Imagem da matéria: Tesla não vendeu Bitcoin, mostra balanço do 2º trimestre da empresa
Empresário Elon Musk Foto: Shutterstock

A fabricante de carros elétricos Tesla divulgou números do balanço do 2º trimestre, excedendo US$ 1 bilhão em lucros pela primeira vez durante a produção e entrega de mais de 200.000 veículos. Mas a empresa também revelou que o Bitcoin prejudicou ligeiramente seus ganhos.

Em uma apresentação de lucros publicada após o fechamento do mercado na terça-feira, a empresa observou um “prejuízo relacionado ao Bitcoin de US$ 23 milhões”, que é melhor do que o prejuízo de US$ 100 milhões que alguns analistas previram. Imparidade é um termo contábil para quando uma empresa deve diminuir o valor de um ativo.

Publicidade

Na realidade, a Tesla está realmente à frente quando se trata de suas participações em Bitcoin, uma vez que comprou a maior parte de suas participações em fevereiro, quando o preço estava em torno de US$ 32.000. Mas não é assim que funciona quando se trata de relatórios de lucros corporativos.

O prejuízo da Tesla deriva de uma peculiaridade nas regras que os contadores usam para avaliar o Bitcoin e outras criptomoedas. Segundo essas regras, o Bitcoin é considerado um “ativo intangível de vida indefinida” — o que significa que as empresas não podem registrar lucro se o preço subir, mas que terão de registrar prejuízo se o preço cair.

Essa situação provavelmente frustrará alguns investidores da Tesla, já que o Bitcoin que ela comprou vale mais do que a empresa pagou — especialmente em um dia como este em que o Bitcoin ultrapassou US$ 40.000 —, mas isso ainda resulta em uma perda para o valor oficial da empresa.

Os ganhos do segundo trimestre da Tesla cobrem o período de 1º de março a 30 de junho, que inclui um período no final de junho em que o Bitcoin desmoronou para cerca de US$ 28.000.

Publicidade

O CEO da Tesla, Elon Musk, é um iconoclasta que parece disposto a tolerar os incômodos contábeis que acompanham a posse do Bitcoin, mas os executivos de outras empresas podem relutar em adicioná-lo ao tesouro corporativo por causa disso. Uma das poucas exceções é a Square, cujo CEO Jack Dorsey também é um atípico — e um crente crente fervoroso. A dupla conversou recentemente em um painel e exaltou as virtudes da criptomoeda.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co

VOCÊ PODE GOSTAR
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta
Imagem da matéria: Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Dados do CoinGecko mostram que o Bitcoin subiu cerca de 3% no último dia e no período de uma semana valorizou em 9%
Imagem da matéria: '101 Perguntas sobre Bitcoin': Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

‘101 Perguntas sobre Bitcoin’: Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

A obra discorre os princípios técnicos da moeda até suas implicações socioeconômicas no contexto atual, de modo a proporcionar um entendimento profundo ao público geral
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve