Imagem da matéria: Startup transforma lixo em Bitcoin
Shutterstock

A startup americana Nodal Power obteve nesta semana uma substancial rodada de financiamento de US$ 13 milhões para seu projeto de converter o gás metano produzido pelos aterros sanitários em eletricidade, que é então devolvida para as redes elétricas locais como energia renovável.

No entanto, nem toda essa energia será vendida. Parte dela será usada diretamente pela empresa para proteger a blockchain por meio da mineração limpa de Bitcoin.

Publicidade

“A mineração de Bitcoin é uma opção que usamos quando a economia da rede não é tão favorável”, disse Matthew Jones, cofundador e diretor de operações da Nodal Power, ao Decrypt. “Atualmente, fazemos mineração de Bitcoin em nossos data centers”.

O metano, um potente gás de efeito estufa resultante da decomposição da matéria orgânica em aterros sanitários, contribui em grande parte para o aquecimento global. Pesquisa mostram que ele é 25 vezes mais eficaz na retenção de calor do que o dióxido de carbono.

A Nodal Power captura e reaproveita esse gás metano vazado, queimando-o em um gerador para produzir energia. Isso reduz as emissões de carbono quando comparado a simplesmente queimar o metano, gerando lucro com um recurso que de outra forma seria desperdiçado e ainda mantendo a atmosfera mais limpa.

Uso de eletricidade

Atualmente, a Nodal Power opera dois data centers de mineração nos EUA, com planos para um terceiro no início de 2024. O primeiro e maior, localizado no “sudoeste dos EUA”, exporta principalmente eletricidade para a concessionária de energia local, enquanto o segundo ponto, situado na “região montanhosa ocidental”, alimenta 500 mineradoras com 40 petahashes por segundo (PH/s) de capacidade.

Publicidade

O terceiro local, apoiado pelo financiamento de US$ 13 milhões, espelhará o segundo ponto em termos de energia, capacidade de mineração e localização.

Embora a maior parte dessa energia seja vendida à rede como uma “usina tradicional”, questões práticas forçam 75% dos aterros a usar esse metano no local, de acordo com Daniel Batten, cofundador da CH4 Capital. O fundo de US$ 400 milhões da Batten investe em empresas que pretendem usar gás de aterros sanitários para minerar Bitcoin.

Um recente relatório da KPMG sugeriu que o volume de metano queimado nos EUA e no Canadá poderia potencialmente alimentar toda a rede Bitcoin.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin sob nota de dinehiro da nigéria

Tensão entre Binance e Nigéria escala após CEO acusar governo de suborno de R$ 770 mi

Funcionário do governo nigeriano disse que alegações são infundadas e que disputa contra Binance deve ser resolvida na Justiça
Imagem da matéria: Volume de negociação de 'Notcoin' ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Volume de negociação de ‘Notcoin’ ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Jogo Notcoin, baseado no Telegram, lançou mais de 80 bilhões de tokens para cerca de 35 milhões de jogadores em um airdrop
Ministro Zhaslan Madiyev ex-gerente Binance Cazaquistão

Gerente da Binance é nomeado ministro de Desenvolvimento Digital no Cazaquistão

Depois de passagens por bancos e órgãos do governo cazaquistanês, Zhaslan Madiyev ocupa agora o maior cargo do Ministério de Desenvolvimento Digital, Inovações e Indústria Aeroespacial
Imagem da matéria: Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Nova operação da Polícia Federal apura crimes ligados às investigações da operação Daemon, de 2021, que prendeu o “Rei do Bitcoin”, Claudio Oliveira