Imagem da matéria: Semana cripto: Bitcoin e Ethereum estagnam no Natal; Dogecoin é a perdedora da semana
Foto: Shutterstock

O mercado de criptomoedas está entrando no ano novo, mas a semana que antecedeu o Natal trouxe ganhos muito modestos para os dois principais ativos do setor.

Tanto Bitcoin (BTC) quanto Ethereum (ETH) estão estagnados na manhã deste domingo (25), cotados a US$ 16,8 mil e US$ 1,2 mil, respectivamente. Esses preços refletem uma semana também calma em que o BTC subiu apenas 0,6% e o ETH 3%, de acordo com dados do CoinMarketCap.

Publicidade

Já a memecoin mais popular do mercado, Dogecoin (DOGE), enfrentou perdas notavelmente mais pesadas nos últimos sete dias. O valor de um DOGE é 8,8% menor do que na semana passada e atualmente é negociado por US$ 0,076.

A popularidade da Dogecoin diminuiu quando o fã número um da criptomoeda, Elon Musk, tuitou uma enquete perguntando se ele deveria deixar o cargo de CEO do Twitter. A maioria dos consultados, cerca de 10 milhões de pessoas, votou “Sim”.

Perdas percentuais de dois dígitos foram sentidas na última semana pelos detentores de Solana (SOL), que caiu 15% para US$ 11,86. Cardano (ADA) caiu 13% para US$ 0,25, Polkadot (DOT) caiu 14% para US$ 4,47, Avalanche (AVAX) caiu 10% para US$ 11,78 e Quant (QNT) caiu 12% para US$ 105.

Ethereum Classic (ETC), Uniswap (UNI), Litecoin (LTC) e Polygon (MATIC) registraram perdas semelhantes de cerca de 9%.

Por fim, houve rumores em Washington esta semana de que o desastre da FTX poderia significar o fim das corretoras centralizadas de criptomoedas. 

Publicidade

A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) intensificou seu ataque à indústria de criptomoedas por meio da investigação. A agência tem como alvo os figurões da FTX por fraude de valores mobiliários, rotulando o token nativo da FTX, o FTT, como um valor mobiliário.

É uma mudança semântica sutil, implicando que a SEC agora vê o token como um título em si, independentemente de como foi comercializado para os consumidores.

As lições das criptomoedas em 2022

Com mais um ano prestes a terminar, vale a pena diminuir o zoom e considerar onde 2022 se encaixa na narrativa cripto. Foi mais um ano de montanha-russa, mas ao contrário dos picos inebriantes de 2021, este foi certamente um vale doloroso para todos na indústria de uma forma ou de outra.

O preço do Bitcoin caiu mais da metade ao longo do ano (embora ainda falte uma semana para que um milagre aconteça), enquanto o Ethereum se desvalorizou por um fator de três. Essas pesadas perdas entre os dois líderes de mercado obviamente também não eram um bom presságio para o mercado mais amplo.

Publicidade

Mas este foi um ano em que a indústria precisou aprender lições importantes, e aprendeu, por meio de um método antigo e testado: o fracasso.

O ponto central do mercado de baixa de 2022 foram os colapsos históricos do ecossistema Terra (tanto LUNA quanto sua stablecoin algorítmica UST) e a exchange FTX. O contágio de ambos os eventos se espalhou por toda a indústria, levando muitas empresas à falência e nos fornecendo estudos de caso sobre o que não fazer no futuro.

Curiosamente, a popularidade do Bitcoin entre os investidores de varejo — pessoas comuns em oposição a investidores institucionais, como Tesla e MicroStrategy — cresceu exponencialmente ao longo do ano. Em 2020, apenas 12% da oferta total estava nas mãos das pessoas, mas agora esse número aumentou para pouco mais de 17%, a proporção mais alta de todos os tempos.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Bitcoin em gráfico de alta com seta azul apontado para o alto

Traders esperam que Bitcoin supere a máxima de US$ 74 mil em breve

“Esperamos um impulso de alta aqui que pode nos levar de volta às máximas de US$ 74 mil”, disse a QCP Capital sobre o momento do Bitcoin
Cláudio Barbosa, um dos criadores da pirâmide Trust Investing

Foragido desde 2022, único líder da Trust Investing que escapou é preso em Santa Catarina

Cláudio Barbosa foi a pessoa responsável por negociar diretamente com a GAS Consultoria e o “Faraó do Bitcoin”
Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil

Anbima propõe novas regras para fundos de criptomoedas e abre consulta pública

Entre outras regras, Anbima propõe uma padronização na precificação das criptomoedas dos fundos desse tipo; consulta vai até 20 de junho
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins