funcionário demitido
Shutterstock

A exchange de criptomoedas Coinbase, a segunda maior do mundo, anunciou novas demissões de funcionários nesta terça-feira (10), citando como motivo “as condições de mercado que afetam a criptoeconomia”.

Em um registro feito junto à SEC, a CVM dos EUA, a corretora disse que essa reestruturação vai reduzir o número de funcionários da empresa em aproximadamente 950. O custo para fazer isso, contabilizando os pacotes de indenização, pode chegar a US$ 163 milhões.

Publicidade

Espera-se que as demissões sejam concluídas até o segundo trimestre de 2023.

“Tomei a difícil decisão de reduzir nossas despesas operacionais em cerca de 25%, o que inclui dispensar cerca de 950 pessoas. Todos os membros da equipe afetados serão informados até”, escreveu o CEO Brian Armstrong no blog da empresa.

De acordo com o CEO, o mercado criptográfico “viu as consequências de atores inescrupulosos da indústria e ainda pode haver mais contágio”, o que significa que a Coinbase, embora esteja “bem capitalizada”, ainda precisa economizar dinheiro.

Ele espera mais clareza regulatória após a queda da concorrente FTX, expressando sua crença de que os eventos recentes “acabarão beneficiando muito a Coinbase”, validando a estratégia de longo prazo da empresa.

“Mas levará tempo para que essas mudanças se concretizem e precisamos garantir que tenhamos a eficiência operacional apropriada para enfrentar as desacelerações no mercado cripto e capturar oportunidades que possam surgir”, acrescentou o chefe da Coinbase.

Publicidade

Demissões na Coinbase

A Coinbase começou a reduzir sua força de trabalho em junho de 2022, anunciando um corte de 18% em sua força de trabalho, ou cerca de 1.100 funcionários. Naquela época, Armstrong disse que “está claro para mim que contratamos demais”, acrescentando que a empresa precisava “planejar para o pior”.

A Coinbase é atualmente a segunda maior exchange de criptomoedas do mercado com base no volume de negociações. Segundo o CoinGecko, a plataforma administra mais de US$ 1,8 bilhão em negociações diárias. Em comparação, a líder de mercado Binance realiza mais de US$ 13 bilhões em negociações por dia.

A Coinbase, com sede em São Francisco, na Califórnia, abriu o capital na bolsa Nasdaq em abril de 2021 e viu o preço de suas ações despencar desde então.

A COIN, que antes era negociada a US$ 324, caiu para a mínima histórica de US$ 32,40 por ação no final de dezembro, antes de saltar 15% na segunda-feira (9), para US$ 38,42.

Publicidade

As ações da Coinbase registram queda de 2,7% nas negociações de pré-mercado nesta terça-feira, trocando de mãos a US$ 37,23.

*Traduzido com autorização do Decrypt

Já pensou em inserir o seu negócio na nova economia digital? Se você tem um projeto, você pode tokenizar. Clique aqui, inscreva-se no programa Tokenize Sua Ideia e entre para o universo da Web 3.0!

VOCÊ PODE GOSTAR
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024
Estátua da justiça e martelo de juiz à frente de bandeira do Canadá

Canadá multa Binance em R$ 22,5 milhões por violar as leis de combate à lavagem de dinheiro 

Agência do governo menciona falta de registro e ausência de relatório de transações enquanto corretora operou no país
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

Memecoin da rede Solana com tema GameStop sobe 1.900% e desperta febre do GME

A memecoin GME decolou na segunda-feira (13), entregando retornos consideráveis, superando os das ações da GameStop
Vitalik Buterin na ETH Taipei 2024. Foto: Rug Radio

Como o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, mantém suas criptomoedas seguras

“Descentralize sua própria segurança”, diz Buterin – mas ele não usa uma cold wallet para suas próprias criptomoedas