Imagem da matéria: Telegram ganha carteira de criptomoedas e token TON dispara 13%
Shutterstock

A The Open Network Foundation (TON Foundation) revelou na noite de terça-feira (12) uma parceria com o aplicativo de mensagens Telegram para o lançamento de uma carteira de criptomoedas com autocustódia para os usuários da plataforma de bate-papo.

A Fundação TON disse que sua carteira cripto, a Ton Space, já está disponível para os aproximadamente 800 milhões de usuários do aplicativo. Além disso, a fundação disse que os projetos construídos na TON terão acesso prioritário à plataforma de publicidade do aplicativo de mensagens, a Telegram Ads.

Publicidade

O recurso de carteira está acessível nas configurações do Telegram, segundo um porta-voz da TON, e um lançamento global começará em novembro, “excluindo os EUA e alguns outros países.”

O token nativo TON subiu 12,6% durante a noite, de acordo com dados do CoinGecko, depois que o Telegram endossou a plataforma blockchain como sua escolha para empreendimentos Web3. O preço do token atingiu o máximo em três meses de US$ 1,97 após o anúncio.

Como parte de uma campanha de marketing, a equipe TON lançou um código QR, concedendo aos usuários 1 token TON grátis no valor de US$ 1,92.

No entanto, a alta demanda por esse recurso gerou problemas no servidor. A equipe TON Blockchain twittou que devido a “milhares de pessoas embarcando na Wallet a cada segundo”, o servidor estava enfrentando dificuldades. A equipe pausou temporariamente o sorteio TON por meio do código QR público no Twitter.

Publicidade

Trajetória do projeto TON

A TON é uma plataforma blockchain de proof-of-stake (PoS) que foi abandonada pelo próprio Telegram em 2020. Estava programada para entrar em operação após dois anos e meio de trabalho na plataforma, mas o envolvimento do Telegram foi interrompido por um processo da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

A SEC processou a Telegram em 2019 em mais de US$ 1,7 bilhão arrecadados por meio da oferta inicial de moedas (ICO) do projeto por meio de um token chamado Grams. Com uma suposta oferta de valores mobiliários não registrados, o Telegram fechou um acordo com a SEC, pagando aos investidores quaisquer fundos não gastos, juntamente com uma multa de US$ 18,5 milhões.

Semelhante às ambições do proprietário da Tesla, Elon Musk, para o Twitter (ou X) como um aplicativo de pagamentos e mídia, o cofundador do Telegram, Pavel Durov, imaginou o TON como uma maneira de enviar criptomoedas dentro de conversas e grupos de conversa e monetizar o aplicativo de mensagens.

Em 2020, em um blogpost, ele disse oficialmente que “o envolvimento ativo do Telegram com a TON acabou”, alertou Durov sobre outros projetos cripto que cooptam o nome e a tecnologia da TON. Ele disse então que é “improvável que a empresa os apoie de alguma forma”, tornando a mudança de quarta-feira uma aparente reviravolta.

Publicidade

Organizações comunitárias surgiram para manter vivo o sonho por trás da TON no Telegram, incluindo organizações como FreeTon, NewTON e a comunidade chinesa TON.

Liberdade de expressão digital

O diretor de investimentos do Telegram, John Hyman, disse que dar aos usuários a propriedade de suas identidades e ativos está alinhado com as crenças da empresa em relação à liberdade de expressão.

“Com essa parceria, estamos colocando os direitos de propriedade digital nas mãos de toda a nossa base de usuários”, disse Hyman em um comunicado. “A missão do Telegram sempre foi permitir a liberdade de expressão, mas a fala é muito mais nesta era digital.”

A Fundação TON anunciou na semana passada que se estabeleceu na Suíça, onde a organização está agora registrada como uma organização sem fins lucrativos. Steve Yun, presidente da Fundação TON, falou sobre os elementos sinérgicos da colaboração da TON e do Telegram em uma declaração por escrito. 

“O ecossistema TON se esforça para fornecer uma experiência de usuário simples e intuitiva semelhante à dos aplicativos sociais populares, como o Telegram”, disse ele. “Compartilhando o mesmo DNA, convidamos todos os construtores a se juntarem à nossa jornada para a adoção em massa.”

Publicidade

Na época em que o Telegram se retirou do desenvolvimento da TON, o aplicativo tinha cerca de 400 milhões de usuários. Desde então, de acordo com estatísticas fornecidas pela Fundação TON, o Telegram dobrou esse número e atualmente é um dos 10 aplicativos mais baixados do mundo.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Executivo da Binance é transferido para prisão subterrânea na Nigéria 

A Justiça transferiu Tigran Gambaryan para presídio após fuga de seu colega da Binance que também estava detido na Nigéria
Imagem da matéria: Dogwifhat (WIF) cai 15% em meio à fase de baixa das memecoins

Dogwifhat (WIF) cai 15% em meio à fase de baixa das memecoins

Dogwifhat (WIF) caiu dois dígitos durante a noite e continua a se distanciar de sua máxima histórica
Imagem da matéria: Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Na Paris Blockchain Week, o presidente da Animoca Brands, Yat Siu, discutiu a regulamentação da SEC, o ressurgimento do mercado de NFT e as finanças de sua empresa
Imagem da matéria: OKX corta taxas de negociação e introduz taxa negativa no Brasil; entenda

OKX corta taxas de negociação e introduz taxa negativa no Brasil; entenda

Segundo a OKX, haverá um modelo de níveis em que usuários poderão ter taxas de maker negativas ou zeradas dependendo do saldo na exchange