Moeda dourada com o logo da stablecoin Tether USDT.jpg
Foto: Shutterstock

Tether — empresa por trás do USDT, stablecoin mais popular do mercado cripto — reportou, nesta quarta-feira (10), seus resultados trimestrais com lucro líquido de US$ 1,48 bilhão e um total de US$ 81,8 bilhões de ativos consolidados. Celebrando um aumento de 20% do total de USDT em circulação e revelando, pela primeira vez na história, a alocação de 4% e 2% em ouro e Bitcoin respectivamente.

A Tether Holdings Limited publicou seu “relatório de garantia” para o primeiro trimestre de 2023, concluída pela BDO Itália, uma das cinco principais empresas globais de contabilidade pública independente, segundo o grupo.

Publicidade

O relatório reafirma o Relatório Consolidado de Reservas (CRR) da Tether, que detalha os ativos mantidos pelo grupo em 31 de março de 2023.

O CRR fornece, pela primeira vez, categorias adicionais visando aumentar a transparência nos relatórios de reservas do Tether. Ouro físico, Overnight Repo, Títulos Corporativos e propriedade de Bitcoin foram relatados separadamente.

Este atestado também revela um aumento no excesso de reservas do Tether, atingindo um recorde de US$ 2,44 bilhões, com um aumento de US$ 1,48 bilhão no primeiro trimestre de 2023. Como resultado, são US$ 1,48 bilhão de lucro líquido e um aumento de 20% no token em circulação.

A empresa encerrou o primeiro trimestre de 2023 com US$ 81,8 bilhões em ativos totais consolidados. A maioria de suas reservas é investida em títulos do Tesouro dos EUA, mas tem trabalhado para tomar medidas para reduzir sua dependência de depósitos bancários puros como fonte de liquidez.

Publicidade

Detalhes do relatório da Tether

Esse último relatório destaca uma redução de 25% nos empréstimos garantidos, de 8,7% para 6,5% dessa classe de ativos dentro das reservas totais e a maior porcentagem até o momento de ativos alocados em títulos do Tesouro dos EUA.

O ouro e o Bitcoin representam cerca de 4% e 2% do total das reservas, respectivamente. Todas as novas emissões de tokens foram investidas em títulos do Tesouro dos EUA ou colocadas em operações compromissadas overnight.

A administração da empresa afirma o seguinte a partir de 9 de maio de 2023:

  • O total de ativos consolidados do Grupo é de, no mínimo, US$ 81.833,149,345
  • O passivo total consolidado do Grupo é de US$ 79.390.359.036, dos quais US$ 79.372.401.626 referem-se a tokens digitais emitidos.
  • Os ativos consolidados do Grupo excedem seus passivos consolidados.

“Estamos entusiasmados com o enorme sucesso que a Tether alcançou no primeiro trimestre de 2023, com o excedente de nossas reservas atingindo um recorde”, disse Paolo Ardoino, CTO da Tether.

Em março, a página Lookonchain apontou para a emissão de US$ 5 bilhões de novos USDT pela companhia. Com parte dessas criptomoedas recém-geradas estão sendo usadas para aumentar as reservas de corretoras.

Publicidade

Já em abril, o braço bancário da Tether terá de pagar R$ 260 milhões para Alameda após decisão judicial envolvendo o colapso da FTX em 2022.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem no escuro sugere hacker confuso

Ataques hacker no mercado cripto caíram pela metade em março, aponta relatório

Levantamento diz que queda na exploração de protocolos DeFi vem ocorrendo mês a mês
Imagem da matéria: Falha técnica faz Bitfinex interromper temporariamente trade de criptomoedas

Falha técnica faz Bitfinex interromper temporariamente trade de criptomoedas

A corretora suspendeu as negociações na noite passada para investigar um problema inesperado
Imagem da matéria: Briga entre Elon Musk e Alexandre de Moraes pode tirar o X do ar no Brasil?

Briga entre Elon Musk e Alexandre de Moraes pode tirar o X do ar no Brasil?

Troca de farpas entre Elon Musk e ministro do STF levanta possibilidade de suspensão do X/Twitter no país
logo da solana em celular

São Paulo recebe Solana Build Station no Ibrawork

O ponto alto da última edição das Build Stations no Brasil será o prêmio concedido especialmente durante o Pitch Day, no dia 6 de abril