistas, como também recompensas a fãs que recebem royalties ou possivelmente veem seus NFTs valorizarem.

Tudo se encaixa no “etos” mencionado por Ice Cube de rechaçar gatekeepers e pensar em modelos equitativos para a indústria do entretenimento.

“Está realmente revertendo todo esse sistema e o virando ao contrário — que nada mais é do que algo bonito”, garantiu. “Precisamos de mais pessoas como Snoop e Nas para levar artistas à terra prometida.”

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Evento Ethereum Rio ocorre entre os dias 13 e 15 de maio no Porto Maravalley, Rio de Janeiro
Foco em uma moeda dourada de Ethereum (ETH)

Aprovação do ETF de Ethereum pode acontecer antes do esperado, diz Coinbase

Maior exchange de criptomoedas dos EUA, a Coinbase está confiante de que a SEC aprovará ETFs de Ethereum à vista muito em breve, apesar do pessimismo mais amplo
Imagem da matéria: El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

A mineração de Bitcoin é feita com energia do vulcão Tecapa, usando 300 processadores voltados para essa atividade
Imagem da matéria: Braiscompany: Justiça já entregou todos os documentos para extraditar donos da pirâmide

Braiscompany: Justiça já entregou todos os documentos para extraditar donos da pirâmide

O casal que fundou a Braiscompany está em prisão domiciliar na Argentina, enquanto os países negociam extradição