Imagem da matéria: Semana cripto: Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) decolam em meio à crise bancária nos EUA
Foto: Shutterstock

Após três semanas consecutivas de perdas, as duas maiores criptomoedas do mercado voltaram a dar alívio para os investidores ao engatar altas impressionantes ao longo da última semana.

O Bitcoin (BTC) disparou 36% nos últimos sete dias e agora é negociado em torno de US$ 27.515, de acordo com dados do CoinMarketCap.

Publicidade

Na semana passada, o Bitcoin caiu cerca de 10% em reação às notícias de que o Signature Bank e o Silicon Valley Bank (SVB), que atendem grandes empresas do setor cripto, quebraram.

A segunda maior moeda do setor, Ethereum (ETH), voltou ao patamar que estava antes da crise. O ETH subiu 27% nos sete dias e atualmente muda de mãos por volta de US$ 1.830.

Todo o mercado de criptomoedas voltou à vida na noite do último domingo (12), depois que o Federal Reserve, o Tesouro dos EUA e o FDIC anunciaram que iriam intervir para proteger todos os depósitos mantidos no Signature e no SVB — uma promessa reiterada pelo presidente Joe Biden.

Os efeitos da crise bancária no meio cripto

Contudo, as criptomoedas não saíram totalmente ilesa: a indústria perdeu seus dois bancos mais amigáveis ​​à cripto e há notícias conflitantes sobre se o FDIC está dizendo aos possíveis compradores do Signature Bank que o banco terá que abandonar suas relações com empresas cripto. 

Publicidade

O ex-congressista de Massachusetts, Barney Frank, afirmou que o governo fechou o Signature para enviar uma “mensagem anticripto”. Uma reportagem da Reuters no final da semana parecia confirmar as afirmações de Frank; desde então, o FDIC negou as alegações feitas pela Reuters.

No Reino Unido, o chanceler do Tesouro Jeremy Hunt anunciou que o HM Treasury — o Ministério das Finanças do Reino Unido — havia negociado um acordo de resgate no qual o HSBC adquiriu o braço britânico do SVB para evitar que negócios britânicos sofressem prejuízos pela exposição ao banco.

Além dessas intervenções, os investidores foram atraídos na última semana para ativos de risco, como criptomoedas e ações de tecnologia, depois que surgiram sinais de que a crise bancária poderia estar se espalhando para as instituições do setor de finanças tradicionais da Europa: o Credit Suisse anunciou na quarta-feira um empréstimo de US$ 54 bilhões do Swiss National Bank para reforçar a sua liquidez.

Praticamente todas as 30 principais criptomoedas por capitalização de mercado registraram ganhos significativos esta semana. Na lista de maiores destaques para além de Bitcoin e Ethereum estão Filecoin (FIL), que subiu 33% para US$ 6.39, Polygon (MATIC), que cresceu 22% para US$ 1.24, Solana (SOL), que subiu 28%, para US$ 22.30, e BNB, que subiu 25%, para US$ 344.

Publicidade

O USDC — a stablecoin lastreada ao dólar emitida pela Circle — caiu no final de semana passado para US$ 0,87 após a incerteza sobre a exposição da empresa aos bancos que quebraram nos EUA, mas recuperou sua paridade com o dólar ao longo da semana.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Bitcoin é uma “forma de arte” e uma moeda de desconfiança, diz filósofo Yuval Noah Harari

O filósofo, no entanto, mostrou desconfiar se realmente o Bitcoin será o futuro do dinheiro como algumas pessoas defendem
Imagem da matéria: Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

“Alcançamos nosso objetivo e agora, de acordo com o planejado, é hora de nos aposentarmos”, disseram os desenvolvedores do drenador de carteiras cripto
Imagem da matéria: Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

“Somente em criptomoeda.” A memecoin Pacmoon recompensou um usuário com um grande airdrop – que foi maior do que o esperado graças ao erro de um amigo
Imagem da matéria: Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Nova operação da Polícia Federal apura crimes ligados às investigações da operação Daemon, de 2021, que prendeu o “Rei do Bitcoin”, Claudio Oliveira